Brasil vence com lampejos de bom futebol

Não houve show de bola, mas foram produzidos bons momentos de futebol, suficientes para garantir a segunda vitória à Seleção Brasileira na Copa do Mundo e a classificação antecipada às oitavas de final. Dois belos gols de Luís Fabiano e um de Elano garantiram o triunfo no estádio Soccer City, por 3 a 1, sobre a Costa do Marfim. É a quinta vez consecutiva – ou seja, desde que os três pontos por vitória foram instaurados no Mundial, em 1994 – que a Seleção chega á última rodada da fase de grupos já com sua vaga assegurada.

Não foi essa a única escrita mantida no Soccer City: a Seleção manteve seu aproveitamento de 100% em partidas de Copa do Mundo diante de equipes africanas. São agora seis jogos só de vitórias. Entre todas essas boas notícias – incluindo aí a boa atuação de Kaká, com participação direta em dois gols -, o jogo deixou também algumas preocupações. O time passou o primeiro tempo sem inspiração, tocando bola para os lados, até que surgiu a tabelinha infernal entre Robinho, Kaká e Luís Fabiano, para a finalização deste último. Sem ser criativo como se esperava, o time dependeu muito da individualidade de seus jogadores. Além disso, Elano sofreu dura entrada de Ismael Tioté pouco depois de marcar o terceiro gol e saiu de campo de maca, substituído por Daniel Alves. E, a dois minutos do fim, quando prevalecia o jogo violento, Kaká foi expulso de campo.

O saldo positivo óbvio é que, mesmo ainda sem exibir um futebol brilhante, o Brasil passou com relativa facilidade pela Costa do Marfim, um adversário difícil de ser batido e que no primeiro tempo se posicionou cautelosamente, esperando oportunidades para o contragolpe. Agora, a Seleção vai fechar sua participação no Grupo G no próximo dia 25, em Durban, quando enfrenta Portugal – que entra em campo nesta segunda-feira, na Cidade do Cabo, diante da Coreia do Norte. Os africanos enfrentam os norte-coreanos, também no dia 25.

 

26 comentários em “Brasil vence com lampejos de bom futebol

  1. O gol do Fabuloso vai entrar em todas as antologias como o mais irregular de todos os tempos. Ajeitou com a mão no início do lance. Depois, mais adiante, matou no braço. Foi um gol tão obsceno que chega a ser pornográfico. Um gol XXX. Por que alguém ergueria o braço tão alto para matar no peito? O juiz é mal intencionado ou uma besta. Fabuloso também merece o troféu cara de pau por dizer que os toques foram “involuntários”. Deixa o gol do Thierry Henry contra a Irlanda no chinelo. Cadê os moralistas que tanto xingaram o Henry e disseram que a França não merecia ter ido à copa?

    A Costa do Marfim apenas confirma o triste panorama do continente negro, já que todos os times africanos serão eliminados na primeira fase.

    Mantida a tradição de sempre favorecer o Brasil com erros de arbitragem, nunca o adversário (coincidência?). Será o Brasil o Corínthians das Copas, hein, Gérson?

    Kaká/Kokô/Kaikai mereceu ser expulso, ao contrário do que dizem certos “patriotas” como o gavião Bueno. A cotovelada no peito do africano foi uma agressão. Não foi no rosto como o marfinense simulou, mas digna, sim, do segundo amarelo. E Kokô provocou a expulsão para ficar de fora no próximo jogo. Está machucado e não agüenta jogar partidas seguidas. Ainda assim, a mídia o coloca como a vítima da estória, expulso “injustamente”.

    1. Meu amigo eu não sei qual é o seu problema, mas espero que resolva. Eu disse e continuo a dizer que a França é um Remo na vida, entrou pela janela com ajuda comunitária. Quanto ao Fabiano, não será o último gol irregular com esta natureza. Maradona disse que o dele foi com a mão de Deus, sabe lá se o do Fabiano, também.

      1. Não tenho problema nenhum, senhor. E quem estava falando do Remo? Tampouco estou surpreendido com a defesa ao Fabuloso. Faz parte do caráter duvidoso do brasileiro, se é que este tem algum. Quando os Maradonas e Henrys da vida usam a mão são ladrões, sem-vergonhas. Os nossos são heróis, malandros. Somos o Macunaíma da fábula. Todos viram Lúcio dar um murro no braço machucado do Drogba no início do jogo. E o Fantástico fez a leitura labial do Dunga e o flagrou mandando puxar o braço operado do Drogba. Bem-feito pro Drogba, né? Quem mandou entrar em campo?

    2. Tudo bem, atrevir-me a e peço desculpas em contestar a sua opinião, que como todos nós aqui, temos o direito de expressá-la. Surpreendeu-me a sua defesa ao time africano que utilizou de toda a indgnidade humana, somada a violência, para parar a seleção brasileira. O lance da expulsão do Kaká foi clara na tela, o jogador adversário provocou uma situação agressiva que não existiu, sem bola ir de encontro desastroso em direção do Kaká diz tudo. Cuidado! Um lembrete: “quem é bonzinho, morre coitadinho”.

  2. Gerson, a meu ver, vitória com ótimo futebol e lampejos de nervosismo desnecessário. Diogo, que é isso cara?

  3. O gol do Fabuloso foi realmente irregular, mas também não é pra tanto, se o juiz não marcou a infração, problema dele e da Costa do Marfim, Luiz Fabiano fez o que se espera dele, gols. O que preocupa é a seleção só mostrar lampejos de bom futebol quando Kaká resolve fazer algo que não seja tocar a bola pro lado, ele ainda senti dores, infelizmente é um jogador bichado. E se o juiz estivesse realmente tentando favorecer a seleção brasileira, teria expulsado uns três atletas da seleção afriacana e não o Kaká, mesmo que a expulsão deste tenha sido merecida.

    1. O Brasil sempre deveu para a França em mundiais, onde perdeu em 1986, 1998, é 2006, onde todos sabemos o acontecido, mais eu acho que ou o juíz, realmente não viu o lance, que realmente foi com a mão que Luiz Fabiano meteu na bola, ou o juíz viu, é fez vista grossa, com peninha de nossa seleção, se contra sua seleção Francesa, somos fregueses, ainda seriamos do arbitro! Mas com certeza, isso é apenas uma brincadeira minha. É penso que o juíz deveria ser excluido da copa, por este lance, que resultou no gol de nossa seleção, e por seus erros de interpretação, que resultou na exclusão do Kaka, da partida, onde todos virão que o Marfinense simulou ter cido agredido! Te contar.

  4. A bela face da eficiência foi o que a Seleção apresentou hoje. Em síntese, três lindas jogadas – duas coletivas e uma individual – e uma quase goleada sobre um time difícil de ser batido. Agora é manter o ritmo ofensivo, ajustar a defesa, e seguir em frente na difícl tarefa de confirmar o favoritismo. Quanto à mão e ao braço do Luiz Fabiano, estes ficam compensados pelas duas entradas criminosas dos marfinenses contra o Elano e o Michel que o árbitro não puniu com o cartão vermelho. Sob este ponto de vista acho que os “Elefantes” sairam até lucrando, pois com dois jogadores a menos certamente levariam cinco ou seis.

  5. Dissera antes que estava otimista quanto uma boa apresentação do Brasil. Houve melhoras, mas nada que me afoite, no momento, para o futuro. O adversário fraco de aspirações, forte no vigor físico com sede de violência, tirou um pouco da capacidade da seleção do Brasil render muito mais. Um detalhe a considerar negativamente á a desatenção na defesa e outro gol que facilmente poderia ser evitado. O jogo contra Portugal será o termômetro do capacitação real do Brasil rumo ao título, por ser um time mais técnico e ter a verdadeira intenção de jogar. Os bárbaros de ontem já é passado.

  6. Do Diário do Pará de Hoje, 21/06/10.

    “A Costa do Marfim bateu, sim, no Brasil. E não se arrepende. O zagueiro Kolo Touré disse que a pancadaria vista no segundo tempo foi uma resposta às gracinhas que os adversários começaram a fazer após abrir vantagem. “O Brasil nos desrespeitou. Depois de estar ganhando, começou a brincar com a bola e isso é inaceitável. Mesmo que esteja ganhando de 10 a 0, uma seleção precisa mostrar respeito ao adversário””, disse, em inglês, o jogador do Manchester City.”

    Só aquelas duas pedaladas do Robinho justifica a declaração do “mar fim osso”. Fora isso foi administrar o tempo e não aceitar a melhor técnica individual dos brasileiros.

    1. Caro amigo, não acho que nossa seleção menospresou a seleção dele, como ele frisou em sua entrevista. Penso que, se fosse o contrário, com certeza, eles iriam valorizar o momento de está vencendo nossa seleção, então eu não acho errado o Robinho, partir pra cima deles, e dar pedaladas ou tentar o drible, se esses são os recursos dele. Quanto a seleção C. Marfim, limitou-se, a bater, dar porrada, é simular ter recebido agreções. Isso pra mim e choro de perdedor, são iguaiszinhos aos remistas, aqui em Belém, onde não tem recurso, seus jogadores é usam o anti-jogo, e depois vem o cho-ro-ro-ro-ro……………

  7. Queria saber por que a bandeira do time D só aparece na TV do Pará? Meu neto que mora no Rio viu a mesma reportagem e não viu a tal imunda.

  8. Vocês amam o Remo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    E morrem de inveja e raiva porque a bandeira imunda do time de vocês só aparece nos jogos da Argentina.

    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

    Ca entre nós Berlli, a falta de respeito dos brasileiros no futebol, que você mostra nessa reportagem, é algo que acontece muito.
    Brasileiro é debochado, e a prova disso é justamente alguns comentários seus. Neste blog você sempre fala de uma maneira debochada do Remo, mesmo quando o assunto não tem nada haver com o futebol paraense. Olha a maneira que você se refere à seleção da Costa do Marfim.

    Outro exemplo, agora fora do blog, é o time do Santos. Embora eu ache que o Dunga deveria ter levado o Neimar (além do Ganso), mas eu não gosto desse menino, pois o considero muito debochado em suas comemorações.

    Na seleção não é diferente. No futebol, brasileiro não admite ser inferiro em nada, se julga quase imbatível. Muitos vão atrás desse falso patriotismo que o Galvão e outros narradores lapida na cabeça das pessoas. Você mesmo, defende o Dunga desde o início, e ainda não enxergou nenhum defeito na seleção.

    Seleção Brasileiro tem que mostrar sua magia no futebol, alegria na comemoração e sempre respeito ao mais “perna-de-pau” dos adversários.

    1. Meu amigo, eu sou papão e você Leão, mais que leão você parece ser um relógio de corda e daqueles bem antigo. Não esquenta senão o tempo pára.

      1. Metido a intelectual e debochado como sempre. Por isso que o Cassio Andrade achou que você estava sendo racista no seu comentário sobre a Costa do Marfim.

      2. Faça uma reflexão para ver ser o seu problema é complexo de inferioridade. Só pode. Observe também, que foi voce quem começou todas as polêmicas no dia de ontem. Você e o Cássio de Andrade, que não se pronunciou a respeito depois de ser inoportuno, precisam ler, se preciso, mais de uma vez as postagens para atentar para o real sentido que estas endereçam. Agora sobre sua afirmação de eu querer ser metido a intelectual seria bom que voce fosse mais claro quanto a isso, porque não faço mais que o feijão com arroz dos demais participantes. Deboche e gozação são coisas bem diferentes, diferenciar vai da capacidade de assimilação de cada um. Para terminar, procure ser voce mesmo e deixe de recorrer as clonagens para saciar sua revolta.

  9. O gol do Luis Fabiano foi um golaço, raça, técnica e precisão, a matada no peito, no ar , a la Pelé, a visão do gol e o chute fatal, e nenhum dos adversários reclamou, gol de placa, inesquecível.

Deixe uma resposta