Eterno garoto-propaganda, Pelé visita Belém

Um Rei à solta em Belém. Craque da simpatia, Pelé desembarcou na capital paraense na tarde desta segunda-feira (31) para um compromisso profissional: a abertura de mais uma unidade da rede de academias que leva seu nome, a terceira do grupo Pelé Club e a primeira fora da região sudeste (as duas outras unidades encontram-se em São Paulo e Belo Horizonte). “Eu deveria estar na África, mas pedi a permissão da Comissão Técnica da Fifa, da qual faço parte, para vir a Belém nessa data tão especial para mim. Essa academia, uma parceria com o grupo Figer, é uma das coisas mais importantes da minha vida, pois quem me conhece sabe que a lição que quero passar para os jovens é a da valorização da saúde e da qualidade de vida por meio da prática de atividades físicas”, disse Pelé na visita que fez às instalações da academia, que abre suas portas no dia 7 de junho já com 1.000 alunos matriculados. “Se me deixaram um mês treinando nessa academia, volto a jogar!”, brincou. “A aparelhagem aqui é de primeira, o atendimento exclusivo dedicado a cada aluno não existe em outro lugar “, explicou em seguida. 

A Pelé Club dispõe de mais de 7.000 m² de área construída no bairro de Nazaré e foi desenvolvida para receber até 3.500 alunos com o mesmo padrão de estrutura e atendimento de suas outras unidades. Ela se divide em: área para musculação, duas salas de ginástica, uma de bike, duas quadras de squash, duas piscinas, salas de fisioterapia e pilates, cabeleireiro, loja de materiais esportivos, lanchonete e um amplo estacionamento. 

Depois de visitar a academia, o Atleta do Século se dirigiu ao Hangar Centro de Convenções para o evento oficial de inauguração. Em conversa com os jornalistas, ele falou da emoção pessoal de estar de novo na cidade, após 40 anos, desta vez para inaugurar a academia. “Recebi o título de cidadão paraense, sou irmão de todos vocês! Espero que o brasileiro possa a cada dia tomar mais consciência sobre a importância da atividade física para a sua saúde. Estou certo de que o povo de Belém seguirá o mesmo caminho”, agradeceu, não sem antes defender a presença de Paulo Henrique Ganso na Seleção e a liberação de sexo para os jogadores durante o período da Copa. (Fotos: TARSO SARRAF)

18 comentários em “Eterno garoto-propaganda, Pelé visita Belém

  1. PELÉ realmente é uma simpatia. Enquanto a gente vê tanta gente que é chamada de ‘craque’, e não chega nem a engraxar o sapato dele, achando que é o tal, o rei, enquanto era ministro dos Esportes no governo FH, chegava à Base Aérea distribuindo apertos de mão e acenos a todos presentes; de outro lado, J.S., não se dignava nem a olhar no rosto das pessoas.

  2. Não cultuo a personalidade e menos ainda a celebridade nem por isso desprezo o Rei por tirar partido do satatus que construiu. Boas ações é obrigação do Estado. O azar do Pelé foi ter nascido no Brasil. Se argentino, Pelé substituiria o “sol” da bandeira alvi-celeste.

  3. Mil desculpas pela concordancia É. O certo seria SAO obrigações. Desta vez a Flor do Lácio sepultou-me.

    1. O “é” passaria despercebido, mas relacionar o Pelé a Argentina é querer cutucar o Maradona. Melhor que o “Sol” É “ORDEM E PROGRESSO”, não muito levado a sério pelos nossos representantes. Ana Júlia então, JAZ.

      1. VALE ressaltar que ‘boas ações’ não está determinado, ou seja, não está acompanhado de artigo, que obrigatoriamente levaria o verbo para o plural – corrijam-me os mestres da língua de Camões.

  4. “A aparelhagem aqui é de primeira” o rei sabe mesmo das coisas, sera’ q sobrou um tempinho para curtir um tecno.
    Posso estar enganado mas ha alguns anos atras o Edson Arantes nao tinha toda essa simpatia na mangueirosa.
    Agora Tavernard, o Pele’ jamasi nasceria Argentino, pois os boludos liquidaram todos os negros que por la’ existiam.

  5. TAVERNARD, o verbo SER concorda com o predicativo, mas também com o sujeito, se não me falha a memória. Portanto, vc estava certo. Mas atualmente, o que vale é a comunicação. Os linguistas já não ligam para a norma culta.

  6. Que besteira ficarem comentando flexão de verbo, quando o assunto é esse genial Pelé, cidadão do mundo. Mania de paraense, cuja academia de letras tem gente que nunca escreveu um livro e que é disputada até por cronista social.

  7. MABET: Assuntos versáteis é (ou são) o objetivo dessa coluna. Serve para aprendermos um pouco da nossa língua, também. Inclusive dirimir dúvidas. Eu aprendo muito. Será que posso fazer essas concordâncias?

Deixe uma resposta