Datafolha confirma o avanço de Dilma

A pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, atingiu sua melhor marca até hoje numa pesquisa Datafolha e está empatada com José Serra (PSDB). Ambos estão com 37%. O levantamento foi realizado ontem e anteontem com 2.660 entrevistas. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Marina Silva (PV) aparece com 12%. Os que votam em branco, nulo ou em nenhum somam 5%. Indecisos são 9%. Na comparação com a última pesquisa Datafolha, realizada em 15 e 16 de abril, Dilma teve uma alta de sete pontos percentuais – de 30% para 37%. Já Serra caiu cinco pontos, saindo de 42% para os mesmos 37%. Essa é a primeira vez que ambos aparecem empatados no Datafolha, que traz outros números positivos para a petista.

Na pesquisa espontânea, quando os entrevistados não são apresentados a uma lista com os nomes dos candidatos, a curva da intenção de voto de Dilma continuou a descrever uma sólida curva ascendente. Ela tinha 8% em dezembro. Em abril, estava com 13%. Agora, foi a 19% e está isolada em primeiro lugar. José Serra pontuou 14% – ele também vem subindo nesse quesito, mas em ritmo mais lento.

Ainda na pesquisa espontânea, há também 5% que dizem ter intenção de votar em Lula, que não pode ser candidato. Outros 3% declarar querer votar no “candidato do Lula”. E 1% respondem “no PT” ou no “candidato do PT”. Em tese, portanto, o potencial de voto espontâneo em Dilma pode ser de 28% – os seus 19% e mais outros 9% dos que desejam votar em Lula, em quem ele indicar ou em um nome apresentado pelo PT.

2º turno e rejeição

Quando são colocados na lista de candidatos os concorrentes de partidos pequenos, o cenário não se altera muito. Dilma e Serra continuam empatados, cada um com 36%. Marina tem 10%. E só dois nanicos pontuam: José Maria Eymael (PSDC) e Zé Maria (PSTU). Dilma também colheu bom resultado na rejeição: seu índice caiu de 24% para 20% enquanto o de Serra subiu de 24% para 27%. Marina também teve um resultado positivo, pois sua rejeição caiu de 20% para 14%.

Na projeção de segundo turno, os dois estão tecnicamente empatados: a petista tem 46% contra 45% do tucano. Em abril, Serra aparecia dez pontos à frente da petista nesse quesito, com 50% a 40%. (Do Folha Online)

13 comentários em “Datafolha confirma o avanço de Dilma

  1. Que dizer?! O Datafolha teria que entrar no ritmo senão sua credibilidade ficaria ainda mais abalada. E os demotucanos começaram a briga com os fatos!

  2. Sem interesses a defender sinto-me incomodado pela banalização das pesquizas de opinião. Essa ferramenta valiosa para nortear estratégias vem se tornando argumento de convenciomento dos candidatos à presidencia e, logo mais, dos pretendentes aos governos estaduais. Seria bom saber se o público terá “saco” para aguentar tanta pesquiza. Quem já foi abordado (em Belém) pelos pesquizadores, levante pelo menos um dedo.

    1. Tavernard, sinceramente , eu não sei qual o pais que tu vives, quando falas que a pesquisa de opinião está se tornando argumento de convencimento dos candidatos.

      Quando foi usado de forma diferente? me diga?

  3. Gerson,
    Tens assuntos mais importantes para comentar…

    Desse jeito até parecesque andas pegando ponta….
    coisa que não acredito…
    já deu!!! tá demais..

  4. Alberto Lima, tu tens razão, o pais onde vivo não é o meu Brasil. Sobrevivo num Brasil que é o teu também e que merece valores outros.
    Quanto a eficácia do convencimento das pesquizas basta observar as publicações feitas às vesperas dos pleitos. Alberto Lima, convence-te: não temos povo, temos público.

    1. Desculpa Tavernard, mas o meu Brasil é um país muito diferente do seu.

      O meu Brasil tenta melhorar, mesmo com um bocado de gente querendo voltar a ser o que era antes, e torcendo pra que dê tudo errado.

      O meu Brasil está crescendo, e não rotula todo mundo! Não aponta o dedo pros outros esquecendo de olhar pra trás.

      O Meu Brasil está tentando (o que já é muita coisa, pois nesse caso tentar é fundamental) melhorar a vida das pessoas que mais necessitam, pouco se importando se outros acham certo ou não.

      E qual é o teu Brasil? Aonde ele existe ou existiu?

      E isso que pergunto!

      Melhoras são necessárias, concordo, mas temos um problema: se a melhora demora chegar pra alguns, essas pessoas prontamente passam a rotular tudo o que existe fora de seu agrado!

      Sinceramente, acho que não é por aí!

  5. Alberto, posso finalizar mal mas não enrolo o meio campo. Sou um desatrelado político e por isso a vontade para apaludir e criticar sem dar barretadas nem marretadas. A presença do Paul Singer no partido que se apresentava inovador na vida política brasileira ganhou-me a simpatia no seu surgimento assim como todos que se preocupavam com a renovação partidária.
    Simples eleitor, perdi eleições presidenciais. Fui claro agora!. Quanto ao meu Brasil que presuponho teu também, ” os méritos são reconhecidos e os fins não justificam os meios”.

Deixe uma resposta