8 comentários em “Capa do DIÁRIO, edição de domingo, 23

  1. Governo não negocia com professores: Quem disse que educação é levada a sério nesse país?

    Para os políticos educação é sinônimo de construir escolas, ou seja, constroem prédios e destroem ideias.

  2. Amigos, quando vejo em editais salários de médicos e advogados beirando os 4 ou 5 mil reais e o do professor aproximando-se dos 800, fica a pergunta: saúde muda o povo? A justiça muda um povo? Respostas simples poderaim dizer que não. Mas a questão não é retroceder nos salários dessas profissões, mas valorizar o professor no nível desses outros profissionais.

  3. Se você me perguntar o que uma escola precisa,lhe digo: professores, segurança – aqui é polícia mesmo, estrutura como biblioteca bem equipada, número reduzido de alunos por turma (25) independente da verba, acordo com a justição da infência e adolescência para punir adolescente e pais ausentes da escola, Quadras de esporte entre outras coisas.

    1. O Chato disso tudo Carlos, é que todos nós sabemos aonde está o problema…

      Mas a cegueira social é maior que a boa vontade dos homens!!!

      I-N-F-E-L-I-Z-M-E-N-T-E !!!!

  4. E o Lula vive a dizer que o trabalhador está tendo reposição acima da inflação, que a pobreza diminiui, aumentou o nr de trabalho com carteira assinada, tudo por baixo, asalariados, mas na hora o que se vê é essa impotência de poder de compra.

  5. Lembrar FHC não é consolo nem justificativa. Definitivamente, o Brasil não começou em 64 nem foi descoberto pelo Lula. Menos, menos, mais lucidez.

Deixe uma resposta