Luxemburgo: “Só volto aqui como adversário”

A cena foi quase dramática. Vanderlei Luxemburgo aproveitou a entrevista pós-jogo, na Vila Belmiro, para ignorar a derrota (e eliminação) por 3 a 1 e anunciar um factóide. Disse ter tomado uma decisão na vida: nunca mais trabalhará no Santos. Ninguém perguntou, mas o técnico, que teve diversas passagens pelo clube, admitiu ainda estar magoado com as brincadeiras dos jogadores santistas na comemoração do título paulista com os gritos de “Luxemburgo, pode esperar, a sua hora vai chegar”. “Me senti muito magoado. Me senti muito mal, me senti caído. É o ser humano que estava sendo atacado. Eu saio daqui hoje com a cabeça tranqüila, perdi para um time que jogou bola. É pessoal, a minha história com o Santos acabou aqui hoje. Só volto aqui como adversário”, disse Luxemburgo, safando-se de falar sobre a vitória santista em cima do Galo. Antes, porém, reivindicou o mérito pela descoberta de André e pelo “carinho” a Neymar – a quem carinhosamente chamava de “filé de borboleta” quando esteve na Vila. (Com informações da ESPN)

11 comentários em “Luxemburgo: “Só volto aqui como adversário”

  1. O Luxemburgo tem seus defeitos como homem,mais ainda é um dos melhores treinadores do Brasil. Faltou um pouco de respeito dos atletas do Santos com ele,principalmente do Robinho. O Robinho tambem não fica atraz em termos de se achar o máximo,acho que ele se esqueceu que ele veio correndo da Europa e não deu certo em nenhum time de lá. Tomara que o nosso Paulo Henrinque Ganso não pegue essa marra.

  2. Marcelo, havia cantado essa pedra aqui, mas sabe como é a influência da onda midiática. Aos meninos da Vila, incluindo o nosso “Ganso” tudo pode. Acho o Luxemburgo um “pé no saco”, “terror de manicure” e jeito de “bicheiro que usa Giórgio Armani”, mas o desrespeito do Santos não só com ele mas com a equipe do Galo foi despropositada. Aí, a torcida vai no embalo, pois até com o veterano Júnior sacanearam ontem. E ainda teve comentarista que reprovou a atitude do Júnior que tascou-lhe o cotoco para a galera, depois de ser chamado de viado e outros adjetivos. Ser grande é também saber vencer. Esse negócio de empáfia já gerou grandes quedas, Nesse diapasão, cedo cedo vai quebrar o encanto. Falta ao Santos um técnico corajoso para baixar essa péssima influência do Robinho sobre a equipe. Giovanni tem que chegar no “Ganso” e mostrar para o rapaz que o mundo ainda não está sob seus pés e que o apoio midíatico e de torcedor é tão frágil quanto uma cristaleira. O Santos tem que continuar a trazer alegria, não molecagem.

  3. Meu querido Otávio Santos, já avisei várias vezes aqui, não sou o Deputado: sou mais gordo, mais baixo, mais feio e mais pobre. Abs.

  4. Mas o futebol, principalmente o brasileiro, não sobrevive de frieza e diplomacia. Futebol é e sempre será terreno fértil para polêmicas, arte e brincadeiras.

    O problema é que tem se levado futebol muito a sério, daí o aumento da violência de forma paralela. É melhor relaxar.

  5. Pô, Otávio, valeu o elogio! Também acho o Deputado um cara legal, mesmo não o conhecendo pessoalmente. Esse teu sobrenome tá com tudo esse ano, hem? Abs.

Deixe uma resposta