6 comentários em “Capa do DIÁRIO, edição de terça-feira, 4

  1. No Brasil vive-se uma democracia onde o estado de direito deveria prevalecer sobre a barbarie.No entanto, e em consequência de multifatores, o estado brasileiro está sendo incapaz de dar respostas à sociedade, pois é uma “máquina enferrujada”, cara e burocrática em demasia, facilitando a corrupção desenfreada e institucionalizada. Esta( corrupção) por sua vez, geradora de violência direta e indireta contra a sociedade. Entendo ser este, o quadro definido em seu aspcto macro. Nossa sociedade precisa urgentemente de Reformas , pois da forma como está estruturada, dificilmente encontrará o caminho da civilidade, necessária ao bem estar de seus viventes. A primeira de todas as reformas deve ser a política.E só e somente só, a partir dela poderemos vislumbrar as mudanças que sempre estamos cobrando como : Fim da impunidade( certeza da punição), tolerância zero, educação como propulsora do desenvolvimento em todos os seus aspectos, mudança na estrutura das polícias ( transformando-as em polícia única) e poder fiscalizatório do estado eficiente. Enquanto não nos dermos conta que essa é a verdadeira mudança ficaremos lamentando essa violência diária. Várias pesquisas acadêmicas já tem demonstrado que um outro fator macro da violência é essa economia informal, marginal e bandida tolerada e as vezes até travestida de pseudo legalidade proporcionada por leis fajutas permitindo determinadas atividades, que não as citarei para não melindrar os corporativistas de plantão. A tolerância das autoridades,a falta de fiscalização e presença do estado são também estímulos a prática da violência.

  2. Digo : “A tolerância das autoridades, a falta de fiscalização e AUSÊNCIA do estado são também estímulos a prática da violência.”

    1. Não Ricardo, não precisamos de reformas… aliás, sempre que se tentou reformar (e quando se reformou mesmo), as coisas pioraram. Precisamos mesmo é de uma revolução, precisamos nos reinventarmos! O Brasil é casa velha e apodrecida estabelecida em terreno movediço.

  3. Será que os tempos são ainda de revoluções Daniel? Acredito que no quadro mundial atual não há espaço para revoluções. O caminho é a mobilização da sociedade para que se consiga a Reforma política.

Deixe uma resposta