Santos, Galo e Grêmios, os novos campeões

Por Mauro Cezar Pereira

Foi mais difícil do que a maioria das pessoas esperava.
A arbitragem foi muito ruim. Mas errou contra os dois lados.
Neymar é genial, jovem craque, mas se atira demais, não precisa ser cai-cai, mas é.
Ganso deu mais uma desmontração de talento e maturidade.
O Santo André é (ou era) muito bom time, mas deve se desmanchar a partir de agora.
Robinho deu passe fantástico no primeiro gol e roubou a bola e iniciou a jogada do segundo.

GALO CAMPEÃO
No primeiro tempo o Ipatinga não finalizou uma vez sequer.
O Atlético marcou e bloqueou o adversário para não correr o menor risco no Mineirão.
Diego Tardelli, para manter a boa fase, marcou seu quarto gol em em dois jogos.
A festa ficou completa com Marques reaparecendo e fazendo 2 a 0.
Que passe de Ricardinho no segundo gol do Galo!
Mas o grande desafio da semana é outro: eliminar o Santos da Copa do Brasil.

GRÊMIO
No primeiro tempo o Internacional fez 1 a 0, Giuliano. Falha do ótimo goleiro Victor.
Ao final do cotejo, era 16 finalizações do Grêmio (oito certas) e seis do Inter (uma correta).
O triunfo justíssimo na primeira partida justifica inteiramente o título tricolor.
Jorge Fossati voltou a poupar titulares pensando na Libertadores. E quase chega ao que precisava.
Com reservas, o Banfield venceu o Huracán (1 a 0). Mais uma vez o Inter precisará vencer por 2 a 0.
Se não conseguir, a festa gremista será completa.

11 comentários em “Santos, Galo e Grêmios, os novos campeões

  1. Como não se render a um futebol de gênio que foi visto por todos hoje de um jogador que vai ser um dos maiores camisas 10 da seleção, Paulo Henrique o “Ganso” ganhou o titúlo sozinho é coroou uma brilhante campanha da equipe santista que poderia ir por água abaixo se não fosse esse ilustre paraense.

    O Santo André um time que não desistiu em nenhum momento onde no final do jogo onde ninguem tinha mais perna pra correr em campo um cruzamento vindo da direita com um leve toque do belissomo jogador Rodriguinho onde o sobrenatural de almeida deu um leve toque que bateu na trave coroando essa belissima apresentação desse gênio(Ganso) e danto titulo ao Santos.

    ABRE O OLHO DUNGA.

  2. Que jogaço esse do Santos e Santo André. Houve todos os ingredientes de uma grande final. Foi bonito ver o Santo André encarar os santistas sem medo e mostrando um bom futebol. Estão de parabéns os jogadores do Santo André e o técnico que mostrou que tem tudo pra brilhar futebol.

    Mas, independente de qualquer coisa, o Santos foi merecedor do título, por tudo que fez no campeonato, e neste final.

  3. Nossa, amigo Gerson, se o Santos perdesse esse título, hoje, seria uma grande injustiça. Parabéns ao Santos. Parabéns ao Técnico Dorival Júnior. Parabéns a Neimar, Robinho e Ganso. ganhou o título, o melhor time ao longo de todo o Campeonato.

  4. Com o devido respeito a opinião de todos, mas se o Santo André ganha o título, ficaria em boas mãos também, uma vez que, o futebol apresentado pelo Santo André, foi digno e venceu a equipe mais forte na atualidade. Outro ponto, o árbitro não quis se complicar, deixou de marcar duas faltas em favor do Santo André no final do jogo, como também não marcou um sola descarada do Robinho, dando sequencia áo belíssimo passe da calcanhar para o Neymar concluir de pé canhoto.
    Em tempo: Gerson, se o Dunga não convocar o Ganso, é no mínimo sacanagem.

  5. Gerson,

    Embora eu seja atualmente avesso às competições estaduais, o jogo de hoje entre Santos e Santo André teve todos os ingredientes de uma final digna de torneios como a Champions League, o Campeonato Brasileiro ou mesmo a Copa do Mundo. E há tempos não me empolgava e nem me emocionava com jogadas como a do segundo gol santista: uma pintura, uma obra de arte que me fez remorar as jornadas gloriosas dos grandes times dos anos 80, e fez meu pai, notoriamente mais velho, recordar com doses de nostalgia os plásticos e belos esquadrões dos anos 70 e 60. Realmente foi de empolgar e emocionar.
    Quanto ao PH Ganso, nada de novo a dizer, mas… ratificando: jogador de estilo clássico, com ótima leitura de jogo, passes milimétricos e refinados e de grande personalidade – a recusa em ser substituído por Dorival Júnior é emblemática neste aspecto. Tem tudo para se tornar um fora-de-série elevado ao quadrado. E como futebol é momento, merece, sem pachequismos ou bairrismos – afinal, é filho de nossa estimada e maltratada terra – ser convocado pelo técnico anão no nome e nas idéias.
    O time do Santos pode até não alçar vôos mais altos, mas seu estilo de jogo resgata a tradição de nosso futebol e, por ora, tenta restabelecer o vínculo com nossa própria história no esporte, que há tempos está relegada ao litígio por conta de “mestres”- da retranca, do ferrolho e do futebol divorciado da técnica – como Muricy Ramalho, Cuca, Zagallo, Mano Menezes, Lazaroni, Parreira, Dunga e outros pelo Brasil afora.

  6. O Santos fez juz ao título pelo belo futebol mostrado durante a campanha paulista. Nos jogos decisivos (finais) imereceu o resultado que lhe foi favorável. Individualmente os santistas foram superiores (no campeonato) mas o Santo Andre foi igual em equipe e até superior nos jogo finais.
    O Santo André perdeu por um goal, marcado legitimamente e anulado incompetentemente.
    Enquanto Nilmar (apesar do goal marcado) não foi o que dele se esperava, Paulo Henrique sobrou em campo mostrando ao Dunga mais uma vez suas qualidades de craque para merecer vaga na seleção. Aliás as qualidades do conterraneo são superiores em muito dos muitos que já tem vagas garantidas na lista do dia 11.
    Malandragem, no bom sentido, é atributo também de um craque da bola mas não deve ultrapassar os limites, por isso um conselho despretenciosos ao talentoso NILMAR : ” malandragem demais atrapalha e prejudica”.
    Não existe derrota honrosa mas existe vitória com gosto de derrota. O Santo André ganhou a batalha mas não ganhou a guerra, terminou vitorioso e saiu derrotado. Ao Santos agradecemos pelo futebol que nos tem brindado. Ao Santo André, nossos reconhecimento e respeito pelos méritos do futebol/equipe que lhe fez finalista e que por pouco não lhe deu o título paulista.

  7. ACHO QUEM DEU UM LEVE TOQUE NAQUELA BOLA NO FINAL, PARA NÃO ENTRAR,FOI O ARMANDO NOGUEIRA QUE AONDE ESTIVER,DEVE ESTÁ ENCANTADO COM OS MENINOS,E O QUE ELE NÃO FALARIA DE GANSO???UM GÊNIO…

Deixe uma resposta