Cametá vence Paissandu e entra no G-4

O Cametá derrotou o Paissandu por 4 a 3, de virada, na tarde deste sábado, no estádio Parque do Bacurau, depois de ser derrotado no primeiro tempo por 3 a 1. O resultado põe o Cametá no G-4 do returno, com 10 pontos ganhos e grandes chances de ir à semifinal. O Paissandu se mantém em segundo lugar, com 10 pontos (melhor saldo). A sexta rodada será completada neste domingo com os jogos Independente x Águia, em Tucuruí, e S. Raimundo x Remo, em Santarém.

Na partida desta tarde, o Paissandu entrou em campo com postura ofensiva, surprendendo os donos da casa. Logo a um minuto, Tiago passou a Moisés junto à área cametaense. O atacante avançou, atraiu a marcação de dois zagueiros e cruzou para a entrada da área. Sandro chegou disparando à meia altura, sem defesa para Evandro. 1 a 0.

O Paissandu continuou buscando o gol, aproveitando a confusão reinante na zaga cametaense. Aos 9 minutos, a vantagem foi ampliada depois de uma cobrança de falta, sofrida por Tiago. Sandro cobrou com perfeição para o cabeceio do meia William, que se posicionou entre os defensores do Cametá.  

O domínio do Paissandu era tranquilo, sem que o Cametá oferecesse qualquer sinal de reação. Aos 18 minutos, Tiago quase marcou um gol olímpico em cobrança de escanteio. A bola bateu no poste esquerdo de Evandro, mas Moisés furou e desperdiçou o rebote. Logo em seguida, Torrô tentou um chute a gol no primeiro ataque cametaense.

Aos 21, o lateral-esquerdo Souza avançou até a entrada da grande área e disparou um chute que passou raspando a trave direita de Fávaro. O meio-campo do Cametá passou a se adiantar mais e as chances começaram a surgir à entrada da área do Paissandu. Aos 24, Américo ganhou disputa de jogada com Alexandre e tocou para Jaílson marcar o primeiro gol do Cametá, desviando na saída de Fávaro. Os jogadores do Paissandu reclamaram uma infração de Américo no lance, mas o árbitro corretamente validou a jogada.

Acuado na defesa, o Paissandu pouco se aventurava em lances de ataque. Somente aos 32 minutos, Moisés saiu em contra-ataque, passou pela marcação e invadiu a área. Bateu forte para o gol, mas Evandro salvou. Na sequência, o volante Wilson escorou cruzamento e quase empatou o jogo. Aos 37, Jaílson entrou na área e foi derrubado por Alexandre, que aplicou carrinho, mas o árbitro não assinalou o pênalti.

Aumentava a pressão do Cametá pelo empate. Aos 41, Jaílson foi à linha de fundo e cruzou para Torrô cabecear rente ao travessão. Só que aos 45, num lance isolado, Tiago Potiguar bateu falta de longa distância e Sandro desviou para as redes. Paissandu 3 a 1.

No intervalo, o técnico Vítor Jaime substituiu Everton por Tetê e João Gomes por Rodrigo. As modificações deram resultado. O Cametá retomou a pressão dos instantes finais do primeiro tempo e passou a lutar para descontar. Aos 5 minutos, Américo cruzou perigosamente, mas Vítor Hugo cortou quando Jaílson ia disparar para as redes.

Aos 12, Dudu cobrou falta da entrada da área e venceu Fávaro. Com o placar em 3 a 2, o Cametá se lançou ainda mais à frente, com Jaílson, Tetê e Torrô pressionando seguidamente. No instante seguinte, Torrô ia invadir a área livre, mas foi marcado impedimento. Aos 14, Vítor Jaime trocou Américo por Balão e mudou a história do jogo, pois passou a ter três atacantes fixos em cima da zaga alviceleste.

O Cametá chegou ao empate aos 26 minutos. Balão passou por Edinaldo, foi à linha de fundo e cruzou para a finalização de Jaílson, que se antecipou a Alexandre. Fávaro ainda tocou na bola, mas não impediu o gol. Charles tira Moisés, que teve atuação apagada, e põe Eanes em campo. Logo a seguir, aos 34, Torrô desvia para as redes outro cruzamento perfeito de Balão. Em seguida, comemora tirando a camisa e é expulso de campo.

Aos 43, um tiro livre indireto quase determinou novo empate. Sandro bateu a infração, a bola resvalou na barreira e os jogadores do Paissandu protestaram pedindo a marcação de pênalti, que não existiu. Aos 47, Balão recebeu a bola diante de Edinaldo e Alexandre. Driblou o primeiro e disparou forte, mandando a bola na trave esquerda. No final da partida, enquanto a torcida comemorava, comissão técnica e jogadores do Paissandu reclamaram do uso de spray de pimenta nos vestiários.

A renda somou R$ 20.110,00, para um público total de 2.428 pessoas, sendo 2.161 pagantes e 267 credenciados. (Fotos: TARSO SARRAF/Bola)

Joel decide continuar no Botafogo

Tudo caminhava para Joel Santana aceitar o convite do Flamengo. O treinador estava disposto a encarar o desafio da Libertadores da América. Porém, após os inúmeros pedidos dos jogadores e também de membros da diretoria do Botafogo, o Natalino, comovido, decidiu pela sua permanência no Alvinegro. “Queria escutar meu coração, ele me disse que devia permanecer no Botafogo, pois fui muito bem recebido aqui. Agradeço à diretoria pelo apoio desde que cheguei”, disse o treinador.

No treinamento deste sábado pela manhã, em General Severiano, Joel Santana compareceu ao clube, mas não comandou o treino. Os indícios eram fortes que o treinador trocaria o Botafogo pelo Flamengo. Com Joel seguindo no Botafogo, a festa do título estadual está mais do que completa. Neste domingo, o Alvinegro encara o Corinthians, às 18h30, no Engenhão.

“A diretoria ficou muito satisfeita pela decisão do Joel porque a postura durante todo o processo foi ética, conduzindo a negociação de uma forma muito transparente”, afirmou o presidente Mauricio Assumpção. A reviravolta no caso caiu como uma “bomba” no Flamengo. Afinal, todos do clube rubro-negro já davam como certa a transferência de Joel Santana, tanto que o anúncio oficial estava programado para ser realizado na tarde deste sábado, durante o treinamento no CT Ninho do Urubu, em Vargem Grande.

Sem Joel, a presidente Patrícia Amorim tentará contratar um novo técnico para a sequência da Libertadores e disputa do Campeonato Brasileiro. Celso Roth, Abel Braga e até Muricy Ramalho, que está praticamente fechado com o Fluminense, são as opções. Na próxima quarta, o Flamengo recebe o Corinthians, no Maracanã, pelas oitavas de final da competição sul-americana. (Do UOL)

Há sete anos, na Bombonera…

Em pé, da esquerda para direita: Tinho, Ronaldo, Jorginho, Luiz Fernando e Rodrigo. Agachados: Lecheva, Vélber, Iarley, Vânderson, Robson e Sandro Goiano.

TAÇA LIBERTADORES – OITAVAS DE FINAL

BOCA JUNIORS 0 X 1 PAISSANDU
Data: 24/04/2003
Local: La Bombonera, em Buenos Aires
Árbitro: Carlos Amarilla (PAR); auxiliares: Ubaldo Aquino (PAR) e Miguel Giacomuzzi (PAR)
Cartões amarelos: Iarley, Ronaldo, Cascini, Donnet
Cartões vermelhos: Róbson, Vanderson, Clemente Rodríguez
Gol: Iarley, aos 23 minutos do 2º tempo.

BOCA: Abbondanzieri; Ibarra (Calvo), Burdisso, Crosa e Clemente Rodríguez; Battaglia (Moreno), Cascini, Cagna (Tévez) e Donnet; Guillermo Barros Schelotto e Delgado. Técnico: Carlos Bianchi.

PAISSANDU: Ronaldo; Rodrigo, Tinho, Jorginho e Luiz Fernando; Lecheva, Vânderson, Sandro e Iarley; Vélber e Robson. Técnico: Daryo Pereira.

Uma dica de grande matéria

Imperdível a longa e gostosa entrevista concedida pelo cantor Guilherme Arantes a Monica Bergamo, que o DIÁRIO publica neste domingo no caderno Você.

Um trechinho da matéria: 

Compôs, com Nelson Motta, “Marina no Ar” para Marina Lima. “Quem pegou ela foi o Nelsinho, que também adora uma encrenca. Em 1979, na praia, ela deitou na canga e tirou a parte de cima do biquíni. Meu organismo de paulistano bobão deu resposta imediata. Pediu pra eu passar óleo de coco nas costas dela. Fiquei num estado… Mas não avancei. Tinha certeza que ia dar na trave.  

Ficha técnica: Cametá x Paissandu

CAMETÁ x PAISSANDU

Local – Estádio Parque do Bacurau, às 16h

Cametá – Evandro; Américo, Tonhão, João Gomes e Souza; Wilson, Dudu, Paulo de Tárcio e Everton; Jaílson e Torrô. Técnico: Vítor Jaime.

Paissandu – Fávaro; Allax, Vítor Hugo, Alexandre e Edinaldo; Tácio, Sandro, William e Tiago Potiguar; Bruno Rangel e Moisés. Técnico: Charles Guerreiro.

Árbitro – Andrey da Silva e Silva; auxiliares – Fernando de Brito Miranda e Alexandre Max Albuquerque.

Ingressos – R$ 15,00.

Na Rádio Clube – Valmir Rodrigues narra, Gerson Nogueira comenta; reportagens: Dinho Menezes.