Paraense redesenha mascotes de clubes

Uma iniciativa interessante e criativa começa a decolar, através do blog do desenhista paraense Emerson Coe (o Emerson Coe Art Blog – emersoncoe.blogspot.com). Com um traço moderno e na linha dos comics, Emerson idealizou o projeto Mascotes do Futebol Paraense. Acima, o Leão Azul e o Papão da Curuzu estilizados, com linhas que remetem aos super heróis dos quadrinhos. Segundo Emerson, esse projeto foi encomendado pela agência DC3. “Procurei dar uma cara moderna pra eles algo próximo dos desenhos animados”, explica. Abaixo, os mascotes do Independente de Tucuruí, o Galo Elétrico, e do São Raimundo, a Pantera.

Já vai tarde

A Federação Nacional dos Jornalistas e os Sindicatos de todo o Brasil programam ações para esta sexta-feira, 23 de abril, quando  Gilmar Mendes transfere a presidência para o ministro Cezar Peluso. Dos onze ministros do STF, quatro já foram presidentes (Celso de Mello, Marco Aurélio, Ellen Gracie e Gilmar Mendes).
 
Desde 2008, enquanto Gilmar esteve à frente do STF, uma série de decisões tomadas deixou claro que critérios técnicos foram preteridos em função de outros, no mínimo escusos. Sob sua gestão, o Supremo também aboliu a Lei de Imprensa, transformando o Brasil no único país do mundo sem regulação para o setor. E além de dar declarações que extrapolavam suas atribuições, libertar o banqueiro Daniel Dantas e criminalizar os movimentos sociais, o presidente do STF foi o principal responsável pela derrubada da exigência do diploma para o exercício do jornalismo, em julgamento realizado em 17 de junho de 2009.
 
O ministro, indicado para o cargo pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, foi o relator do Recurso Extraordinário 511961 do Sindicato das Empresas de Rádio e TV de São Paulo contra a exigência do diploma. Mais uma vez escolheu o lado mais forte. Votou em defesa dos grandes empresários de comunicação. 
 
No dia do julgamento, Mendes demonstrou má-fé e, no mínimo, desconhecimento sobre a profissão, ao contrário do que se espera do representante máximo do Judiciário. “A profissão de jornalista não oferece perigo de dano à coletividade tais como medicina, engenharia, advocacia nesse sentido por não implicar tais riscos não poderia exigir um diploma para exercer a profissão. Não há razão para se acreditar que a exigência do diploma seja a forma mais adequada para evitar o exercício abusivo da profissão”, disse, demonstrando ignorância sobre o fazer jornalístico.

Gilmar Mendes chegou a comparar a profissão de jornalista com a de cozinheiro. “Um excelente chefe de cozinha poderá ser formado numa faculdade de culinária, o que não legitima estarmos a exigir que toda e qualquer refeição seja feita por profissional registrado mediante diploma de curso superior nessa área. O Poder Público não pode restringir, dessa forma, a liberdade profissional no âmbito da culinária”.
 
A luta pelo restabelecimento do diploma prossegue no Legislativo. E cabe a nós, jornalistas, estudantes e professores de Jornalismo de todo o Brasil, continuar acompanhando, pressionando e lutando contra as decisões elitistas e equivocadas tomadas pelo STF. Defender a regulamentação profissional dos jornalistas é lutar pela democracia e contra a sanha desregulamentadora e desreguladora que atinge não somente a nossa categoria, mas muitos outros segmentos dos trabalhadores e da sociedade. (Texto distribuído pelo Sindicato dos Jornalistas do Pará)

Uma foto “quase” histórica

O cenário é um velho pub irlandês de Madri, em torno de uma inocente mesa de totó. As fotografias irão ilustrar um anúncio da griffe Louis Vuitton a ser publicado durante a Copa. Personagens: Zinedine Zidane, Diego Maradona e o Rei Pelé. A fotógrafa é Annie Leibowitz, uma das mais conceituadas do planeta. No entanto, as imagens que correrão o mundo não são verdadeiras. Maradona se atrasou demais e, quando chegou ao pub, às 19h30, Zidane e Pelé já tinham ido embora. Eles chegaram pontualmente às 15h, mas o ídolo argentino, aparentemente disposto a manter a ferro e fogo a rivalidade com Pelé, preferiu se apresentar quando não havia mais nenhum risco de um encontro com ambos.

Graças ao photoshop, as fotos foram sobrepostas e resultaram nesse flagrante acima. Zidane e Pelé disputaram uma partida de totó enquanto faziam hora à espera de Dieguito. O resultado do jogo só será divulgado nesta sexta-feirta. A marca buscou reunir num só ambiente a “santíssima trindade” do futebol: três jogadores que mudaram a história do esporte pelo seu talento e genialidade. Não se tem ideia do valor pago a cada um, mas há especulações de que a griffe desembolsou cerca de US$ 1,2 milhão com o trio.

Maldini sob investigação na Itália

A Promotoria de Milão investiga o ex-jogador Paolo Maldini por um suposto caso de corrupção e de acesso ilícito ao sistema de informática da Agência Tributária da Itália. Segundo a Justiça do país, o ex-capitão do Milan e a sua mulher, Adriana Fossa, fazem parte de uma lista de 43 pessoas indagadas pela Promotoria por supostas práticas ilícitas para obter benefícios fiscais. A investigação do ex-jogador foi iniciada após a descoberta, por escuta telefônica, de uma conversa dele por telefone com Luciano Bressi em janeiro de 2009. Bressi trabalhava na Agência Tributária em Milão e foi preso em junho do ano passado por corrupção.

Na conversa, segundo a Promotoria, Maldini pediu a Bressi para que lhe concedesse uma informação fiscal sobre Alessandro Paolo Baresi – irmão do também ex-zagueiro do Milan Franco Baresi – com quem faria sociedade em um investimento imobiliário na região da Toscana (centro da Itália). Segundo a promotora Paola Pirotta, Maldini agiu de modo ilícito, com ajuda de Bressi, para obter os dados. Além disso, como consta nas atas da investigação, o ex-capitão do Milan teria pedido a Bressi para que evitasse controles fiscais à sociedade “Velvet”, da qual Maldini é gerente e acionista majoritário, e cuja representante legal é sua mulher. Por meio de comunicado, o advogado do ex-jogador, Danilo Buongiorno, afirmou que Maldini e a mulher deveriam se encontrar entre os lesados e não entre os investigados. (Da Ag. Efe e Folhaonline)

Tribuna do torcedor – 17

Por Rui Cidarta (ruicidarta@yahoo.com.br)

Caro Gerson, sou torcedor fanático pela Rádio Clube. Dou meus parabéns pra você e toda equipe clube. Quando li a matéria no Bola de hoje, não poderia deixar de escrever. Por mais televisão, computador e outras coisa mais, o radinho com a Clube não tem igual. Lia a matéria e lembrava da minha mãe: ” Você é igualzinho ao seu bisavô escutando esse rádio, quando ele escutava a PRC-5″. Aí, podem dizer foi influência dele. Porém, não conheci nem meu avô muito menos o bisavô. O que quero dizer: quem entende de esporte, sabe o que escuta. Parabéns pela clube e pelo Botafogo!

Astro inglês é o mais bem pago do mundo

O inglês David Beckham, que atua no Milan, e a dupla formada por Cristiano Ronaldo e Kaká, ambos do Real Madrid, lideram a lista de jogadores de futebol mais bem remunerados do mundo, publicou nesta quinta-feira a revista norte-americana “Forbes”. Apesar de estar na fase final de sua carreira, Beckham, 35, é o atleta que mais gera receitas anuais, com US$ 40 milhões (mais de R$ 70 milhões) – valor impulsionado pelos contratos publicitários que mantém com grandes empresas.

Cristiano Ronaldo recebe do Real Madrid US$ 15,5 milhões pela temporada, mas também aproveita sua imagem para dobrar a quantia. Já Kaká leva aproximadamente US$ 25 milhões. O “top 10” elaborado pela Forbes segue com mais um brasileiro, Ronaldinho, do Milan, com valor quase similar ao do compatriota – e na frente do atual melhor jogador do mundo, o argentino Lionel Messi. (Do Folhaonline)

Os 15 primeiros da lista:

1º – David Beckham – US$ 40 milhões
2º – Cristiano Ronaldo – US$ 30 milhões
3º – Kaká – US$ 25 milhões
4º – Ronaldinho – US$ 25 milhões
5º – Thierry Henry – US$ 24 milhões
6º – Lionel Messi – US$ 20 milhões
7º – Frank Lampard – US$ 17 milhões
8º – John Terry – US$ 16 milhões
9º – Zlatan Ibrahimovic – US$ 16 milhões
10º – Steven Gerrard – US$ 15 milhões
11º – Wayne Rooney – US$ 15 milhões
12º – Samuel Eto’o – US$ 13 milhões
13º – Fabio Cannavaro – US$ 12 milhões
14º – Rio Ferdinand – US$ 11 milhões
15º – Francesco Totti – US$ 11 milhões

Luxemburgo também pede Neymar no escrete

O técnico Vanderlei Luxemburgo, do Atlético-MG, é o mais novo defensor da presença do santista Neymar na Copa do Mundo. O ex-comandante da equipe da Vila Belmiro declarou nesta quinta-feira por meio do Twitter e do seu blog que não existe nenhum problema em dar sua opinião sobre a os convocados do técnico Dunga na Seleção Brasileira. Além disso, afirmou que já havia previsto que Neymar era diferenciado quando treinou a jovem revelação no segundo semestre de 2009. “Defendo sua ida à Seleção Brasileira e acredito que esta não seja uma posição antiética e nem incoerente. Temos o direito e o dever de dar nossa opinião e cabe ao técnico da seleção avaliar o que é bom e ideal para ele.”

“Realmente há seis meses coloquei o Neymar por várias vezes no banco de reservas. Acontece que, naquela oportunidade, existia um questionamento sobre o futuro de Neymar, sendo que alguns já diziam que ele não era tudo isso ou até mesmo não iria vingar no futebol”, se explicou Luxemburgo sobre ter deixado o atacante no banco antes da chegada de Dorival Junior à Vila. “Procuramos preservá-lo dando-lhe uma atenção especial na parte de fisiologia onde ele acabou ganhando três quilos de massa muscular e jogando as últimas partidas. Sempre afirmei que se tratava de um jogador diferenciado e com um futuro brilhante. Seu sucesso hoje se deve ao excelente trabalho do Dorival Júnior, que montou uma grande equipe de futebol”, completou.

Luxemburgo vai reencontrar o ex-time e a promessa Neymar nas quartas de final da Copa do Brasil. O Atlético-MG eliminou o Sport das oitavas nessa quartas-feira e agora enfrenta o Santos, que deixou para trás o Guarani. (Da ESPN)

Coluna: Um precioso aniversário

Quando um ente querido aniversaria, a gente normalmente transforma a data em motivo para festejos, encontros e homenagens. Pois hoje é dia de fazer um barulho danado porque instituição importantíssima, dos poucos orgulhos que nos resta neste Pará tão pouco valorizado pelos seus filhos – há quem planeje até esquartejá-lo, reduzindo-o a quase nada –, faz aniversário. A nossa Rádio Clube, quarta emissora criada no Brasil, está no berço e cada vez mais presente na vida dos paraenses.
Nesses 82 anos de vida, a PRC-5, voz que fala e canta para a planície desde os idos de 40 e 50, desafiou todas as teorias derrotistas que apontavam o rádio como veículo fadado à extinção depois que a televisão tomou a dianteira e caiu no gosto médio da população no Brasil. Ledo engano. A Clube seguiu altaneira, poderosa e campeã nos lares, bares, esquinas e estádios paraenses.
Pela parte que me toca, posso atestar que os astros da emissora nos anos 60/70, Edyr de Paiva Proença à frente, rivalizavam em pé de igualdade no velho rádio Transglobe lá da casa de meu pai em Baião com os estelares Waldyr Amaral, Jorge Cúri, João Saldanha, Doalcei Bueno de Camargo, Fiori Giugliotti, Rui Porto e Mário Vianna.
Nos dias que correm, a banda esportiva da programação continua imbatível, referência absoluta no futebol paraense. Ninguém, em sã consciência, acompanha um jogo de futebol – no estádio ou pela TV – sem se valer da credibilidade dos informes da emissora.
Sou suspeito, obviamente, pela condição de orgulhoso integrante da equipe de Guilherme Guerreiro, desde a Copa de 2006, mas a audiência predominante em todos os segmentos valida minha opinião. A verdade é que, mesmo nos piores momentos dos nossos clubes, a emissora sempre foi um ponto de referência, até por que não se faz futebol no Pará sem sua luxuosa presença. Parabéns, Clube. 
  
 
Ao ver o Flamengo desfilar passes errados e chutes a esmo fica difícil imaginar que, há apenas quatro meses, esse time era incensado como melhor do Brasil. Mais inacreditável ainda é a atual performance de seu principal jogador na conquista do título nacional. Adriano, em meio a escaramuças extra-campo, tornou-se uma nulidade no ataque rubro-negro – com presença incerta na Seleção Brasileira que estará disputando a Copa daqui a um mês e pouco.
Contra o tosco time do Caracas, cujo fraquíssimo goleiro aceitou duas bolas fáceis em chutes do Flamengo, os campeões brasileiros deixaram a clara impressão de que irão passar em brancas nuvens pela Taça Libertadores, caso não mudem drasticamente a forma de jogar.
 
 
Comunidade botafoguense, ainda entusiasmada com a conquista do título carioca, realiza grande comemoração neste sábado, a partir das 13h, no Bistrô Baú, na D. Romualdo de Seixas. Será o Feijão do Fogão Campeão, organizado por Jorge Ohana e Dênis Cavalcante.  

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta quinta-feira, 22)