Serra e as privatizações – a foto proibida

Por Rodrigo Vianna

Recebo, do leitor Giovani, uma foto que José Serra não gostará de ver exibida durante a campanha eleitoral: o então ministro do Planejamento (!) de FHC aparece durante o leilão de uma companhia elétrica, a Escelsa. A legenda, no canto à direita, informa: “a privatização do setor tinha, então, início oficial”. Isso foi em 1995. A “privatização do setor” – os brasileiros não esquecem – conduziria o Brasil ao apagão, no glorioso segundo mandato de FHC.

A foto – que está num livro sobre os 40 anos da Eletrosul – fazia parte do acervo da extinta Bolsa do Rio. Com a imagem, o leitor Giovani enviou-me singela legenda: Ele ficou bonito na foto né?  Isso é característico nas pessoas que trabalham naquilo que gostam”. Maldade do Giovani…

Serra nem pode ser apresentado como o campeão das privatizações entre os tucanos. Havia gente com muito mais disposição para vender tudo – inclusive Banco do Brasil e Petrobrax (como eles diziam) , se tivessem tido a oportunidade. Sobre a farra privatista, não há exagero nenhum em dizer que os tucanos queriam vender  Banco do Brasil; vejam aqui o que o Paulo Henrique Amorim publicou: documento de 1999 mostra que a privatização do BB estava em estudo dentro do governo FHC – http://www.conversaafiada.com.br/economia/2010/04/16/fhc-queria-vender-o-banco-do-brasil/.

Serra fez parte daquele governo. Era ministro de FHC, segurou o martelo com gosto, e apareceu na foto. A foto pegava bem naquela época, em que se dizia que o Estado era “o atraso”…. Época em que FHC prometia “enterrar a era Vargas”. Mas a foto pode assustar eleitores hoje, quando o Estado se mostrou fundamental para que  Brasil enfrentasse a crise de 2008.

Parte da base de apoio dos tucanos, especialmente na classe média, segue a acreditar que  “o Estado é atraso”. Serra terá que agradar essa gente, ao mesmo tempo em que precisa mostrar que não voltarão os tempos das privatizações a preço de banana, do desrespeito com o patrimônio público brasileiro. Será uma campanha de malabarista. Pra isso, Serra já escalou Jabor pra defender a privatização da Infraero, enquanto ele – o candidato – diz que “veja bem, eu não quero privatizar, posso só conceder uns aeroportos por aí” – http://www.rodrigovianna.com.br/radar-da-midia/jabor-entra-em-erupcao-e-assusta-flamenguista.

23 comentários em “Serra e as privatizações – a foto proibida

  1. Não vejos as privatizações como um mal ao país, vejamos a Vale, quanto arrecadava e quanto empregava, hoje é uma das maiores empresas do mundo, emprega milhares e paga impostos generosos ao governo, além de ter como acionista o próprio governo, telefone , como era e como é hoje?? Diferente de estatais, administradas por mera indicação política, com desvios já comprovados, com obras sempre superfaturadas.

    1. Talvez, mas bom mesmo seria ela ter sido privatizada com o dinheiro dela e não do BNDES!

      Vejamos a venda, seu vaor de venda foi irrisório já queo “brilhante” e também sócio (que coincidência!!) daniel dantas, fez levantamento apenas dos ativos, e “esqueceu”de considerar 150 anos, eu disse CENTO E CIQUENTA ANOS DE EXPLORAÇÃO nas jazidas de carajás!
      Vejamos a telefonia Hoje o Grupo OIressati. Ops! Jeressati controla 80 da telefonia fixa comutada no Brasil. As alegações foram as privatizações que causarama melhora, mas na verdade foi a evolução tecnolócica que permitiu isso, já que que era humanamente impossível expandir sistema eletromecânicos (centrais gigantescas para poucos assinantes).Hoje, em um servidor com o da OI, que se assemelha ao do bradesco (também sócio), cabem todos os assinantes do Brasil! A privatição foi tão boa que a OI é a campeã mundial de reclamações de serviços!
      Alguns sócios da OI são estrangeiros que compraram ações, esses mesmos estrageiros são Estatais de países como a Alemanha (melhor sist de telecom do mundo) e não pensam em privatizar.

      A Celpa: Essa nem dá pra fazer comparações, basta atentar pra qualidade dos serviços.
      E o mais engraçado, falam de indicações políticas, mas o novo presidente da CELPA o Eng. Flávio Decat de Moura era do sistema Eletrobras, foi meu chefe, e é altamente competente. Ora! Como a Celpa contrata um ex-presidente de estatais??
      Aqui pelos corredores da Eletrobras Distribuição, já corre em boca pequena a compra da CELPA, já está sendo comprado Goiás, a CEMIG comprou a Light e a CEMAT e a COELCE são as próximas!
      Fui funcionário da CELPA durante 10 anos, e digo uma coisa: Aquilo é podre!
      Sou engenheiro de projeto e construções na Eletrobras, faço projetos de expansão do sistema elétrico (com a equipe é claro), orçamentos de Obras, gerencio algumas e afirmo tranquilamente: Não vejo superfaturamento algum! talvez exista, não nego, mas em empresas privadas é maior e mais fácil!
      Aí dizem: “Ora, mais o dinheiro é deles!”
      Mas pode ter certeza que repassam ao consumidor! Aí o dinheiro é nosso!

    1. Bentinho! Talvez estejas confundindo o Serra com a Capitu! O Brasil pode mais sim! Porém, não com o grupo demotucano.
      O Alberto falou inúmeras coisas que podem ser aprofundadas (nesse espaço não dá).
      Apenas complemento: a corrupção começa mesmo no âmbito das empresas privadas, prestadoras de serviços ao estado.
      Uma hora vamos falar do “pagamento de impostos” por parte da Vale e as demais empresas privadas. Adianto apenas que empresa não paga imposto. O verdadeiro pagador de imposto é o consumidor -o valor está embutido no preço do produto que consome. Empresa é apenas centro de arrecadação do estado. Vamos acabar com esse lero-lero

  2. Também nãovejo mal nenhum nas privatizações. Ruim mesmo é essa burocracia tida como “normal” nos órgãos do governo, sem contar os motivos já citados anteriormente.

      1. OLHA QUE PATÉTICO UMPRESIDENTE SER HUMILHADO, JUSTAMENTE PELAS PESSOAS QUE ELE ADMIRA!

      2. Por isso que não gosto do PSDB!
        Simlesmente não gostam do Brasil, são puxa sacos de americanos, e mesmo assim os gringos aos acham patético!

        Ninguém gosta de puxa-sacos!

  3. Até prova universal em contrário, é dever do Estado cuidar da Saúde, Educação e Segurança. Já são problemas demais para quaqler administração,independente do credo político . A privatização pode ser tão deletéria quanto a estatização. As grandes empresas estatais brasileiras tornaram-se cabides de empregos. As reservas de mercado atrasaram nossa Pindorama. Mesmo não gostando, tenho de admitir dever a Fernando Collor a quebra desses grilhoes.
    Passei 6 meses esperando pela instalação de uma linha telefonica enquanto os funcionários da estatal ou para-estatal responsável ganhvam régios salários. Isso é um simples exemplo.
    Num passado, minha geração odiava a mais-valia. Hoje todos, corremos atras dela.

    1. Tavernad! Não existe prova universal de nada. O estado deve exercer a função que seu povo definir. O problema no Brasil é o cinismo de sua elite. Mama no Estado é fala mal dele. O povão que devia ser beneficiado não o é. Mas, o pior é classe média baixa (que nem elite é) que se posta do lado desse cinismo descarado. Algumas estatais eram ineficiente por desejo e deliberação de que detinha o poder a elite dominante – os trabalhadores nunca foram dirigentes das estatais ineficientes.
      Hoje os trabalhadores estão mostrando como deve funcionar o estado – a serviço dos subalternos. 20 milhões (de 2003/2009) sairam da miséria absoluta.
      Lembrete: A CEF também estava na famigerada lista dos privateiro patrimonialistas.

      1. É Vicente, como disse certa vez o grande Tim Maia, o Brasil é o único país onde os cafetões têm ciúmes das prostitutas e onde pobre se faz crer partidário convicto da direita!

    2. “…Passei 6 meses esperando pela instalação de uma linha telefonica enquanto os funcionários da estatal ou para-estatal responsável ganhvam régios salários. Isso é um simples exemplo….”

      Parabens Tavernard Neves !

      Hoje em dia os técnicos das prestadoras de serviço ganham salário mínimo, são trocados feito cuecas, não sabem se amanhã vão estar trabalhando, mas em compensação, tens o teu telefone instalado!!

      Deves estar feliz!! Afinal, agora as coisas estão corretas!

  4. O problema é pra onde foi o dinheiro, e o bolo maior da arrecadação da Vale vai para as vilhinhas cotistas americanas que gastam os seus dinheirinhos nos cruzeiros pelo mundo; quanto aos telefones a entrada de novas tecnologias era inevitável, com ou sem privatização, agora, certamente o serviço telefônico no Brasil é o pior possível e o mais caro do mundo. Sem falar dos milhares de brasileiros que ficaram desempregados e que morreram ou ainda estão na míngua, gente capacitadas, porém já com idade avançadas de modo que não poderiam competir no mercado. Este é um dos saldos das privatizações, e pergunta-se, em que setor houve melhoria no serviço.

  5. Telefone melhorou? Antes eu ia num posto da Telepara, hoje sou atendido por uma atendente de Fortaleza, que pergunta onde e Belem. A tecnologia mudou, por isso nao ha como comparar. A empresa mais demandada no Procon e a que hoje se chama Oi, teve que mudar de nome, devido aos problemas na justica e botou criancas na TV pra ver se arrebanha os otarios. No RS, os gauchos lamentam que a citada empresa comprou a Brasil Telecom. Vendemos a Celpa (os tucanos) por 30 anos prorrogaveis por mais 30. Bom nao? A grana da Vale poderia ser nossa. Petrobras e a proxima vitima e a gora com o pre-sal nem se fala. Sou a favor da privatizacao, desde que nao traga prejuizos ao pais.

  6. As privatizações eram apenas uma bandeira defendida pelos tucanos ou foram pressão do FMI para nos conceder empréstimos? O que vejo hoje, é que o país se dá ao luxo de escolher a melhor opção na compra de aviões de combates para reequipar a FAB, algo impossível anos atrás.

  7. O nosso “futuro” presidente, uma tremendo “vampiro”, que irá sugar tudo que o então atual presidente. Com o maior índice de aprovação da história brasileira com mais 80% de aceitação. Luís Inácio “Lula” da Silva, construiu para o povo isso tudo irá por aguá abaixo e voltaremos para merda, que nós encontrava-mos na epoca em que os tucanos governavam, o nosso País e nosso estado. O povo brasileiro tem o governo que merece, burrice não e erro. Porque errar e humano mais continuar no erro e burrice, e pra mim burrice e uma dadiva aos fracos e tolos, que se vendem por um prato de comida isso e muita humilhação.
    Sem mais palavras…..
    O meu unico orgulho nesse País, dos fracos e oprimidos e meu paysandu o resto e nada e a mesma coisa!!!!

  8. Não defendo causa própria, manifestação indisfarçada por alguns, na defesa de pontos de vista. Em princípio e por princípio só aceito o discurso político se ideológico , e como a política partidária brasileira é destituida , recuso-me valorar candidatos às eleições vindouras.
    Procuro não esquecer o que aprendi : ‘ os talentosos são discplicentes e os mediocres são obstinados ‘ .

    1. “… só aceito o discurso político se ideológico…”

      Égua!! se isso não é defender causa própria, nada mais é!

      O Homem por sí só é individualista, dizer que pensa no coletivo antes de sí é hipocrisia!
      Só o caso de tu te encomodares com os salário dos funcionários da Telepará já faz a tua tese cair!

      ‘ os talentosos são discplicentes e os mediocres são obstinados ‘ .

      Ser obstinado é uma virtude que só os talentosos tem.
      O medíocre nem tenta…

  9. Embora sendo partidário do voto não obrigatório e, no atual estado de coisas, do voto nulo – pois em que pese a popularidade do governo Lula e algumas diferenças detectadas entre o seu governo e os tenebrosos 8 anos tucanos -, não vou me isentar do debate: as privatizações, ao contrário do que se veiculava à época, não trouxeram benefícios aos país. Pelo contrário, gerou evasão de divisas, especulação desmedida, lucro acima de tudo e prestação de serviços abaixo da linha do aceitável. A justifica de que era preciso privatizar para não paralisar; de que as estatais eram cabides de emprego; de que eram nichos de corrupção e tráfico de influências; que andavam na contra-mão da “modernidade e do progresso veloz” trazido pelos ares do neoliberalismo se tornou uma grande farsa. Sou a favor da moralização do nosso patrimônio e da democratização do acesso ao mesmo e do que ele proporciona de dividendos ao seu povo, seu detentor por direito, o que não siginifica dizer que deve ser entregue. Os tucanos, com sua justificativa farsesca, queriam – e fizeram – “matar o boi para acabar com o carrapato”, mas não como desespero de causa, e sim como paradigma de administração, como projeto político na área econômica. Pergunto: qual a percentagem dos lucros de empresas como a Vale, por exemplo, investe ou reinveste na terra que lhe acolhe e sob o beneplático de isenções fiscais? Deve ser irrisório, o que significa o seguinte: praticamente não há contra-partida para o Estado e para o povo brasileiro. Privatizar não foi, não é e nunca será a melhor solução para a efetiva melhora e democratização do acesso a serviços essenciais como educação, transporte, saúde, segurança e que tais, direitos que são grantidos pela Carta Magna de 88 e que devem observar ao princípio de suas inviolabilidades. Aos que defendem o Estado mínimo, uma constatação: não há Estado desregulamentador sem a anuência do próprio Estado. Este é o paradoxo do Neoliberalismo que os tucanos, com seu semblante de “sofisticados”, teimam em defender, ocultando assim suas contradições.

  10. E Dilma, para dar continuidade as politicas que Lula estava fazendo, e aqui e Ana denovo para conclusão de suas obras e programas para as comunidades, que andam em execução por todos os municipios de nosso imenso estado do Pará…

  11. Sem FHC ter construidos as bases, Lula não teria erguido as estatuas. O que FHC fez foi certo e o resultado Lula mostrou, com a aceleração dos programas social criados por FHC e o desenvolvimento(não crescimento revolucionário) da economia!!

Deixe uma resposta