LOP e as dívidas trabalhistas do Paissandu

O Paissandu navega em águas tranquilas no Parazinho, mas nos bastidores a situação está à beira de um conflito bélico. O presidente, Luiz Omar Pinheiro, foi acusado de estar mentindo quanto às pendências trabalhistas do clube. O advogado e conselheiro Alacyr Nahum, que já integrou o Departamento Jurídico do clube, afirma que, desde que Luiz Omar assumiu a presidência (2008) já foram protocoladas 38 reclamações trabalhistas contra o Paissandu. “Isso que ele fala, de que não existem ações na Justiça do Trabalho na gestão dele, é mentira. São 38 reclamações, sim. Houve algumas desistências, em torno de dez. Não sei se foi acordo. Mas, mesmo com 28 ações, isso prejudica muito o clube perante a Justiça do Trabalho. Os juízes ouvem rádio, lêem jornal”, diz Nahum, explicando que as declarações de LOP, de que não foi acionado juridicamente no período em que administra o Papão, é oportunismo e mentira.
Procurado pela reportagem do BOLA, Luiz Omar disse, por telefone, que irá apresentar em documentos a real situação do clube e tratou de desqualificar Nahum. “Esse cidadão não tem nenhum trabalho expressivo no Paissandu. Eu acho ele um zero à esquerda, não conheço nenhum trabalho dele dentro do clube e lamento que, num processo de soerguimento do futebol paraense, a imprensa abra espaço para um cidadão desse. Se fosse um Ricardo Rezende que falasse, se fosse um Antonio Couceiro, Paulo Moraes, mas uma pessoa dessas…”, disse.
Luiz Omar acusou Alacyr Nahum de sumir com os contratos das lojas que fazem parte do estádio Leônidas Castro, quando deixou o clube. “Ele tem é que explicar quando ele largou o Departamento Jurídico do Paissandu. Ele deu fim em todos os contratos das lojas da Curuzu, tive que fazer um por um. Isso eu vou provar. Cadê o contrato? Sumiu. Até eu refazer (o contrato) loja por loja fiquei três meses sem receber (os aluguéis)”, revelou.
LOP garante que comprovará com documentos a situação do clube na área trabalhista. “Eu vou mostrar que hoje o Paissandu deve somente 1,390 milhão de reais na Justiça do Trabalho, além dos 2,2 milhão de reais do Arinélson, que está em Brasília para recurso, e o Paissandu vai ganhar essa ação. Eu vou lhe mostrar isso em um documento oficial”, prometeu Luiz Omar.
Procurado para falar sobre a acusação de que teria sumido com os contratos das lojas, Nahum mostrou-se tranquilo e disse que prefere aguardar o teor das declarações de LOP e, aí sim, se pronunciar. Nahum foi o conselheiro que denunciou irregularidades no processo de negociação do meia Fabrício com empresários do exterior. Na época, a diretoria anunciou que o negócio ficou em R$ 400 mil. Nahum afirma que a transação ficou em R$ 2,5 milhões, sem que esse valor tenha sido contabilizado para os cofres do Paissandu. (Com informações do Bola) 

5 comentários em “LOP e as dívidas trabalhistas do Paissandu

  1. Esse Nahum,me parece uma mariquinha,se não quer ajudar o clube tudo bem,então não atrapalha.
    Isso parece coisa de quem não tem o que fazer ou é apaixonado pelo borralouca LOP.
    Te dizer…

    Curtir

  2. LOP faz uma contabilidade muito cínica: ele só considera como dívida o que foi julgado em última instância e já está em execução. O que ainda está em fase inicial, e ainda vai ficar alguns anos rolando nas primeiras instâncias, para LOP não é dívida, simplesmente por não estar sendo cobrado ainda. Matemática cínica feita para enganar torcedor. Sabe-se que todo aquele time do ano passado, célebre pela derrota de seis para o Icasa, tem pendências financeiras. Uma pequena fortuna devida pelo clube. Mas para LOP o clube ainda não deve nada àquela turma. Vai sair do Paysandu dizendo que não deixou dívidas…

    Curtir

  3. Denúncias, denúncias e mais denúncias. Explicações, explicações e mais explicações.
    Somente diante de câmeras e microfones. Quando instados a apresentarem documentos comprobatórios, geralmente não os tem, e se os tem geralmente não apresentam. Denunciar aos Conselhos do clube? Às vezes, e que quando avaliam, termina com tapinhas nas costas e um bom papo regado a scoth escocês. Concluir por culpabilidade? Nunca, pois todos são “colaboradores que ajudam o clube”. O torcedor cidadão sabe o que está por trás das denúncias e das belas explicações.
    Vocês já viram algum dirigente levar outro “colega” as barras da justiça para provar em juízo suas denúncias? Já viram alguma auditoria séria nas contas dos nossos clubes?
    Uma coisa é certa, todos que passaram ao longo dos últimos anos na administração dos clubes, e em especial do Paysandu , ” não tem nenhuma responsabilidade” sobre a situação caótica em que se encontra em termos de finanças o Paysandu. Gérson, se seus repórteres perguntassem aos últimos 10 Presidentes: Qual a sua parcela de responsabilidade na situação financeira do clube atualmente? Todos iriam com a lábia de sempre culpar o outro.
    Estou cansado de ouvir essa balelas, via imprensa, e que ao final não vai dar em nada, exceto algumas manchetes que depois ficam esquecidas.
    E nesse caso específico, na réplica do presidente, ano passado eu já ouvia ele esbravejando sobre os tais contratos que sumiram. Tava esquecido, como o Nahum mexeu ele volta com o mesmo assunto. E ninguém faz nada. Tomem pelo menos caldo de pescada branca, que não faz mal a ninguém.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s