Dia do Jornalista é dia de luta pelo diploma

Por Izabela Vasconcelos – Comunique-se

A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) prepara manifestações para marcar o dia do Jornalista, celebrado nesta quarta-feira (07/04). A entidade definiu com os sindicatos, reunidos no Conselho da Entidade, dia 27/03, a agenda de atividades, que tem como objetivo a aprovação das Propostas de Emenda Constitucional (PECs), que tramitam na Câmara e no Senado, em favor da exigência do diploma de jornalismo para o exercício da profissão.

“Todos os sindicatos estão preparando atividades. O eixo disso é a nossa luta pela exigência de diploma para atuar como jornalista. Estamos organizando manifestações junto ao Parlamento, Assembleias, junto aos deputados”, explicou Celso Schröder, vice-presidente da Fenaj.

De acordo com Schröder, a ideia da entidade é chamar a atenção para o debate sobre a profissão. “O dia vai ser lembrado pela reinvidicação da categoria. Existe um silêncio da grande mídia sobre esse assunto. A ideia é construir esse debate via imprensa alternativa e furar um pouco isso, além de dar ritmo aos nossos trabalhos na tramitação das PECs”.

No sindicato de Brasília, por exemplo, as atividades se concentrarão no Congresso Nacional, pela aprovação das PECs. Do outro lado da polêmica que envolve o diploma, o sindicato dos jornalistas de Santa Catarina realizará um seminário para debater a filiação de jornalistas sem formação superior específica.

4 comentários em “Dia do Jornalista é dia de luta pelo diploma

  1. Parabéns a todos os Jornalistas (Diplomados), em especial ao nosso amigo Gerson Nogueira, pelo dia de hoje.

    Curtir

  2. A luta da Fenaj pela valorização profissional deveria estar atrelada a defesa da “liberdade de expressão do jornalista”. Os empresários da grande mídia (vide último encontro do Instituto Millenium) defendem apenas a chamada “liberdade de imprensa” – na verdade das suas empresas. Qual a real liberdade de expressão que o empregado tem dentro das empresas de comunicação? Grandes jornalistas nacionais estão sendo obrigados a criar seus próprios blogs não manter alguma liberdade de expressão – por se recusarem a ser “a voz do dono”. A Fenaj deve manter a brigar pelos “donos da voz” – e pela efetiva liberdade de expressão do conjunto da sociedade. No regime patriarcal (oligárquico/familiar) da comunicação social no Brasil – onde informação é mercadoria – a defesa do pluralismo na divulgação de ideias é vista como radicalismo revolucionário.

    Curtir

  3. Grandes nomes do jornalismo nacional, há algum tempo, estão sendo obrigados a utilizar seus próprios blogs para manter alguma autonomia, e sua liberdade de expressão – por se recusarem, assim, a permanecer como “a voz do dono”. (apenas para corrigir a truncagem do texo anterior).

    Curtir

  4. Parabéns a todos que labutam nessa profissão que tem papel importante no Brasil. Viva o jornalista. Ei FENAJ a culpa não é nossa é uma decisão do STF que foi protocolada pelo MPF e SERTESP.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s