Águia é o líder 100% do Parazinho

O Águia de Marabá disparou na liderança do campeonato estadual ao surpreender o S. Raimundo, por 1 a 0, em pleno estádio Barbalhão, em Santarém, na tarde deste domingo. O único gol do jogo foi marcado através do atacante Wando do Águia aos 18 minutos do segundo tempo. Com o resultado, o Águia soma 9 pontos, com 100% de aproveitamento no returno. O S. Raimundo caiu da terceira para a quarta colocação, com 4 pontos.  A renda foi de R$ 76.011,00, para um público total de 8.682 torcedores, sendo 7.366 pagantes e 1.316 credenciados. Apitou a partida o árbitro Clauber José Miranda, pertencente a Federação Paraense de Futebol. Pela quarta rodada, o Águia receberá em Marabá no próximo sábado (10), às 19h, o Santa Rosa. Já o S. Raimundo enfrenta o Cametá, domingo, em Santarém, às 17h. 
Outro visitante se deu bem na abertura da terceira rodada do returno: o Independente foi a Cametá e derrotou o time local por 2 a 1, assumindo a vice-liderança da competição, somando 5 pontos. O Cametá caiu da quarta para a sexta colocação com 3 pontos e empurrou o Remo para o quinto lugar. O primeiro gol foi marcado por Adelson, aos 28 minutos. No segundo tempo, João Gomes empatou aos 23 minutos. O gol da vitória do Independente veio aos 38 minutos, através de Albertinho. A renda divulgada foi de R$ 12.400,00 , para um público total de 1.545 torcedores, sendo 1.340 pagantes e 205 credenciados. 

A rodada se complementa na terça-feira, às 20h30, na Curuzu, com o jogo Ananindeua x Paissandu. E na quarta-feira, às 20h30, no Baenão, com Santa Rosa x Remo. (Com informações de Adilson Brasil/Rádio Clube)

Classificação: 
1º Águia, 9 pontos 
2º Independente, 5 
3º Paissandu, 4 (saldo: 2) 
4º S. Raimundo, 4 (saldo: 0) 
5º Remo, 3 (saldo: 0) 
6º Cametá, 3 (saldo: -1) 
7º Ananindeua, 0 (saldo: -2) 
8º Santa Rosa, 0 (saldo: -3) 

Coluna: O pagode do preconceito

A coluna, que não economiza elogios e salamaleques ao jovem time do Santos, não pode deixar passar em branco a feia pisada de bola ocorrida na tarde da última quinta-feira, durante visita filantrópica a uma entidade (Lar Mensageiro da Luz) que atende crianças e adolescentes com paralisia cerebral e outras deficiências. Devido a suas limitações, os internos precisam de atendimento especializado e auxílio (não só material) para seguir lutando.
Segundo reportagem da Gazeta Esportiva, o incrementado ônibus da delegação do Peixe chegou para cumprir uma agenda social cada vez mais comum nos grandes clubes. Previsão de breves conversas e brincadeiras com as crianças, fãs ardorosas de Neymar, Ganso & cia. Pura e bendita tietagem, capaz de aliviar por alguns momentos o seu sofrimento.
Tudo ia bem até que, de súbito, um incidente quebra a alegria reinante. Para constrangimento geral, somente parte dos atletas desceu para atender a garotada. Os demais, entre os quais Neymar, Robinho, Roberto Brum e André, preferiram se enclausurar no ônibus, sem qualquer explicação. O nosso Paulo Henrique Ganso veio dirigindo seu próprio carro, mas foi rapidamente chamado pelo grupo e também sumiu no interior do veículo. O repórter relatou que quem se aproximava podia ouvir o batuque de pagode rolando lá dentro, enquanto a visita era solenemente esnobada.
Depois, o próprio Dorival Junior disse que o estranho boicote foi motivado por questões religiosas. Evangélicos, os jogadores não iriam se sentir bem dentro de uma instituição que professa a doutrina espírita. A emenda foi bem pior que o soneto. Não dá para saber o que é pior: a intolerância religiosa ou a ausência de consciência cidadã. Faltou explicar como aquelas crianças poderiam vir a conspurcar as virtuosas reputações dos meninos da Vila.
 
 
A verdade nua e crua é que craques de futebol no Brasil desfrutam de ampla notoriedade, têm status de celebridade e paparicos de primas-donas, mas dão muito pouco em troca. Ignoram as boas causas. Capricham nos péssimos exemplos de conduta. Alienados, passam a léguas de distância do debate político. Alguém já viu algum boleiro falar sobre corrupção, reforma agrária, democracia e representatividade? Talvez só mesmo Pelé, há uns 40 anos, dizendo que o povo não sabia votar. 
Raros são os que, como Ronaldinho Gaúcho e Raí, agem como cidadãos ajudando, ao seu modo, no combate à desigualdade. No exterior, ao contrário, astros são figuras engajadas e conscientes. Associam seus nomes a eventos beneficentes, projetos de inclusão. Fazem o marketing do bem, às vezes decisivo para a vida dos destituídos de oportunidade. 
Pena que os craques em construção do Santos já demonstrem os vícios de velhos elefantes da bola, presos a preconceitos que em nada combinam com os dribles executados nos gramados.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO deste domingo, 4)

Vettel vence GP, Massa lidera o campeonato

O piloto alemão Sebastian Vettel liderou uma dobradinha da Red Bull no circuito de Sepang, onde foi disputado na manhã deste domingo o GP da Malásia. Já o Mundial de Pilotos da F-1 tem um novo líder: Felipe Massa ultrapassou o companheiro de Ferrari, Fernando Alonso, na classificação. Logo após Vettel, chegou o australiano Mark Webber (Red Bull), que largou na pole position. Nico Rosberg, parceiro de Michael Schumacher na Mercedes, ocupou o terceiro posto e fechou o pódio. As Ferraris não tiveram bom aproveitamento no treino classificatório, devido a um erro de estratégia da equipe em relação à chuva. Com isso, Alonso largou em 19º, e Massa em 21º.

O espanhol abandonou a prova e viu o brasileiro encerrar na sétima colocação, o que o colocou na dianteira da tabela – Massa soma agora 39 pontos, enquanto Alonso mantém seus 37. Com isso, a Ferrari também permanece na liderança do Mundial de Construtores. As McLaren, que também não foram bem nos treinos, conseguiram evoluir na corrida: Lewis Hamilton largou em 20º, mas chegou em sexto; Jenson Button largou em 17º, mas chegou em oitavo. (Folha On-Line)

Classificação final:

1- Sebastian Vettel (Red Bull)
2- Mark Webber (Red Bull)
3- Nico Rosberg (Mercedes)
4- Robert Kubica (Renault)
5- Adrian Sutil (Force India)
6- Lewis Hamilton (McLaren)
7- Felipe Massa (Ferrari)
8- Jenson Button (McLaren)
9- Jaime Alguersuari (Toro Rosso)
10- Nico Hulkenberg (Williams)
11- Sebastien Buemi (Toro Rosso)
12- Rubens Barrichello (Williams)
13- Fernando Alonso (Ferrari)
14- Lucas di Grassi (Virgin)
15- Karun Chandhok (Hispania)
16- Bruno Senna (Hispania)
17- Jarno Trulli (Lotus)