Campeonato paraibano

Do blog Sobrinhos do Gerson
 
Neste domingo eu não pude ir a Garanhuns assistir ao jogo do timba e rever umas amigas que fiz em um dia de jogo de chuva aqui no Recife, tive que ir a Jampa, capital paraibana, cidadezinha aconchegante e aprazível. Aproveitando que tava lá levando um casal de gringos turístas, meio pederásticos e tal, fui ao jogo do Souza, time que eu acompanhei quando me juntei com uma paraibana e morei lá um tempo.
Logo na entrada fui informado pelo cidadão fardado que eu acho que não era um policial que eu não podia falar palavrões, no reflexo eu mandei um “puta que pariu, porque não pode?” o defensor público local logo me repreendeu avisando que eu tinha acabado de infringir a lei.
Consciente do meu erro, perguntei qual seria a minha pena, o mané mago tacou que eu não sofreria pena nenhuma, pois a nova lei não prevê punições, a não ser a retirada do torcedor do estádio e como eu ainda estava entrando ele não podia me retirar, de imediato eu dei uma gaitada e falei: “si fudeu rapá hahahahah” e fui adentrando o recinto a partir daí um cidadão de bem, educado, respeitoso e paciente com o jogo e o juiz.
Iniciado o jogo, dava pra perceber a dificuldade do torcedor em ver quanta coisa feia acontecia dentro de campo e ver só seu bom e velho palavrão proibido, em determinado momento a torcida passou a deixar o jogo pra lá, pois estava muito dificil de acompanha-lo e começou a ficar greiando uns com os outros. Foi então que um negão lá do outro lado da arquibancada tacou:
“Ei! do bigode! esse cinto de vaqueiro aí, quem comprou pra tu? Foi teu avô, foi?”
De imediato, eu respondi:
“Não! foi a tua mãe!”
O “militar”, que fiscalizava a educação da turma tal qual uma professora primária, disparou em minha direção e pediu a minha retirada… eu disse pra ele que tinha falado a palavra “MÃE”, mas ele estava irredutível na decisão de me retirar, até que o autor da piadinha inicial disparou pra cima do guarda dizendo: “Minha mãe não é palavrão não, viu, seu bixiguento!”
De imediato, o homem de farda retirou a queixa momentânea e eu e o piadista passamos a concordar que fila da puta mesmo era essa porra dessa lei.

3 comentários em “Campeonato paraibano

  1. Verdade, amigo Edmundo. Texto meio gonzo, mas gostoso de ler porque reproduz o sotaque e o humor dos pernambucanos. Muito bom.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s