7 comentários em “Capa do Bola, edição de sexta-feira, 19

  1. Se não fosse o quase. Temos que valorizar o adversário que é o Águia em seus domínios, mas Barbiere continua com Ibope baixo. Essa dificuldade nada mais é a falta de consolidação de em esquema atuante que até agora não foi imposto pelo técnico, que cá para nós é bom de lábia para justificar esses desacertos. Apesar de contar com bons valores, o meio campo continuar travado e o ataque não rende o esperado. Gostaria de saber de quem entende do assunto, o amigo Cláudio, como este viu tecnicamente o jogo de ontem.

    1. Concordo com teu comentário Carlos Berli,
      Sempre tenho me posicionado que o Barbiéri não sabe mexer no time, é muito bom de papo como bem lembraste, no entanto, o time não tem nenhum esquema tático, já era hora de apresentar alguma coisa nesse aspecto.
      Pelo que tenho pesquisado, da atuação dele em outras equipes, penso que será muito interessante ao futebol do BICOLOR AMAZÔNICO, se ele for o tão procurado Supervisor e Gerente de futebol, iniciando dessa forma a tão sonhada profissionalização da administração do futebol do BICOLOR AMAZÔNICO.
      Está passando a hora de substituí-lo e não me venham com a cantilena de dar tempo para consolidação do projeto de retorno à série B, isso é potoca! esse técnico não vai emplacar, ele não tem estrela nem aura de vencedor.
      É hora de mudar.

  2. Cláudio, Berlli e Gerson, como joga esse Sandro hein? é incrível como no futebol é notável a diferença técnica de alguns jogadores qdo comparados a outros. Ontem vimos um jogo de nível de série C e com um jogador de série A.

    1. Concordo por inteiro, principalmente agora que, pela idade, já não se dedica com tanto esmero ao jogo violento e desleal de antes. Concentra-se no que deveria fazer sempre: jogar bola.

  3. Égua ninguém consegue derrotar o Papão. Sempre haverá um “apito amigo” para resolver. De novo, salvo pelo juiz, nos últimos segundos. Pobre Águia, assaltado dentro de casa. Quem manda pedir árbitro estrelado. Tomou banho em água de cacimba…

  4. Não houve ajuda da arbitragem, pelo menos para o Papão, não. Se isso tivesse acontecido, mais dois penaltis teriam sido marcados o o Edkleber expulso.
    O que ocorre é que o Espínola é ruim, assim como o Cintra, o Abade, o Paulo César e seu irmão e toda a geração Edílson Pereira de Carvalho, talvez com a exceção do Seneme.

Deixe uma resposta