Arruda vai passar a folia no xaxado

O ministro Marco Aurélio, do STF (Supremo Tribunal Federal), negou nesta sexta-feira habeas corpus ao governador afastado do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido), preso após decisão do STJ (Superior Tribunal de Justiça), segundo informou a TV Globo. A informação, no entanto, ainda não foi confirmada pelo Supremo e só deve sair às 16h. A decisão é liminar, o mérito ainda precisa ser analisado pelo plenário do STF. Como só há sessão marcada para quarta-feira, Arruda permanece preso até lá –a não ser que sua defesa tente um novo recurso ao Supremo.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta sexta-feira que não ficou chocado com a prisão do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido). “Não fiquei chocado, fico chocado quando vejo as denúncias de corrupção, quando aparece o filme de Arruda recebendo dinheiro”, disse Lula durante entrevistas a rádios de Goiás.

Eu sabia que o metalúrgico não estava com peninha do assaltante do panetone…

13 comentários em “Arruda vai passar a folia no xaxado

  1. É, André, mas fiquei cabreiro mesmo com aquele papo de achar ruim para a democracia um patifão desses ser preso. Quase retirei meu apoio ao metalúrgico…

  2. Fico com a Palavra da OAB..

    “É bom Saber que la no fim do tunél ainda há uma luz em que podemos confiar na Justiça para todos “

  3. o pior de tudo que ainda tem gente que defende esse safado , ladrão. e pela passeata que eu vi na tv em favor dele, é numero consideravel. com imagens claras de corrupção, com o arruda dando descupas esfarrapadas sobre isso e gente q ver o crime e ainda o defende dizendo q ele ta sendo vitima de perseguição…, começo a pensar q os politicos são reflexos do q é o povo brasileiro

  4. Mesmo que seja so Por Pouco Tempo que ele fique la (que nao é o certo ) mas ja faria um pouco de Justiça entre tantas maracutais da Nossa Politica..

  5. Cadeia é pouco, o ideal seria devolução do dinheiro com juros e correção e proibido de assumir qualquer cargo público, mesmo que eletivo perenemente. Punição a todos os corruptos!

  6. ja viram parte da decisao do Supremo?

    Olhem…

    Cabra macho esse Ministro viu?

    HABEAS CORPUS 102.732 DISTRITO FEDERAL
    RELATOR : MIN. MARCO AURÉLIO
    PACTE.(S) : JOSÉ ROBERTO ARRUDA
    IMPTE.(S) : JOSÉ GERARDO GROSSI E OUTRO(A/S)
    COATOR(A/S)(ES) : SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA
    DECISÃO
    INQUÉRITO E
    PROCESSO-CRIME –
    PRISÃO –
    GOVERNADOR.
    PROCESSO-CRIME –
    GOVERNADOR –
    LICENÇA DA
    ASSEMBLEIA.
    PRISÃO PREVENTIVA –
    SUBSISTÊNCIA
    CONSTITUCIONAL.
    PRISÃO PREVENTIVA –
    ORDEM PÚBLICA E
    INSTRUÇÃO CRIMINAL.
    HABEAS CORPUS –
    LIMINAR –
    INDEFERIMENTO.
    ……..
    Dizem que o Governador do Distrito Federal,
    há mais de dois meses, encontra-se sob perseguição.
    Ressaltam tratar-se de matérias permanentes,
    reiteradas e repetidas de modo unilateral, sem que se
    explicite o ocorrido, subvertendo-se por completo as
    normas fundamentais atinentes às garantias básicas
    asseguradas pela Constituição Federal. Conquanto os
    mencionados fatos ainda estejam sob investigação, de
    forma precipitada estaria sendo submetida a referendo
    da Corte Especial decisão no sentido da prisão
    preventiva do paciente, isso sem que haja o
    esclarecimento cabal dos fatos em apuração, sem que
    sequer o paciente tenha sido ouvido pela autoridade
    policial ou por qualquer outra autoridade com
    atribuição legal para tanto, não se levando em conta
    o princípio da presunção de não culpabilidade, mas
    apenas “o falso clamor de julgamento apressado por
    pessoas que sequer conhecem os autos da
    investigação”.
    ……

    Então, prolatei despacho a fim de trazer-se,
    ao processo, o ato impugnado:
    1. Juntem o que se contém no sítio do
    Superior Tribunal de Justiça sobre a matéria.
    2. Com a urgência cabível, oficiem ao
    citado Tribunal visando à remessa do ato do Relator
    do Inquérito nº 650 – Ministro Fernando Gonçalves –
    que implicou a preventiva referendada. Procedam
    mediante fac-símile.
    3. Aos impetrantes, para, querendo,
    anteciparem-se na providência de juntada.
    Gabinete – STF, 11/02/10 – 19h30

    ……….

    Conforme ementa publicada no Diário da
    Justiça de 24 de novembro de 1995, prevaleceu a óptica do
    Ministro Celso de Mello, que veio, com a proficiência
    costumeira, a assentar:
    A imunidade do Chefe de Estado à persecução
    penal deriva de cláusula constitucional exorbitante
    do direito comum e, por traduzir conseqüência
    derrogatória do postulado republicano, só pode ser
    outorgada pela própria Constituição Federal.
    Precedentes: RTJ 144/136, Rel. Min. SEPÚLVEDA
    PERTENCE; RTJ 146/467, Rel. Min. CELSO DE MELLO.
    Análise do direito comparado e da Carta Política
    brasileira de 1937.
    IMUNIDADE À PRISÃO CAUTELAR – PRERROGATIVA
    DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA – IMPOSSIBILIDADE DE SUA
    EXTENSÃO, MEDIANTE NORMA DA LEI ORGÂNICA, AO
    GOVERNADOR DO DISTRITO FEDERAL.
    – O Distrito Federal, ainda que em norma
    constante de sua própria Lei Orgânica, não dispõe de
    competência para outorgar ao Governador a
    prerrogativa extraordinária da imunidade à prisão em
    flagrante, à prisão preventiva e à prisão temporária,
    pois a disciplinação dessas modalidades de prisão
    cautelar submete-se, com exclusividade, ao poder
    normativo da União Federal, por efeito de expressa
    reserva constitucional de competência definida pela
    Carta da República.

    ……

    E A MELHOR PARTE:

    Eis os tempos novos vivenciados nesta
    sofrida República. As instituições funcionam atuando a
    Polícia Federal, o Ministério Público e o Judiciário. Se,
    de um lado, o período revela abandono a princípios, perda
    de parâmetros, inversão de valores, o dito pelo não dito, o
    certo pelo errado e vice-versa, de outro, nota-se que
    certas práticas – repudiadas, a mais não poder, pelos
    contribuintes, pela sociedade – não são mais escamoteadas,
    elas vêm à balha para ensejar a correção de rumos,
    expungida a impunidade. Então, o momento é alvissareiro.
    3. INDEFIRO A LIMINAR. Outrora houve dias
    natalinos. Hoje avizinha-se a festa pagã do carnaval. Que
    não se repita a autofagia.
    4. Estando no processo as peças indispensáveis
    à compreensão da matéria, colham o parecer da Procuradoria
    Geral da República.
    5. Publiquem.
    Brasília – residência –, 12 de fevereiro de 2010, às 10h15.
    Ministro MARCO AURÉLIO
    Relator

    1. Não vejo problemas nisso, desde que existam provas materiais do crime, o simples caso de um senador tucano dizer que existe envolvimento do “cara” não leva a lugar nenhum.

      Contra fatos não há argumentos, já paixões, como a sua….???

Deixe uma resposta