Paissandu e Ananindeua empatam em 0 a 0

O Paissandu vai empatando em 0 a 0 com o Ananindeua, no estádio da Curuzu. Os primeiros movimentos favoreceram o time visitante, com o atacante Joãozinho infernizando a marcação bicolor com seus dribles. Aos 18 minutos, a arbitragem anulou um gol do Ananindeua, sob protestos da equipe. O Paissandu tentou chegar ao gol, utilizando Jênison como criador de jogadas. Desembaraçado, nos minutos finais, o meia quase conseguiu abrir a contagem valendo-se de lances individuais, embora sem grande poder de finalização. (Foto de MÁRIO QUADROS/Bola)

6 comentários em “Paissandu e Ananindeua empatam em 0 a 0

  1. Gerson, o Paysandu está se atrapalhando com esse jogo, em virtude de seu meio campo não estar funcionando, uma vez que Jenisson, que entrou para fazer a ligação, se situou mais na frente com Moisés e Bruno Rangel, além de não estar bem no jogo. Tenho a imprensão que Sandro, por ter uma marcação especial do Volante do Ananin, recuou para fugir da marcação e aparecer como homem surpresa, mas não tem preparo físico para isso, fazendo com que, novamente o Paysandu perca o meio campo e, quase perde o jogo nesse primeiro tempo. Os dois laterais não funcionam(o Brida um pouco melhor) eo Tássio, é o melhor do Papão no jogo, ao lado de Rogério Correa, que ao que parece, está precisando de um companheiro melhor na zaga. Na minha opinião, Colocaria Zé Augusto e Luciano Dias, tiraria Jenisson, ou o Lateral Direito e Bruno Rangel, aumentando ainda mais esse revezamento entre Moisés e Zeziel.

    1. Você acabou acertando, caro Cláudio, na sugestão para que Zé e Luciano Dias entrassem no jogo. Embora sem mostrar grande evolução em relação a Jênison – que não achei mal na partida -, Luciano acabou fazendo o gol da vitória.

  2. Gerson, penso eu que o Jenisson, só estava bem com a bola nos pés(aliás, percebeu que ele quando pega a bola, baixa a cabeça e chuta, pra depois olhar? Tipico de falta de base), mas taticamente, não funcionava e, isso faz a diferença num jogo. O Sandro, com o preparo físico que tem, não consegue jogar com um marcador ao seu lado. O Moisés, tem que perceber, que ele não pode se isolar na frente, tem que ficar se movimentando do meio pra frente. Penso que, hoje, Zeziel foi muito sacrificado, principalmente quando o Tássio recuou, fazendo quase que um terceiro zagueiro. Para o clássico de domingo, a vitória do papão, foi melhor, esperando que amanhã, o Remo também vença.

  3. A culpa e do treinador da base e de quem colocou ele pra treinar. Se bem que esses defeitos tem ate em clube grande. O Neto, por exemplo, surgiu na fase aurea da base do Guarani e nao chutava com o pe direito; o Messi foi com 13 anos pro Barcelona e tambem nao sabe. Se ele e o melhor com um pe, imagina com dois.

  4. Meu caro Gerson, quando às vezes me pretendo comentarista, opto pelo coletivo, abordando o individual quando merecedor de destaque. Agora, após a 3a. partida do Paissandu, esboço um pequeno juizo.
    Nos 3 jogos, duas vitórias arrancadas ao final e um empate segurado sabe lá como.
    Ainda não ví em nenhuma das formações Babieri a formatação da melhor equipe. A cada jogo sinto mais dúvidas. Quando alguem ( e voce sabe a quem me refiro) disse que os fins justificam os meios cunhou esse pensamento com inteção bem diferente do que hoje é empregado.
    E a partir desse pensamento questino com os amigos blogueiros: a onzena bicolor teria a mesma capacidade de reação jogando em campo do adversário, inferiorizada no marcador ?
    O oxigênio bicolor tem vindo das arquibancadas e em campo do adversário o ar é quase sempre rarefeito .
    Domingo tem RE x PA que a tudo transcende e onde tudo se nivela e onde acontece de tudo.
    Abusando. Ocupado em outro prefixo, no mesmo horário, não poderei ouvi-lo como fazia com frequencia.

Deixe uma resposta