3 comentários em “Capa do Bola, edição de quinta-feira, 14

  1. Gérson, acredito que a justiça do trabalho não é adversária dos clubes e sim seus dirigentes que ao longo dos anos, forçados ou não, a contratar, o fizeram sem critérios e na base da vaquinha, coleta, mecenas, espertos e aproveitadores, deixando o clube na mão diante do 1° revés. A justiça do trabalho é isso mesmo, é a única proteção do trabalhador. Os clubes que cumpram com seus deveres ou então assumam as consequências e não adianta ficar passando a responsabilidade para gestões anteriores.

    1. Concordo, Ricardo. A Justiça faz seu papel, importantíssimo num país de desigualdades e desrespeitos como o nosso. Os clubes deveriam (afinal já têm idade para isso) se organizar melhor, fechar contratos dentro da legalidade e, acima de tudo, respeitar seus compromissos trabalhistas. Tudo seria mais simples.

  2. Gostei do Time escalado no coletivo de hoje pelo barbieri. Utilizando o Jenilson, Moises e Marquinhos. Além do Bruno Rangel. Acho que eles todos tem espaco nesse elenco mesmo com tantas importações.
    Realmente acho que o campeonato vai ser uma boa forma de fazer crescer os nossos jogadores além de ver realmente que daí vai ficar e ajudar o papão a subir e fazer bonito na série B.
    Enfim, o trabalho do Barbieri, bem como sua postura, vem me agradando.

Deixe uma resposta