Re-Pa em cinco passos

O futebol reserva surpresas monumentais, como se sabe, mas o Re-Pa deste domingo tem tudo para ser um dos mais melancólicos dos últimos anos. Planejado para fechar a temporada  garantindo algum dinheiro para os dois clubes, o clássico de nº 701 da história sofre de esvaziamento crônico. E os motivos são bem visíveis.

1) Não há uma atração sequer prevista para o embate. A maioria dos jogadores nunca disputou um Re-Pa. As exceções são Zé Augusto e Zeziel, no Paissandu, e Marlon e Ramon, no Remo.

2) Confusos com a falta de opções, os treinadores não sabem que time lançar. Preocupados com o risco do desemprego, preparam esquemas defensivos e cautelosos. O Remo terá quatro volantes (Ramon, Danilo, Marlon e Fabrício) no meio-campo. O Paissandu vai de 3-5-2.  

3) A torcida, que se empolga fácil e torce por Re-Pa até de time de botão, não engoliu a isca. Até a manhã deste sábado, nem mesmo os ingressos de gratuidade tinham se esgotado nas bilheterias de Curuzu e Baenão. A previsão mais otimista indica que o clássico terá entre 8 mil e 10 mil espectadores.

4) Além de times em formação e uma legião de jogadores desconhecidos, Remo e Paissandu cometeram erro crasso na organização do jogo: estipularam o preço dos ingressos em R$ 15,00 (arquibancadas) e R$ 30,00 (cadeiras). A lógica, o bom senso e o nível dos times aconselhavam preços menores.

5) Vitória e derrota podem ter significados diferentes neste domingo. Como as equipes não são definitivas, quem vencer pode sair perdendo lá frente, em função da ilusão de que as coisas estão bem. Quem perder pode lucrar mais adiante, porque vai procurar se reforçar.

11 comentários em “Re-Pa em cinco passos

  1. Gerson, três observações:
    I-É verdade, quem ganhar pode sair no prejuízo por achar que já formou um timaço. Tem sido assim até no Parazão.
    II-Não dá para associar 3-5-2 a defensivismo. Grandes times do mundo jogam dessa forma e pra frente.
    III- Há muito que não acontece um RexPa, e como o nosso torcedor tem a mania de chegar em cima da hora, então, é jogo para umas 15 a 20 mil pessoas

    1. Quanto ao item II, você tem razão quanto ao futebol mundial, mas no Pará o 3-5-2 significa quase sempre retranca braba, ou uma linha de até cinco zagueiros.
      Sobre o item III, não sou tão otimista. Creio que, na boa, chega a uns 10 mil pagantes.

  2. Meu palpite é de cinco mil pagantes. E já está bom demais. Vai ser um jogo incomum: boa parte da torcida bicolor (eu entre eles) estará torcendo contra seu próprio time, para forçar a demissão de Nazareno e jogadores. Boa parte da torcida azulina também torcerá contra seu clube, sonhando com a queda de Sinomar. A que ponto chegamos!

    1. Voltamos ao ponto de partida, né Maciel? Culpa, como sempre, da imprensa. Quando tudo dá certo é porque a imprensa não atrapalhou… Sei.

  3. RE x PA? Como sempre estarei lá! Como sempre torcerei pelo Leão! No geral, irei para observar, num jogo competitivo de fato, se os integrantes do elenco, principalmente os novos contratados, tem algum potencial para desenvolver no momento certo que é o das competições do ano que vem.

  4. Estarei lá torcendo pelo PAPÃO O MELHOR DO NORTE E UNICO COM TORCIDA FIEL E EXIGENTE AO MESMO TEMPO ,SE A IMPRENSA ESVAZIA O CLÁSSICO COM COMENTARIOS NEGATIVOS E SEQUER SABE VALORIZAR O FUTEBOL AINDA RESISTENTE NO NORTE DO PAIS,NÓS TORCEDORES DOS DOIS TITÃS PARAENSES ESTAREMOS LÁ…INFELIZMENTE OS JORNALISTAS PARAENSES SÃO PARCIAIS E EMITEM COMENTARIOS ESDRUXULOS.É SÓ lembrar do Giovanni q quando atuava aqui no Pará não jogava NADA E AINDA ERA GAGO,só foi sair pro Santos e barcelona e SELEÇÃO q ele aprendeu a jogar?Menos IMPRENSA LOUCA PARAENSE…APRENDAM A VER FUTEBOL MELHOR E VC GERSON é bom de palavras,contudo ainda tem q aprender mais de tática,3-5-2 não é tática defensiva, é ofensiva…Concordo ,no entanto no quesito estimativa de publico…irão uns 5 a 8 mil pessoas…mas eu estarei lá torcendo pelo ETERNO CAMPEÃO DO NORTE E DOS CAMPEÃOS E CONTRA A LEOA MAIS Q DESDENTADA.4X0 FÁCIL….

  5. o posso dizer e que o futebol paraense foi e sempre sera amador, culpa dos nossos dirigente , mais tambem a impreça tem culpa pois nos comentarios que ouço pelo radio os comentarista querem ser mais tecnicos de analista , sendo assim nao vamos mudar nunca e 3 4 5 divisao vamos passar anos nos arrastando

  6. Eu como um eterno azulino estarei torcendo por uma vitória do Leão Azul em cima do Paysandu. Sei que uma vitória atenua, ou melhor, dizendo, esconde uma gama de estilo torpe de gerenciar um clube. No meu querido Clube do Remo, este cenário não é diferente, é atualíssimo. No entanto, apesar da atual “Anatomia de Hábito” degradante, imperar dentro do meu querido Clube do Remo, eu, sobre hipótese alguma, torcerei a favor de uma derrota do Leão em campo. Eu não acredito no expurgo total da inteligência e coerência da cachola do Sr AK e Cia e assim sendo, quero crer, que o bom cidadão Sinomar Neves, mas, não tão bom como treinador para o Clube do Remo, não continuará como tal em 2010 no esquadrão azulino. Assim, não justificaria torcer por uma derrota, afinal, estaria eu, sendo diferente deles?
    As minhas idas e vindas de estádios, acompanhando o Leão Azul não é um sim ao “lúdrico” bem particular da cúpula azulina e, sim a afirmação de um torcedor nato das cores que escolheu para torcer desde os cinco anos de idade de que estarei sempre lá, mesmo porque, sou 100% azulino.

Deixe uma resposta