Sobre a senadora que quer mandar no Pará

Por Roberty/Blog do Nassif

A propósito de uma reportagem que Leandro Fortes publicou na Carta Capital, o Conversa Afiada publicou o seguinte post: “Kátia, que é inimiga do MST e quer derrubar governadora compra terra no grito e não planta nada”. Ontem, por telefone, Paulo Henrique Amorim entrevistou o pequeno proprietário rural Juarez Vieira Reis, de Campos Limpos, Tocantins.
Juarez reafirmou que a união do Poder Executivo e do Judiciário de Tocantins o obrigou a abandonar as terras em que vivia com a família desde 1955, sem receber um tostão.
O beneficiário da intervenção foi a então deputada e presidente da associação rural de Tocantins, a hoje senadora Kátia Abreu, que tenta prender o João Pedro Stédile e depor a governadora do Pará.
A senadora se apropriou das terras, embora tenha ido à casa de Juarez e prometido que não faria nada para prejudicar a família.
Juarez venceu em todas as etapas do Judiciário, mas não consegue reaver as terras.
Ele demonstrou que os documentos que atestavam a sua propriedade – o usucapião – eram legítimos. A certa altura, uma autoridade disse que ele tinha tomado aquelas terras e Juarez respondeu: “nunca vi pobre tomar terra de rico”.
Enquanto isso, a senadora não planta no local um pé de feijão.
Juarez calcula que a senadora, com a desapropriação ilegal, tenha se apossado de 3 mil hectares de terra, num platô da Serra Geral.
Juarez mencionou que, no último sábado, conversou com o senador João Ribeiro, do PR de Tocantins, e denunciou a injustiça de que é vítima. Paulo Henrique Amorim conversou ontem à noite com o senador João Ribeiro, por telefone.
Ribeiro confirmou que esteve com Juarez numa solenidade entrega de 100 títulos, em companhia do senador Eliomar Quintanilha, hoje secretário de Educação de Tocantins, e José Augusto Pugliesi, presidente do Instituto de Terra do Tocantins.
Que, de fato, conversou com Juarez.
“Um homem simples”, disse o senador.
“É uma história de estarrecer !”, disse João Ribeiro.
“Foi um processo brutal (de desapropriação)”, disse.
O senador anunciou que vai conversar com o governador Carlos Henrique Gaguim (PMDB) para apurar como foi essa desapropriação das terras de Juarez e ver o que é possível fazer, dentro da lei.
“Precisamos ver se a terra é ou era dela. É uma história de estarrecer. E ela (senadora Kátia Abreu) não produziu nada: um pé de feijão !”, concluiu o senador João Ribeiro.

7 comentários em “Sobre a senadora que quer mandar no Pará

  1. O último senador a peitar um cacique sofreu as consequencias e seu esquartejamento e salga moral servem de cala boca a quem quer que venha a tentar mandar “ficar calado” esses oportunistas e seus testa de ferro que após chegarem a se apossarem das nossas riquesas, querem agora criar seus próprios feudos , empurrando os paraenses para as terras mais pobres e sem futuro desse nosso teritório.

    Curtir

  2. A Senadora Grileira está na fita, a chapa dela está aquecendo, a casa dela caiu.
    A Senadora Grileira deve sim ser testa de ferro da FAEPA, povo que se apossou pelos mesmos métodos(grilagem) de vastas áreas neste Estado, agora querem posar de bonzinhos, vítimas, produtores, empreendedores e coisas desse genero, haja vista, que os governos TUCANOS que lhes pemitiram sugar esta terra foi destituído e não tem previsão de voltar ao poder, é muito fácil nesta terra Brasílis, posar de industrial, produtor rural em grande escala, de gente que produz para o crescimento deste país, com as beneses dos governos, eleitos por eles, sugam o Estado, ao máximo que podem e querem ser reconhecidos como empreendedores, claro está, que a situação política que o Pará vive, tem o dedo desses sugadores das verbas públicas, querem destituir um Governo que não está a serviço deles, porém, não querem aparecer, pois ainda não está devidamente esclarecido, o grande número de mortes de agricultores rurais, cujas terras foram objeto da cobiça de muitos desses que não podem aparecer, agricultores foram mortos, expropriados de suas terras defensores, advogados deles foram também eliminados, quem não lembra de Paulo Fonteles, João Batista, Pe. Jósimo, brasília, João Canuto e por aí vai, são muitos, muitíssimos.

    Curtir

  3. Entendem agora o por quê da “truculência” de movimentos como o MST e o MPL, com o apoio inclusive das CPT’S?
    O Silas Negrão foi muito feliz em suas colocações: na verdade, a pseudo classe produtiva desse imenso país sempre se beneficiou das benesses do Estado, numa relação de clientelismo vil que sempre vitimizou os verdadeiros interesses do país (ou seja, do seu povo), ao passo que o interesses destes grupos de pseudo produtores sempre utilizou da prestação de serviço de porta-vozes como a imprensa reacionária (leia-se Globo, Veja, Estadão, Folha e mais recentemente a Época, além de alguns grupos de comunicação de cada região), que passa a idéia de que os interesses de tais grupos são, “de fato”, os “do país”!
    Como as instituições e os poderes constituídos (Estado, Governos, Judiciário, Legislativo, Polícias e etc.) servem a tais gurpos e são servidos por estes (e o caso Daniel Dantas é emblemático nesse sentido), praticamente engessando-os, discursos inflamados e atitudes deliberadamente hostis dos movimentos socias nada mais são do que respostas à altura do descalabro em que se encontra o campo. E quando o MST não obedece aos mandados de reintegração de posse expedidos pelas comarcas e tribunais deste imenso estado, e, pelo contrário, continua a invadir terras, se negando-a sair delas, logo os magistrados se ofendem, afirmando que o Judiciário está sendo desrespeitado e “achincalhado” pelo movimento. Na verdade, caros doutores, o MST e outros movimentos não estão desrespeitando o Judiciário enquanto instituição, poder constituido… simplesmente são atitudes simbólicas que revelam o não reconhecimento do Judiciário que aí está como insituição e poder constituido legítimo, pois o mesmo não atua visando a observância da lei, dos direito inalienáveis aos homens e da harmonização social… mas do direito de apenas alguns homens… então…

    Curtir

  4. Por sinal, já que a senadora gosta tanto de pedir intervenção em Estado alheio, poderia aproveitar a deixa e solicitar intervenção no Distrito Federal, do seu companheiro Arruda, pois além dele, o vice e o presidente da Assembléia Distrital também poderão ser cassados. Vai daí…

    Curtir

  5. Boa tarde Gerson Nogueira e amigos blogueiros.
    No post de minha manifestação inicial de hoje, deixei de informar a fonte da notícia na qual me orientei para classificar a Senadora Kátia Abreu, de Senadora Grileira, acessando o link abaixo, vocês também ficarão indignados e conhecerão um pouco mais não só da figura em tela, mas, também de seu clã, é isso mesmo, no Tocantins tem um poderoso clã, que está exportando now how separatista, eles já se deram bem, agora estão aumentando seu raio de ação e por conseguinte sua influencia.

    http://www.cartacapital.com.br/app/materia.jsp?a=2&a2=8&i=5542

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s