Jóbson na mira do futebol alemão

Foto da A.A. Ponte Preta, sub-14, com Jóbson agachado e com o pé sobre a bola 

Natural de Conceição do Araguaia, o atacante Jóbson ganhou destaque nacional com as atuações pelo Botafogo ao longo de 12 jogos do atual Campeonato Brasileiro. Destacou-se tanto que já estaria na mira de um clube alemão, segundo o técnico Estevam Soares. De família humilde, como tantos outros jovens do interior paraense, Jóbson teve que trabalhar desde muito jovem para comprar material escolar e pagar as mensalidades da Escolinha de futebol AAPP onde jogou por três anos, sendo treinado por Everaldo Lisboa. Mais detalhes na edição do Bola de amanhã (com informações do repórter Delmiro Silva).

Pensata: Dunga descarta Fenômeno

Por Wagner Patti

Em evento no Museu do Futebol, em São Paulo, o técnico Dunga deixou claro que não deve levar Ronaldo para a Copa de 2010. “Não tentem me induzir aos erros do passado”, disse.
Dunga não quer iludir o torcedor.

O treinador tem o grupo na mão, fechado com ele. A questão é saber o quanto de bola Ronaldo vai jogar no primeiro semestre do ano que vem, o tamanho do lobby pela presença do atacante, e se o ‘Presidente’, como o Fenômeno é conhecido no âmbito da seleção, ainda é unanimidade entre seus pares.

Um mal-estar entre os boleiros selecionáveis é tudo que Dunga deseja evitar. Foi colocá-lo no cargo justamente para botar ordem na casa, resgatar o nacionalismo canarinho, após a balbúrdia de 2006. Como ficou provado, de nada adianta ter um ‘Quadrado Mágico’, que viria a ser trágico, se não houver comprometimento. E envolvido com o treinador é o que esse grupo mais está.

A situação lembra a de Romário em 2002. A torcida queria o Baixinho na Copa. Felipão, não. Ele sabia que a presença do jogador representava a perda do elenco por entre os dedos, por isso enfrentou a situação de peito aberto.

Seleção do Brasileirão: Fla e Palmeiras lideram

Do Portal Terra

Flamengo e Palmeiras dominaram a lista de jogadores indicados à seleção do campeonato Brasileiro, anunciada nesta terça-feira pelo técnico da Seleção, Dunga, em evento realizado no Museu do Futebol, em São Paulo. Contando com o técnico Andrade, o clube carioca tem oito nomes pré-selecionados, dois a mais do que os paulistas. Líder da Série A, o São Paulo tem apenas três, mesmo número do Internacional.

Na categoria revelação, Fernandinho (Barueri/foto), Giuliano (Inter) e Paulo Henrique Ganso (Santos) duelam pelo prêmio. Já Andrade concorre com Silas, do Avaí, e Celso Roth, do Atlético-MG, como melhor treinador. Os indicados foram escolhidos por um colégio eleitoral, com número não divulgado pela CBF, formado por jornalistas, jogadores e treinadores. Os escolhidos para cada posição serão anunciados no dia 7 de dezembro, em evento que será realizado no no Vivo Rio, no Parque do Flamengo, no Rio de Janeiro. No mesmo dia será conhecido o Craque do Brasileiro, cujo três finalistas não foram divulgados mas estão entre os indicados em cada posição.

Veja a lista completa:

Goleiros

Bruno (Flamengo)
Marcos (Palmeiras)
Victor (Grêmio)

Lateral direito

Jonathan (Cruzeiro)
Leo Moura (Flamengo)
Vitor (Goiás)

Zagueiro pela direita

Andre Dias (São Paulo)
Chicão (Corinthians)
Danilo (Palmeiras)

Zagueiro pela esquerda

Miranda (São Paulo)
Réver (Grêmio)
Ronaldo Angelim (Flamengo)

Lateral esquerdo

Armero (Palmeiras)
Júlio César (Goiás)
Kléber (Inter)

Volante pela direita

Hernanes (São Paulo)
Pierre (Palmeiras)
Willians (Flamengo)

Volante pela esquerda

Guinazu (Inter)
Maldonado (Flamengo)
Sandro (Inter)

Meia pela direita

Cleiton Xavier (Palmeiras)
Diego Souza (Palmeiras)
Souza (Grêmio)

Meia pela esquerda

Conca (Fluminense)
Marcelinho Paraíba (Coritiba)
Petkovic (Flamengo)

Primeiro atacante

Diego Tardelli (Atlético-MG)
Fernandinho (Barueri)
Fred (Fluminense)

Segundo atacante

Ronaldo (Corinthians)
Adriano (Flamengo)
Iarley (Goiás)

Técnico

Andrade (Flamengo)
Celso Roth (Atlético-MG)
Silas (Avaí)

Revelação

Fernandinho (Barueri)
Giuliano (Inter)
Paulo Henrique Ganso (Santos)

Árbitro

Heber Roberto Lopes
Paulo Cesar de Oliveira
Leonardo Gaciba

Craque da Galera

Conca (Fluminense)
Hernanes (São Paulo)
Petkovic (Flamengo)

Torcida botafoguense tirou bandeirinha da Fazenda

Dos 61% dos votos que tiraram a bandeirinha Ana Paula Oliveira de A Fazenda 2, no domingo (22), boa parte veio da torcida do Botafogo, que se mobilizou para eliminar a participante – que, em 2007, marcou dois impedimentos que anularam dois gols do Alvinegro contra o Figueirense na semifinal da Copa do Brasil. Na semana passada, os torcedores do Fogão fizeram campanha boca a boca e via Internet para detonar a morena.

“Acho que 90% dos botafoguenses votaram para ela sair e eu fui um deles, votei 385 vezes. Chegou a hora de a gente poder dar o troco, foi uma maneira de fazê-la sofrer como sofremos. E ela deve ter sofrido mais, porque perdeu a chance de ganhar R$ 1 milhão”, alfineta o conselheiro da Torcida Jovem, Roberto Alves. No Orkut, os torcedores comemoraram a saída de Ana Paula. “Vamos fazer uma faixa para ela saber que quem a tirou da casa foi a torcida do Fogão”, escreveu um botafoguense na comunidade do time. Ana Paula ficou revoltada com a reação da torcida. “Isso é ridículo, uma falta de respeito com o profissional. Eu sempre respeitei a camisa do Botafogo. É lamentável que, por um lance mal interpretado, façam uma campanha contra mim”, disse. (Do portal Terra)

Cruel essa torcida alvinegra. Isso não se faz. Tirar do programa moça tão dada…

A quem interessar possa…

Agenda do presidente Lula nesta terça-feira, 24:

9h30 José Sérgio Gabrielli, presidente da Petrobras

12h Encontro privado com o presidente da República Tcheca, Václav Klaus, no Palácio Itamaraty

12h50 Assinatura de atos

13h Almoço em homenagem ao presidente da República Tcheca, Václav Klaus

15h30 Reunião para apresentação do Plano Nacional de Banda Larga

17h Despacho interno

17h30 Guido Mantega, ministro da Fazenda

18h30 Sebastián Piñera, candidato à presidência do Chile

19h Samuel Pinheiro Guimarães, ministro-chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos

(Fonte: Secretaria de Imprensa da Presidência)

Coluna: Malas de cores variadas

A expressão do momento é “mala branca”. Desde que dois jogadores do Barueri admitiram publicamente ter recebido um “agrado” do Cruzeiro para atrapalhar a vida do Flamengo, não se fala de outra coisa. Quem perde dá um jeito logo de lembrar que existem malas circulando por aí. Quem ganha é, de imediato, posto sob suspeita de ter sido anabolizado com alguma oferta financeira.
O galho todo é porque, como se previa, a situação no Barueri não ficou devidamente esclarecida e desembocou em outras facilidades permitidas pela direção do clube, que suspendeu os boquirrotos (atacante Val Baiano e o goleiro Renê) do jogo seguinte, contra o S. Paulo, vencido pelo Tricolor no Morumbi com extrema dificuldade.
Entre dificuldades, vendidas ou não, para facilidades, compradas ou não, vai chegando ao fim o mais equilibrado – e emocionante – Brasileiro da era dos pontos corridos. Há ainda quem confunda equilíbrio com qualidade, mas o certo é que o nível da disputa é tão raso que os times da zona do rebaixamento normalmente criam imensos transtornos para os do G-4.
A desonrosa exceção é o Sport Recife, que aparentemente não entrou em campo contra o Fluminense (o terceiro gol, de Conca, foi do tipo “entre, a casa é sua”) e ao que tudo indica não entrará mais contra ninguém nas duas rodadas que restam.
Um truque para aferir o verdadeiro nível da disputa é fazer a perguntinha impertinente: qual desses quatro times é o que joga futebol mais convincente? S. Paulo, Fla, Inter ou Palmeiras? A não ser que o sujeito seja um daqueles fanáticos pachecos, a hipótese “nenhuma das opções anteriores” brilha no ar como a mais lógica, disparadamente.
Nada contra os quatro candidatos ao galardão máximo do torneio, mas é fato que o quarteto até hoje não mostrou futebol de alta qualidade. E, a essa altura, periga até dizer que o Fluminense, da turma que está lá embaixo, é o que tem o mais reluzente padrão de todos os 20 disputantes.
Quanto à livre circulação de malas, tema inicial do artigo, duro é identificar a verdadeira cor da bagagem. Alguns resultados fazem crer, pela extrema fragilidade exibida por um dos times, que pode-se ter malas escuras na área. A tendência, aliás, é que o tom mais encardido prevaleça nas rodadas que restam, justamente as mais importantes da competição.
 
 
A notícia mais absurda dos últimos meses, dentre tantas, é, sem dúvida, essa da extinção da categoria sub-20 do Paissandu. Mais que suicídio, é burrice. Significa cortar a própria carne. Não existe futebol sustentável, para clubes pobres como os nossos, sem formação própria de jogadores. É assumir de vez a política consumista, que tantas desgraças acarreta ao futebol paraense. Imagino que, depois do sub-20, o Paissandu vai progressivamente eliminar as demais divisões, até ficar apenas sob o alegre domínio dos empresários de jogadores.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta terça-feira, 24)