Família de Caetano pede desculpas a Lula

Do Correio da Bahia

Rodrigo Velloso, irmão de Caetano Veloso e secretário municipal de Cultura de Santo Amaro fez questão de esclarecer, através de um pedido de desculpas, que a família Velloso não tem nada a ver com a declaração do mano famoso. Eis o teor do documento:

“Venho a público esclarecer que a recente declaração, feita pelo cantor e compositor Caetano Veloso sobre o presidente Lula, não expressa, em nenhuma hipótese, a opinião da família Velloso. Sua matriarca, Dona Canô, por meu intermédio, deseja se dirigir ao governador Jacques Wagner, a todos os brasileiros e, principalmente, ao presidente da República, com um sincero pedido de desculpas”.

Já nem é Clube, é Seleção…

Jornada esportiva da Rádio Clube neste domingo, 15/11:

Campeonato Paraense Sub-20 (Decisão)

Paissandu x Pinheirense
Local: Estádio Edgar Proença (Mangueirão)
Horário: 9h30

Narração: Carlos Gaia

Comentários: Gerson Nogueira

 

Amistoso

Cametá x Paissandu

Local: estádio Parque do Bacurau, Cametá

Horário: 16h

Narração: Cláudio Guimarães

Reportagens: Dinho Menezes

 

Bola na Torre

TV RBA, 22h30

Com Guerreiro, Tomazo, Gerson e Valmir

Repescagem: Portugal e França saem na frente

774428cf-1bd3-3d03-b691-b7dfaf93da21

Jogando em casa, Portugal sofreu e precisou suar muito, mas saiu com a vitória por 1 a 0 sobre a Bósnia-Herzegovina neste sábado no duelo de ida da repescagem das eliminatórias europeias para a Copa do Mundo de 2010. Sem sua principal estrela, o meia-atacante Cristiano Ronaldo, machucado, os donos da casa tiveram o brasileiro naturalizado português Liedson como titular, mas foi Bruno Alves quem marcou o único tento da partida, aos 31 minutos do primeiro tempo.
A França também saiu na frente no duelo contra a Irlanda pela repescagem europeia para a Copa do Mundo de 2010. Neste sábado, em Dublin, os franceses venceram por 1 a 0 e jogam por um empate na próxima partida em casa para garantir a vaga. O gol da vitória dos atuais vice-campeões mundiais saiu aos 27 minutos do segundo tempo: Anelka recebeu na entrada da área e arriscou o chute; a bola desviou no zagueiro St. Ledger e enganou o goleiro Shay Given. O jogo de volta acontece na quarta-feira, em Paris, no Estádio Saint-Denis, às 18h (de Brasília).

Coluna: A redenção vascaína

Vi, na sexta-feira à noite, o jogo que garantiu ao Vasco o título da Série B. Comparei com outras jornadas cruzmaltinas nesta Segundona e era evidente a instabilidade emocional do time, atormentado entre a necessidade de agradar a multidão nas arquibancadas e a missão de superar um oponente desesperado para escapar do rebaixamento.   
É evidente que não se pode esperar do esquadrão vascaíno, por maior boa vontade que exista, atuações impecáveis. Luta, velocidade e entrega estão presentes em todos os lances. Sobra transpiração, mas não há talento em quantidade suficiente para dar espetáculo de fina técnica. A rigor, somente o meia-armador Carlos Alberto se aproxima do figurino clássico do sujeito bom de bola.
Por força dessa limitação, o título – que dependia de vitória simples – só veio depois de um jogo difícil, disputado palmo a palmo com o bravo América-RN. O visitante saiu na frente, mas a torcida entusiasmada não calou. O time foi à frente, na bruta, trombando, tentando chegar ao empate. Dois pênaltis foram marcados, só um convertido.
O sufoco não diminuiu nem mesmo com o fato de o adversário ter ficado com um jogador a menos desde o começo do 2º tempo. Tantos sacrifícios talvez retratem bem a via-crúcis própria da competição, que adquire aspecto ao mesmo tempo punitivo e purificador para os grandes clubes brasileiros.
O Vasco, que padeceu mais de uma década sob as botas de Eurico Miranda, caiu de divisão no ano passado, justo no momento em que o clube passava às mãos de seu maior ídolo, Roberto Dinamite. A dor que o rebaixamento provocou só podia encontrar cura na volta redentora, por cima, conquistada em campo.
Ao dar a volta no gramado, saudando e sendo saudado pelo torcedor, num gesto tantas vezes repetida ao longo da vitoriosa saga de artilheiro, Dinamite encarnou à perfeição o novo Vasco, fortalecido e legitimado para retomar sua história entre as legendas do futebol no Brasil. Uma conquista merecida e comovente. Digna de parabéns.
 
 
O mundo tem cada vez mais pressa. Não importa o destino, mas a urgência em chegar. Parece filosofia de botequim, talvez até seja, mas é fato. No futebol, espelho da vida, as coisas não são diferentes. E é justamente essa afobação dos tempos modernos que aflige o Paissandu de hoje, às voltas com um time completamente reformulado e um caminhão de dúvidas quanto à qualidade dos novos contratados (15 no total).
Sem chance de testar os reforços em jogos oficiais, restou a opção dos amistosos contra equipes amadoras do interior. O empate de quinta-feira, na Curuzu, contra S. Caetano de Odivelas deixou a torcida à beira de um ataque de nervos. Não precisava tanto. A situação exige serenidade. Nada mais precipitado do que cobrar resultados no começo de um trabalho.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO deste domingo, 15)

Seleção bate Inglaterra em amistoso

2a13fad0-f540-3b86-9240-0d0a9019f2a2

Em jogo morno, o Brasil superou a Inglaterra por 1 a 0, neste sábado, em amistoso disputado em Doha. O gol da Seleção foi marcado por Nilmar, de cabeça, logo a 1 minuto do segundo tempo, após lançamento de Elano. Artilheiro da era Dunga, Luís Fabiano desperdiçou um pênalti, também sofrido pelo atacante do Villarreal.

Desfalcado de seus principais jogadores de defesa e meio-campo (Rio Ferdinand, Steven Gerrard e Frank Lampard, por exemplo), o English Team teve muitas experiências por parte de Fabio Capello, mas a superioridade brasileira no confronto foi grande. Já Dunga começou o jogo com Michel Bastos na ala esquerda e no segundo tempo lançou Carlos Eduardo e Hulk.

Assim, o Brasil vence pela 11ª vez a Inglaterra em 23 confrontos; aconteceram também nove empates e três vitórias do time da terra da Rainha. Na próxima terça-feira, às 12h30 (de Brasília), a Seleção vai a Omã enfrentar o selecionado local. (Da ESPN e iG Esporte)

7155405_brasil_x_inglaterra_237_316