Vasco garante volta à Primeira Divisão

07_MHG_esp_vasco595

O Vasco da Gama está novamente na elite do futebol brasileiro. Neste sábado, diante de mais de 81 mil torcedores no Maracanã e sob um calor de 40 graus, a equipe derrotou o Juventude por 2 a 1 e garantiu seu acesso à Série A do Campeonato Brasileiro. Os gols vascaíanos foram marcados por Adriano, aos 28 minutos do primeiro tempo, aproveitando cruzamento de Ramon da direita, e Carlos Alberto, de pênalti, aos 23 da etapa final. O Juventude chegou a assustar, quando empatou aos 17 minutos do segundo tempo, com Irineu.

Com a vitória, o time carioca chegou aos 70 pontos ganhos e não pode mais ser alcançado pelo quinto colocado, que tem 13 pontos a menos, faltando apenas quatro rodadas para o término da competição. O público quebrou todos os recordes da Segunda Divisão. (Com informações do Globoonline e ESPN)

6d9d959f-902a-3a57-aa40-7aeb4f806439

Universidades: o recorde de 2 sem diploma

A sanção por parte de José Alencar, presidente da República em exercício, ao projeto de lei que criou a Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), na última quinta-feira, estabelece uma façanha: o governo Lula alcançou a marca de 12 universidades criadas – recorde histórico no Brasil. Até então, JK era o recordista, com 10 universidades federais.

Detalhe: Lula e seu vice, José Alencar, não têm diplomas. Donde se conclui que, nesse papo de analfabetismo, uma coisa nem sempre tem a ver com outra. Ou não. 

Borges nega ter cavado expulsão

b2760741-7bfb-30bb-a8f6-a13d974f77f6

Da ESPN

Santos, Corinthians e Grêmio: esses são alguns dos times que aparecem como interessados em Borges. Só que o atacante do São Paulo desmente, por enquanto, que tenha acertado contrato com outro clube para a temporada 2010. O vínculo do camisa 17 com o São Paulo termina em 31 de dezembro. No Morumbi, especula-se que haverá grande dificuldade para a renovação, até por pressão de alguns integrantes da diretoria são-paulina.

“Não falei que quero ir embora, tudo é especulação. Não assinei pré-contrato com ninguém”, desabafou o atleta, após o treino deste sábado no CT da Barra Funda. Borges assegura que está extremamente chateado com os comentários que cercam seu nome. Muitos torcedores o acusaram de cavar a infantil expulsão na recente partida contra o Grêmio.

Nada como um dia atrás do outro e um Brasileiro pelo meio. No campeonato de 2007, quando tinha o Botafogo como seu principal oponente no primeiro turno, o S. Paulo fechou pré-contrato com os alvinegros Juninho e Jailson. Pelo visto, Borges aprendeu como se faz.

Denílson quer jogar no Palmeiras

Por Cosme Rímoli (R7)

Denílson. 32 anos.

Uma das carreiras mais controversas do futebol brasileiro. Ainda é o jogador mais caro a deixar o país. Foi vendido em 1998 por 32 milhões de dólares. Do São Paulo para o Bétis.

Robinho saiu por 30 milhões de dólares, do Santos para o Real Madrid. O São Paulo vendeu Kaká por 8 milhões de dólares ao Milan. Ronaldinho Gaúcho foi por 5 milhões de euros do Grêmio para o Paris Saint Germain. Keirrison foi por 16 milhões de euros do Palmeiras para o Barcelona.

Denílson ainda é o mais valorizado. “O São Paulo reformou o Morumbi e ainda terminou dois Centros de Treinamento com a minha venda”, brinca Denilson, que depois foi proibido de treinar fisicamente no clube que o revelou e, para quem deu tanto lucro. Em corajosa entrevista exclusiva, ele revela que não ficou com um centavo da maior transação de um jogador que saiu do Brasil. Diz ter sido enganado por seu empresário Luiz Vianna.

E antecipa que está muito perto de voltar a trabalhar com o treinador que mais o conhece na vida: Muricy Ramalho no Palmeiras.

Denílson é verdade que você não ficou com nada da sua venda milionária para o Bétis? Como pode ser isso? Foi a maior da história do futebol brasileiro…

Eu vou ser bem sincero, Cosme. Não fiquei porque confiei plenamente no meu empresário da época, o Luís Vianna. Ele tinha plenos poderes para administrar as minhas coisas. E, simplesmente, ele pegou tudo para ele. Tudo. Eu confiei cegamente nele e o dinheiro que era meu da transação entre São Paulo e Bétis sumiu. Legalmente ele estava amparado porque eu assinei tudo o que ele pediu para assinar. Quando percebi o que tinha acontecido, eu não acreditei. Fiquei chocado. E só me perguntava: por quê? Por quê? Ele era o meu maior amigo, meu protetor. Mas a tentação foi maior. Meus pais me avisavam para ter cuidado com ele. Olhar de pai e mãe não se engana. Eu o defendi até o fim. E foi a grande decepção que tive na vida. Não fiquei com nada desta minha venda para o Bétis. Nada.

Mas sua vida financeira está estabilizada…

Sim. Tirando o Flamengo, sempre recebi em dia nos times onde joguei (ri). Estou tranquilo, mas tenho de trabalhar. Mas o que deveria ter recebido por direito do Bétis, não recebi.

Denílson, muita gente diz que a sua carreira poderia ter sido muito melhor se você não fosse tão individualista, que jogava mais para você do que para os times. Você concorda?

Não, de jeito nenhum. Foi assim, individualista, pegando a bola e partindo para cima dos zagueiros que fiz a minha carreira. O que acontece é muita inveja. Nem sei se inveja é a palavra. Mas sempre teve muita gente que não se conformava com a minha habilidade, meu poder de dribles. Foi assim que fui para duas Copas do Mundo. Fui campeão em uma e vice em outra. Fiz exatamente o que os treinadores me pediram. Podem falar que eu era reserva. Mas se me chamassem para cinco como reserva, eu iria feliz da vida. Minha carreira é vitoriosa, sim.

denilson_vietna_21-06-09_292

Você passou pelo Dallas dos Estados Unidos e pelo Itumbiara, clubes sem representatividade. Mas o máximo foi você ir até o Vietnã e jogar 45 minutos. Que coisa de louco foi essa?

Rapaz, foi ótimo você ter me perguntado isso. Parece a história da convulsão do Ronaldinho. Cada um tem uma versão diferente. Eu vou explicar o que aconteceu. Eu estava mal fisicamente quando recebi essa proposta de jogar no Xi Mang, do Vietnã. Fui sincero e falei que só iria se o clube tivesse fisioterapia, sala de musculação, tudo o que eu precisava para me preparar para aguentar jogar. Mas quando cheguei lá, não tinha nada, nada. Tudo era muito amador. Falei para o presidente do clube que iria embora e devolveria os 50% que havia recebido antecipadamente. Expliquei tudo para ele. Só que o presidente disse não. Ele exigiu que eu jogasse.

Como assim?

Ele já havia dado a palavra dele que havia me contratado. A imprensa do mundo inteiro já tinha noticiado que eu era jogador do Xi Mang. Disse que seria um vexame grande demais para ele se eu não atuasse. Eu percebi mesmo que a coisa saiu do controle. Ficou uma loucura no clube. Então, resolvi jogar. Sou sincero, joguei como um morto. Não conseguia andar. Vi que estava muito mal fisicamente. Pior que imaginava. Mas mesmo assim, fiz um gol, dei passe para outro e sofri a falta que acabou virando o terceiro. Tudo isso em apenas 45 minutos. O time que estava mal no campeonato venceu por 3 a 2. Saí consagrado do campo. Mas eu sabia que não tinha condições de jogar. Precisava operar. Procurei o presidente para devolver o dinheiro. Ele falou que não precisava, que eu tinha sido sincero com ele. E voltei para o Brasil. Tudo foi uma grande loucura.

E agora como você está?

Eu operei o meu joelho e estou liberado há uma semana para fazer todos os exercícios físicos. Vou treinar forte e no começo do ano estarei pronto para voltar a jogar. Estou fazendo o meu trabalho de recuperação no Palmeiras. Está sendo ótimo. Todos me tratam com muito carinho, dignidade. Eu vou confessar: gostaria demais de jogar no Palmeiras em 2010. O Muricy vem sempre me pergunta como estou. Quero muito que dê certo.

Mas está tudo apalavrado?

Não. Não está, não. É só um desejo meu. Não quero atrapalhar o Muricy e o Palmeiras. O time está na fase decisiva do Brasileiro. Estou torcendo muito que o time seja campeão. E depois, se houver a possibilidade, gostaria de defender o Palmeiras. Me identifiquei muito com o clube. E adoraria trabalhar com o treinador que mais me conhece na vida. O Muricy me conhece bem mais do que o Vanderlei Luxemburgo. O Muricy me lançou no São Paulo quando dirigiu o Expressinho.

Você tem mágoa do São Paulo?

De jeito nenhum. Tenho o maior respeito e carinho pelo clube. O que aconteceu foi um problema com um diretor. Quando eu voltei dos Estados Unidos estava precisando treinar fisicamente. E fui para o São Paulo normalmente. Acreditava que era a minha casa, que ninguém me proibiria de treinar. Sempre fui bem tratado demais pelo presidente Juvenal Juvêncio. Só que fui ser humilde e não procurei o presidente. Fui falar com o diretor, um tal de João Paulo (Jesus Lopes). Ele fechou as portas do São Paulo para mim. E ainda ele e o Marco Aurélio Cunha foram dizer na imprensa que não me deixaram treinar porque eu levaria os jogadores para a balada. Uma enorme bobagem.

Denílson: muitas pessoas disseram várias coisas. A mais comum é que você está implorando para jogar. Já ouviu não da Portuguesa, Guarani, Ponte Preta…

Sensacional você me perguntar isso. Os presidentes dos clubes precisam saber que existem empresários me oferecendo por aí. Mas quem responde pela minha carreira só sou eu e meu irmão. Não me ofereci para a Portuguesa ou para nenhum clube. Já me colocaram no Sertãozinho, Rio Branco e vários outros clubes do Interior de São Paulo. A única proposta concreta, verdadeira, eu vou te falar. O Juninho do Ituano me ligou e disse que, se eu não arrumasse clube melhor, as portas do Ituano estariam abertas para mim. Existem outras possibilidades. Mas se elas não se concretizarem, jogarei com o maior prazer no Ituano. E lá posso mostrar que ainda tenho muito futebol. Terei pela frente no mínimo mais três anos de carreira em alto nível. Quando eu sentir que não estou bem, eu serei o primeiro a querer parar. Não vou estragar a minha carreira que é tão vitoriosa.

MST denuncia perseguição política à OEA

Por Christina Lemos

Os sem-terra botaram a boca do trombone – desta vez com alcance mundial. João Paulo Rodrigues, da coordenação nacional do MST, foi a Washington denunciar à Comissão Interamericana de Direitos Humanos, órgão da Organização dos Estados Americanos (OEA) o que chamou de processo de repressão e criminalização dos trabalhadores rurais que lutam pela terra no Brasil.

A iniciativa é uma reação à CPI recém criada no congresso. O MST afirma que a comissão de inquérito é um “instrumento ideológico” destinado a paralisar a reforma agrária e desgastar o movimento. E ataca setores do judiciário, que teriam  “uma relação promíscua com as elites locais e com o latifúndio”, afirma Rodrigues.

O líder sem-terra pede o acompanhamento próximo de autoridades da ONU ao que se passa no Brasil, no que diz respeito à reforma agrária. O gesto tem impacto relativo. Mas é uma manifestação clara de quem pode estar perdendo interlocutores e defensores internos.

Anselmo Duarte (1920-2009)

7111540_anselmo_duarte_cultura_288_419

Natural de Salto (SP), o diretor Anselmo Duarte morreu ontem em São Paulo, aos 89 anos, vítima de AVC. Ele ganhou a Palma de Ouro em Cannes por “O Pagador de Promessas” (1962), estrelado por Leonardo Villar e Glória Menezes, único filme brasileiro a ganhar o principal prêmio do festival francês, um dos mais prestigiados do mundo. A produção também concorreu ao Oscar de melhor filme estrangeiro.

Um dos maiores galãs do cinema nacional, Anselmo começou sua carreira como ator ao se mudar para o Rio, nos anos 40. Atuou em várias produções da Atlântida, como “Carnaval no Fogo”, uma comédia musical sobre um plano de assalto ao Copacabana Palace, em que contracenava com Oscarito e Grande Otelo, além de assinar o argumento do filme.

Ele fez também “Aviso aos Navegantes”, sobre uma companhia teatral excursionando em navio luxuoso, quando atuou com a mesma dupla no filme com o mesmo diretor: Watson Macedo, com quem Anselmo Duarte aprendeu a dirigir e escreveu roteiros e argumentos. O cineasta fez carreira também na Vera Cruz paulista, contracenando com Tônia Carreiro em “Tico-Tico no Fubá”. (Do Portal iG)

Lei de Imprensa definitivamente extinta

Do Comunique-se

Agora é oficial. A lei federal 5.250, conhecida como Lei de Imprensa, não existe mais no ordenamento jurídico do País. O acórdão da decisão tomada pelo Supremo Tribunal Federal em 30/04/2009, que considerou a lei inconstitucional, foi publicado no Diário da Justiça desta sexta-feira (06/11).

Na prática, a publicação do acórdão não modifica muita coisa, já que a ata da decisão foi publicada no dia 12/05 e, a partir de então, os tribunais passaram a aceitar o posicionamento do Supremo. Caso as partes considerem que o acórdão não está claro, elas têm um prazo de cinco dias para pedir o embargo de declaração, que visa a esclarecer o texto, não modificar a decisão. A íntegra do acórdão pode ser acessada pelo site do STF.

Meiúca vira prioridade no Baenão

Remo Danilo,Samir e Renan-MQuadros

Danilo Mendes, Samir e Renan: disputa por vaga no novo meio-campo azulino

Ao contrário de outros tempos, quando a prioridade era a contratação de atacantes, o Remo resolveu começar a montagem da nova equipe pelo meio-campo. Durante a semana, desembarcaram em Belém nada menos que cinco meio-campistas: Renan, Danilo Mendes, Fabrício Carvalho, Samir e Gian. Vêm se juntar a Marlon, Pitbull, Diego Maciel e Ramon, que já estão no clube e vêm disputando os amistosos pelo interior. De todos, o mais experiente é Gian, 35 anos, que ensaia um retorno ao clube depois de convidado pelo diretor Abelardo Sampaio. Fabrício, que jogou pelo Volta Redonda e vários outros clubes, também é rodado e deve ser uma das referências do setor. Já Danilo e Renan são jovens e devem disputar lugar com Marlon e Diego Maciel na cabeça-de-área. Ex-Figueirense, Samir joga um pouco mais adiantado, fazendo muitas vezes o papel de terceiro atacante.

Ex-remista deve assinar com o Papão

O goleiro Evandro, que defendeu o Remo durante a maioria dos amistosos do segundo semestre, está a um passo de fechar contrato com o Paissandu. Dispensado pelos azulinos, que apostam na dupla Adriano e Rodrigo Ramos para o Campeonato Paraense, Evandro procurou de imediato o diretor alviceleste Antonio Cláudio Costa, o Louro, pedindo uma chance na Curuzu. Antes de consultar o técnico Nazareno Silva, Louro declarou que Evandro será uma boa aquisição, juntando-se a Naldo e Paulo Wanzeller, atuais goleiros do clube. Nazareno, em entrevista à Rádio Clube, disse nada saber sobre o acerto com o Evandro e chegou a atribuir a notícia a “jogada de empresário”.

Uma zagueira carniceira

235_656-elizabeth-lambert

Do Planeta que Rola

Elizabert Lambert (na foto, usando camisa vermelha), zagueira de 21 anos, do Los Lobos, time da Universidade do Novo México, conseguiu fazer tantas faltas inqualificáveis numa só partida que acabou suspensa indefinidamente pela própria equipe. E virou símbolo de beque brucutu no futebol feminino. O jogo, disputado na última quinta-feira, era contra a Universidade Brigham Young, pela semifinal da Conferência Oeste do campeonato americano universitário de futebol feminino. E o curioso é que a Elizabeth Lambert sequer foi expulsa. Distribuiu socos, chutes, cotoveladas sob as vistas da arbitragem, que fingiu nada ver. O time que apanhou ganhou a partida: 1 a 0.