Os novos uniformes do Remo

Remo Samir e Danilo-MQuadros

A diretoria do Remo, em parceria com a marca esportiva Penalty, apresentou na noite de quinta-feira, na sede social, os novos uniformes para o futebol remista. Jogadores recém-contratados, como Samir e Renan (foto), desfilaram com peças da Penalty. Antes do evento, o presidente Amaro Klautau discursou, defendeu a sua gestão e disse que está ressentido com algumas críticas. “Ser presidente do Remo é uma alegria, mas existem algumas cutucadas que nos deixam angustiado”, disse. “Não tenho dúvidas que formaremos um time para ser campeão”, completou, sobre o futebol.

Pelo que foi possível observar, não há quase nada de novo nos uniformes lançados pela Penalty.  

Papão vence amistoso em Almeirim

O Paissandu conquistou mais uma vitória em seu giro pelo interior do Pará. Desta vez a vítima foi o Atlético Almeirim, nesta sexta-feira à tarde, na cidade de Almeirim. O placar final foi de 2 a 1, com gols de Julian, aos 8 minutos, e Carlos Eduardo, aos 29 minutos do primeiro tempo. O gol dos donos da casa foi marcado pelo atacante Torrô, cobrando pênalti, aos 28 minutos da etapa final. Foi a quinta vitória consecutiva da equipe de Nazareno Silva, depois de uma estréia decepcionante em S. Caetano de Odivelas.  

Resultados dos amistosos: 

S. Caetano 3 x 1 Paissandu 
Seleção de Juruti 1 x 3 Paissandu 
Seleção de Óbidos 0 x 1 Paissandu 
Seleção de Oriximiná 1 x 2 Paissandu 
S. Francisco de Monte Alegre 1 x 2 Paissandu 
Atlético Almeirim 1 x 2 Paissandu 
                 
O próximo amistoso do Paissandu será neste sábado (7/11), às 17h15, contra a seleção do Vale do Jari, na cidade de Laranjal do Jari (AP). (Com informações da Rádio Clube)

Libertadores: beque argentino estava irregular

Do G1

Nesta quinta-feira, o jornal uruguaio El País afirmou que o zagueiro Rolando Schiavi atuou de maneira irregular na Taça Libertadores da América deste ano, vencida pelo Estudiantes de La Plata. O time argentino eliminou o Nacional do Uruguai, na semifinal, antes da decisão contra o Cruzeiro.

De acordo com nota publicada no site oficial do clube mineiro, assinada pelo presidente Zezé Perrella, o Cruzeiro está analisando, nas últimas horas, a notícia divulgada pelo jornal El País, sobre a consulta que a Associação Uruguaia de Futebol (AUF) fez junto à Fifa em relação à participação irregular do argentino Schiavi na Taça Libertadores deste ano, pelo Estudiantes.

Todos os dados levantados pela diretoria estão sendo encaminhados ao Departamento Jurídico do Clube, que vai analisar o episódio. Caso o Departamento Jurídico do Cruzeiro Esporte Clube entenda que cabem recursos junto às entidades esportivas, medidas imediatas serão tomadas.

O Cruzeiro Esporte Clube vai pedir à CBF que também acompanhe o caso de perto para que possa defender os direitos do futebol brasileiro. Assim que o Departamento Jurídico tiver uma posição sobre o assunto, a diretoria vai se manifestar para dar satisfações à imprensa e à nossa torcida.

Delegados da PF homenageiam Teixeira

Do blog do Juca Kfouri

Ao lado do diretor-geral da Polícia Federal, Luiz Fernando Corrêa, o presidente da CBF e do Comitê Organizador Brasileiro da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014, Ricardo Teixeira, foi um dos convidados do IV Congresso Nacional de Delegados de Polícia Federal, que acontece em Fortaleza desde o dia 3 de novembro, com encerramento nesta sexta-feira.

O presidente Ricardo Teixeira participou do último dia do Fórum de debates sobre a Segurança nos grandes eventos internacionais: Experiência nos Jogos Pan – Rio 2007 e a preparação para a Copa do Mundo de 2014 e Olimpíadas 2016, abordando as expectativas para a Copa de 2014.

Ainda sobre o tema dos esportes, Bernd Manthey, da Polícia Federal alemã, falou sobre “A experiência da Eurocopa”; o delegado da PF Valmir Lemos de Oliveira abordou o tema ”Segurança pública nos grandes eventos” e o diretor geral da PF Luiz Eduardo Corrêa fechou o ciclo de palestras com “O Papel da PF nos grandes eventos”.

Ao final do evento, o presidente Ricardo Teixeira recebeu o Troféu do IV Congresso Nacional de Delegados de Polícia Federal, por sua contribuição no debate sobre as expectativas para a Copa de 2014, entregue pelo presidente da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal, Sandro Torres Avelar.

Uma coisa, assim, curiosa. Vou te contar…

Gian revela que foi convidado a voltar

“Vou treinar para tentar voltar no ano que vem”. Esta foi a afirmação do meia Gian, 35 anos, ao repórter Nilson Cortinhas em matéria publicada pelo Bola na edição desta sexta-feira. Com cinco quilos acima do peso, o jogador revelou que já havia abandonado a carreira e estava se dedicando a uma escolinha de futebol no Paraná. Foi convidado pelo diretor de futebol do Remo e seu velho amigo, Abelardo Sampaio, a tentar um retorno aos gramados, comandando o jovem time azulino que será montado para a temporada 2010 no Baenão. Conforme ficou combinado, Gian veio a Belém pagando as passagens do próprio bolso e se dispôs a iniciar um período de recondicionamento físico. Só depois disso, na segunda quinzena de desembro, será firmado um contrato.

“Mala”: Justiça resolve apurar o caso

O polêmico caso da “mala branca” envolvendo o Barueri acabou sendo confirmado como um dos próximos a ser analisado no pleito do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva). Na tarde desta quinta-feira, o presidente em exercício da entidade, Virgílio Val, assinou a instauração do inquérito para investigar a necessidade, ou não, de denúncias em cima deste acontecimento.

Os envolvidos neste caso serão enquadrados em dois artigos do CBJD (Código Brasileiro de Justiça Desportiva): 237 (prometer vantagem indevida, remunerada ou não, em qualquer entidade esportiva, contra a disposição expressa de norma desportiva) e 238 (punição para quem recebe ou solicita a “ajuda”). O castigo prevê uma suspensão de dois a quatro anos ou, em caso de reincidência, eliminação da competição.

O inquérito irá apurar a existência de alguma irregularidade disciplinar no caso da “mala branca” e determinará a instauração de uma ação disciplinar. Os principais envolvidos neste acontecimento acabaram sendo o goleiro Renê e o atacante Val Baiano, ambos do Barueri. (Da ESPN)

Coluna: O pior campeão nacional

Não há como negar: o Brasileiro 2009 terá o pior campeão da chamada era dos pontos corridos. Pesquisa divulgada pelo Jornal Placar e pelo colunista José Roberto Malía aponta que, a essa altura do pagode, somente o Palmeiras pode alcançar o limite de 73 pontos ou 64% dos pontos disputados em 38 jogos, que é o mais fraco índice de todas as edições realizadas desde 2003.
O nivelamento por baixo, que muitos insistem em não ver, é tão flagrante que nem mesmo as parcas emoções reservadas para as últimas rodadas conseguem disfarçar. Levando em conta que dificilmente o Palmeiras conquistará todos os pontos restantes, a lógica indica que este será o torneio de menor média de conquista de pontos pelo vencedor.
Até então, o Corinthians de 2005, com 64,2% era o fona nesse quesito. Justamente no campeonato mais catimbado (e contestado) de todos os tempos, quando a “máfia do apito” determinou resultados e semeou injustiças. Para coroar a lambança, 11 jogos foram remarcados e o Timão paulista de Carlito Tévez e Kia Joorabchian acabou triunfando.
Não se conhece critério mais seguro para julgar o nível da disputa, que muitas vezes obscurece a capacidade crítica de muita gente respeitável. Os defensores dos pontos corridos alegam que a atual fórmula premia o mérito, diminuindo ao máximo as injustiças. Bem, com as arbitragens praticadas no Brasil fica difícil crer em decisões justas, mas vá lá que seja.
Para se ter noção da regressão qualitativa do campeonato, em comparação com campeões anteriores, o Palmeiras, favorito para o título deste ano, com a média atual de 58,7%, enfrentaria sérios problemas para conquistar o segundo ou até o terceiro lugar do certame. Segundo o jornal, somente o Santos, vice-campeão de 2007, teve desempenho mais chinfrim – 54,4%.
Os números reforçam a impressão de um campeonato visto apenas por parte da mídia, principalmente a paulista, como o mais sensacional dos últimos tempos. Essa sensação vem do grande equilíbrio entre os times, de alto a baixo da tabela, indiscriminadamente.
Guardadas as devidas proporções, um campeonato de Série D, igualmente equilibrado entre seus disputantes, pode suscitar o mesmo suspense e emoção nos confrontos, embora não seja tecnicamente espetacular.
De minha parte, não consigo enxergar bom futebol em times que abusam do contra-ataque como trunfo tático e só conseguem fazer gols nos manjadíssimos chuveirinhos. Não por acaso, os dois líderes se destacam pelas goleadas de 1 a 0 e 2 a 1. 
 
 
O balanço do Jornal Placar sobre o desempenho dos campeões brasileiros na era dos pontos corridos é o seguinte: em primeiro, aparece o Cruzeiro (2003), com 72,4% (100 pontos em 46 jogos); em 2º vem o S. Paulo (2006), com 68,4% (78 pontos em 38 jogos) e em 3º o S. Paulo de 2007, com 67,5% (77 pontos em 38 jogos). Puxando a fila vem o Corinthians, de 2005, com 64,2% (81 pontos em 42 jogos).

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO desta sexta-feira, 6)