São Raimundo é primeiro campeão da Série D

SaoRaimundoxMacae-MQ (22)

De virada, por 2 a 1 com dois gols marcados em menos de três minutos, por Michel e Rafael Oliveira, o S. Raimundo venceu o Macaé (RJ) e conquistou o título brasileiro da Série D, na tarde deste domingo, no estádio Barbalhão. A torcida santarena, que lotou as arquibancadas (público total superior a 17 mil pessoas), comemorou intensamente a inédita conquista. É o primeiro campeonato nacional conquistado por um time do interior do Pará.

SaoRaimundoxMacae-MQ (20)

Durante a partida, o S. Raimundo teve dificuldades para desenvolver seu jogo de troca de passes no meio-campo e chegou a ser dominado pelo Macaé. O goleiro Labilá teve participação decisiva, salvando o time de situações perigosas. No segundo tempo, depois de sofrer um gol logo aos 15 minutos, teve forças para reagir, através de seus jogadores mais habilidosos, Michel e Rafael Oliveira, em lances parecidos, aproveitando cruzamentos para o lado direito do ataque. (Fotos: Mário Quadros, do Bola/DIÁRIO)

SaoRaimundoxMacae-foto Mario Quadros (49)

Palmeiras tropeça, mas continua líder

a9dcf96f-63e0-327a-9c7a-7aaf52462ae6

Os zagueiros Danilo e Maurício Santos salvaram o Palmeiras de perder a liderança do Campeonato Brasileiro ao marcarem os gols no empate por 2 a 2 no clássico contra o Corinthians, neste domingo, em Presidente Prudente, pela 33ª rodada. O time alviverde jogava com um a menos desde os 36 minutos da primeira etapa, após Marcos ser expulso por ter feito pênalti em Jorge Henrique. Ronaldo fez. No segundo tempo, aos 6 minutos, Danilo aproveitou falha de Felipe em cobrança de falta e cabeceou para o gol livre. Aos 20 minutos, Defederico deu belo passe para Ronaldo, Bruno demorou para sair do gol e o Fenômeno deixou outra vez sua marca. Porém, aos 39 minutos, Maurício Santos estava livre na área e testou no canto direito do goleiro alvinegro.

O Palmeiras sobe para 58 pontos e empata com o São Paulo na ponta, mas leva vantagem no saldo de gols (15 a 12). Os comandados de Muricy, assim, ficam pela 19ª rodada seguida no primeiro lugar e aumenta o tabu: não perde para o arquirrival há três anos, ou sete jogos. Já o Corinthians fica com 46 pontos, no meia da tabela da competição. Na próxima rodada, a equipe de Palestra Itália vai ao Maracanã enfrentar o desesperado Fluminense, enquanto o time de Parque São Jorge recebe o Santo André no Pacaembu. Os dois jogos acontecem no domingo, às 16h (HBV). (Com informações da ESPN)

No Barbalhão, placar de 0 a 0 no 1º tempo

Termina o primeiro tempo, no estádio Barbalhão, em Santarém. Placar: 0 a 0. O resultado vai dando o título da Série D ao Macaé (RJ), que venceu o primeiro jogo por 3 a 2. Por volta dos 40 minutos de partida, o atacante Rafael Oliveira desperdiçou a melhor chance do S. Raimundo na partida, diante do gol de Lugão. No geral, um jogo muito preso no meio-campo, com forte presença defensiva do time fluminense e alguns contragolpes perigosos. Panorama indefinido.

Ficha técnica: São Raimundo x Macaé

São Raimundo x Macaé (RJ) 

Local: estádio Jader Barbalho, Santarém-PA 
Data: 01/11/2009 
Horário: 17h 
Árbitro: João Alberto Gomes Duarte-RN

São Raimundo 
Labilá; Ceará, Preto Marabá, Filho e João Pedro; Marcelo Pitbull, Beto, Luís Carlos Trindade e Michel; Rafael Oliveira e Déo Curuçá. Técnico: Lúcio Santarém. 

Macaé 
Lugão; Johnathan, André, Otávio e Vanderson; Gedeil, Anderson, Marciel e Wallacer; Bruno Luís e André Gomes. Técnico: Toninho Andrade.

Paissandu vence a terceira no interior

O Paissandu derrotou por 2 a 1 a seleção de Oriximiná, na noite deste sábado, no seu terceiro amistoso consecutivo pelo oeste do Estado. O jogo foi realizado no estádio Picanço Diniz. Apesar de maior domínio e posse de bola, o Paissandu encontrou muitas dificuldades para superar o esquadrão interiorano. O primeiro gol foi marcado por Robert, aos 34 minutos do primeiro tempo. Na etapa final, a seleção de Oriximiná chegou ao empate através de uma cobrança de pênalti convertida pelo jogador Teles, aos 27 minutos. Logo depois, o zagueiro Carlos Eduardo aproveitando escanteio cabeceou para o fundo das redes, decretando a terceira vitória consecutiva do Papão, por 2 a 1. Os próximos amistosos do Paissandu serão nos dias 04/11 (quarta-feira), às 20h30, contra Monte Alegre; e 06/11 (sexta-feira), às 16h contra a seleção de Almeirim. Resta confirmar o jogo previsto para 7/11 (sábado), às 20h30, contra Laranjal do Jari (Macapá-AP). (Com informações da Rádio Clube)

F-1: Vettel vence e é o vice-campeão

 0930561

Do Folhaonline

O piloto Sebastian Vettel, 22, venceu neste domingo a corrida de estreia no luxuoso circuito de Yas Marina, no GP dos Emirados Árabes, e conquistou o vice-campeonato da F-1, superando Rubens Barrichello, único adversário pela colocação. Mark Webber, companheiro do alemão na Red Bull, e Jenson Button, que já conquistou o título do Mundial de pilotos da temporada, completaram o pódio. O brasileiro foi o quarto colocado.

Como Button já havia conquistado o título no GP anterior, o do Brasil, o atrativo da corrida de Abu Dhabi foi o duelo pessoal entre Barrichello e Vettel, os dois únicos postulantes ao vice-campeonato. O brasileiro, depois de disputar o título, começou a corrida com dois pontos a menos –74 a 72 a favor do alemão. O resultado de hoje consolidou o alemão na vice-colocação: a temporada termina com Button (95 pontos), Vettel (84) e Barrichelo (77) nas primeiras posições.

Classificação final

1 – Sebastian Vettel (Red Bull)
2 – Mark Webber (Red Bull)
3 – Jenson Button (Brawn)
4 – Rubens Barrichello (Brawn)
5 – Nick Heidfeld (BMW)
6 – Kamui Kobayashi (Toyota)
7 – Jarno Trulli (Toyota)
8 – Sébastien Buemi (Toro Rosso)
9 – Nico Rosberg (Williams)
10 – Robert Kubica (BMW)

Fase de Bruno lembra milagres de Dida

bru

Por Paulo Vinícius Coelho

O Flamengo fez 1 x 0 com Adriano, escorando o cruzamento de Leonardo Moura. Um gol brilhante. E, então, recuou. Sem Petkovic em sua melhor forma, para fazer a bola parar no meio-de-campo, sem poder de marcação do lado esquerdo, por onde saíam Pará e Rodrigo Souto, o Flamengo observou o Santos tomar conta do campo. Teve posse de bola que não conseguiu transformar em chances de gol. Ops… Não conseguiu transformar em penetração na grande área, mas em chance de gol, sim. Nos dois pênaltis desperdiçados por Paulo Henrique Ganso.
Vale dizer que o melhor jogador do Flamengo no Brasileirão não é Bruno. É Adriano. Em segundo lugar, Petkovic. Mas é impossível negar a importância do goleiro rubro-negro.
A importância e os números históricos. Bruno junta os dois pênaltis defendidos contra o Santos ao que espalmou na cobrança de Lúcio Flávio, domingo passado, contra o Botafogo. Três pênaltis defendidos assim, em seguida, lembram o que fez Dida, entre 1999 e 2000, quando era do Corinthians.
Em 24 de novembro de 1999, pelas quartas-de-final da Copa do Brasil, Dida defendeu uma cobrança de Marcelo Souza, do Guarani. O Corinthians empatou por 1 x 1 e classificou-se para as semifinais. Quatro dias mais tarde, 28 de novembro, semifinal contra o São Paulo e Dida defendeu duas cobranças de Raí — atenção, não foi uma cobrança repetida, mas dois pênaltis marcados por Edílson Pereira de Carvalho, em que o goleiro corintiano evitou os gols de Raí. O Corinthians seria cmapeão brasileiro na decisão contra o Atlético Mineiro, em três jogos em que não houve pênalti marcado. Dida só teria outro pênalti marcado contra si na partida contra o Real Madrid, em 7 de janeiro de 2000, no empate por 2 x 2 que classificou os corintianos para a decisão contra o Vasco. O costa-riquenho William Veja marcou e Anelka cobrou. Dida defendeu.
Quatro pênaltis seguidos defendidos por Dida, contra Marcelo Souza (Guarani), Raí (São Paulo, duas vezes) e Anelka (Real Madrid). Quatro pênaltis seguidos é recorde na história do Corinthians. Bruno pode ser recordista no Flamengo.
Vale a lembrança de que Bruno defendeu pênalti de Romário no empate por 0 x 0 entre Atlético Mineiro e Vasco que, em 2005, rebaixou o Galo.
E que a série de quatro pênaltis seguidos defendidos por Dida só terminou em 14 de março, quando o paraguaio Esteche converteu cobrança para o Olimpia, no empate por 2 x 2 entre o Corinthians e o clube paraguaio, pela Copa Libertadores, no Defensores del Chaco.

Coluna: Sobre hipocrisia e exagero

O anedotário do futebol é rico em casos de “malas”, agrados, subornos, doping financeiro. Sempre que um campeonato se aproxima do final e os interesses em jogo ficam mais expostos, surgem as suspeitas e boatarias sobre supostos esquemas beneficiando um ou mais clubes. Quase sempre, nada fica provado e logo cai no esquecimento.
No ano passado, às vésperas da final, o Brasileiro da Série A passou pelo desgaste do episódio dos ingressos do show da Madonna, que teriam sido enviados pelo São Paulo ao árbitro Wagner Tardelli (logo ele). Por via das dúvidas, a CBF trocou o apitador. No fim das contas, ficou mais ou menos esclarecido que tudo não passou de um mal-entendido.
Foi a partir dos problemas de 2005, quando a máfia chefiada por Edilson Pereira de Carvalho foi descoberta – gerando o cancelamento de 11 partidas do torneio daquele ano –, é que as desconfianças ganharam corpo quanto a combinação de resultados no futebol.
O atual Brasileiro, de baixo nível técnico e surpreendente acirramento nas últimas rodadas, parecia caminhar para um desfecho tranqüilo, sem maiores solavancos. Eis que, na quinta-feira, os jogadores Val Baiano e Renê, do Barueri, deram com a língua nos dentes: teriam recebido promessa de gratificação do Cruzeiro como estímulo para vencer o Flamengo, adversário direto da Raposa por um lugar no G-4.
A partir daí, iniciou-se um festival de exageros e hipocrisias. Assustados com a repercussão, dirigentes do Barueri decidiram afastar temporariamente a dupla de boquirrotos. Os do Flamengo passaram a falar em reparação judicial e os cruzeirenses negaram qualquer participação no caso. E o STJD, para variar, promete apurar tudo com rigor.
Tudo como dantes, dentro da velha tradição nacional de acomodar os problemas e empurrar com a barriga. É óbvio que a história vai terminar sem que se conheçam culpados ou vítimas. Até porque, no caso do “doping positivo”, fica difícil tipificar dolo ou corrupção, visto que os próprios clubes instituíram a figura da gratificação para estimular seus atletas.
De mais a mais, a já citada “máfia do apito” foi inocentada recentemente sob o argumento jurídico de que, como ninguém teria sido lesado, não houve crime. O mesmo princípio cabe em favor de Val Baiano e Renê. A não ser que queiram, como ocorre de vez em quando, enquadrar a dupla para servir de exemplo. 
 
 
Lúcio Santarém, em papo ao vivo na Rádio Clube, na sexta-feira, disse que o São Raimundo vai entrar em campo hoje disposto a mostrar quem é o mandante. Vai procurar se impor, evitando dar brechas ao adversário. João Pedro volta e acrescenta agressividade ao lado esquerdo do ataque. O Mundico só não pode esquecer que o Macaé tem a vantagem do empate e vai jogar seguindo à risca o script que lhe convém, abusando das bolas aéreas, que é sua especialidade.

(Coluna publicada na edição do Bola/DIÁRIO deste domingo, 1)