A quem interessar possa…

Agenda do presidente Lula para esta sexta-feira, 23:

9h Cerimônia de posse de Luís Inácio Adams no cargo de advogado-geral da União Palácio Itamaraty

11h Anúncio da obrigatoriedade de mistura de 5% de biodiesel ao diesel de petróleo, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB)

12h Entrega do manifesto “Inovação: A Construção do Futuro”, do 3º Congresso Brasileiro de Inovação na Indústria

15h Apresentação de credenciais de embaixadores

16h Jorge Hage, ministro-chefe da Controladoria-Geral da União

17h Sessão solene de posse de José Antonio Dias Toffoli no cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal

(Fonte: Secretaria de Imprensa da Presidência)

Pensata: Democracia militar?

Por Mauro Ventura

A “Veja” desta semana fala em “regime militar” para designar o período entre 1964 e a anistia. Tecnicamente não está errado. Mas é evidente que é uma escolha ideológica. Desde o fim da censura, o mais comum é “ditadura militar”.

A “Folha de S. Paulo”, dia desses, usou o termo “ditabranda”, alegando que o autoritarismo brasileiro tinha sido suave perto dos seus similtares latino-americanos. Uma alegação insustentável – se fosse assim, a sanguinária ditadura chilena não poderia ser chamada dessa forma porque no Camboja Pol Pot matou entre um milhão e três milhões de pessoas.

O jornal teve que voltar atrás, diante das reações contrárias. Mas o que parece estar em jogo é uma espécie de revisionismo histórico. Se até o Holocausto é negado, não duvido nada que dentro de alguns anos estejamos lendo “democracia militar” para se referir aos anos de chumbo no Brasil.

Pode ser que cole para as futuras gerações. Mas minhas lembranças do período são apavorantes. Pais e tio presos, visitas à cadeia, encontro com a viúva e os filhos pequenos de Vlado (assassinado pela repressão), censura, um medo difuso no ar, exílio de amigos e conhecidos como Chico Buarque e Betinho, desaparecimentos.

Meu pai não tinha ligação com qualquer organização de esquerda ou movimento estudantil. Era apenas, como muitos, favorável a um estado de direito. Mas bastou uma denúncia anônima para ser preso. Minha mãe foi visitá-lo na prisão e também não saiu. Meu tio, cinegrafista, sem nenhuma militância política, foi levar comida para eles e igualmente ficou por lá. Na época era assim: na dúvida, prendia-se.

Meu pai dizia para minha irmã, durante as visitas à cadeia – ele esteve em três prisões -, que estava muito bem ali, podia até jogar basquete durante os banhos de sol. Era uma forma de tranquilizá-la. “Só muito tempo depois soube que essas revelações provocavam nela um efeito paradoxal e lhe faziam muito mal. Ela concluía que eu havia feito uma opção voluntária entre a nossa casa e a prisão. Se eu me dizia tão satisfeito, era porque preferia a cadeia a voltar para junto dela, do irmão e de minha mulher.” A sensação de abandono perseguiu-a por muitos anos.

Também tive minha cota de desamparo. A caça às bruxas era tamanha que meus pais tiveram que passar quatro meses fora, quando eu tinha menos de sete meses. Fui mandado para a casa de minha tia, em Friburgo. Devo essa ao jornalista Sérgio Noronha, que me levou às pressas para lá. Obrigado, Sérgio.

Torcida de terceiro mundo

O jornal O Globo publicou matéria do repórter Bernardo Pombo, mostrando a abissal diferença entre a média de público dos clubes europeus e brasileiros. O objetivo era apontar a necessidade de evolução do futebol brasileiro fora de campo. O líder de público do Brasileiro é o Atlético-MG, que seria apenas o 35º em bilheteria no Velho Continente. Segundo colocado, o Flamengo seria o 47º na Europa.

50 clubes com maior média de público na Europa como mandantes:

1 – Manchester United – Inglaterra – 75.304
2 – Borussia Dortmund – Alemanha – 74.748
3 – Barcelona – Espanha – 71.045
4 – Real Madrid – Espanha – 70.816
5 – Bayern Munique – Alemanha – 69.000
6 – Schalke 04 – Alemanha – 61.442
7 – Arsenal – Inglaterra – 60.040
8 – Milan – Itália – 59.757
9 – Celtic – Escócia – 57.366
10 – Hamburgo – Alemanha – 54.881
11 – Hertha Berlim – Alemanha – 52.165
12 – Olympique Marselha – França – 52.162
13 – Internazionale – Itália – 55.520
14 – Stuttgart – Alemanha – 51.700
15 – Colônia – Alemanha – 50.222
16 – Rangers – Escócia – 49.534
17 – Ajax – Holanda – 49.014
18 – Newcastle – Inglaterra – 48.750
19 – Borussia Monchengladbach – Alemanha – 47.240
20 – Frankfurt – Alemanha – 47.000
21 – Atlético de Madri – Espanha – 44.082
22 – Feyenoord – Holanda – 43.956
23 – Liverpool – Inglaterra – 43.611
24 – Manchester City – Inglaterra – 42.903
25 – Hannover – Alemanha – 41.919
26 – Sevilla – Espanha – 41.910
27 – Chelsea – Inglaterra – 41.588
28 – Paris Saint Germain – França – 40.902
29 – Werder Bremen – Alemanha – 40.375
30 – Nápoli – Itália – 40.303

Fifa vai premiar gol mais bonito do ano

235_2032-puskas

A Fifa anunciou nesta semana a criação de uma nova premiação: trata-se do Prêmio Puskas, que será entregue ao autor do gol mais bonito do ano em todo o mundo. O prêmio, que será ofertado pela primeira vez no dia 21 de dezembro, na festa anual da Fifa, em Zurique, leva o nome do craque húngaro, considerado um dos maiores de todos os tempos, falecido em 2006.

O comitê de escolha dos gols é presidido pelo alemão Franz Beckenbauer, que elegerá os dez gols mais bonitos para uma votação na internet. O gol mais clicado será eleito. Mas há algumas condições: o gol precisa acontecer em campeonatos internacionais entre clubes, primeira divisão dos nacionais ou jogos entre seleções. Não pode ser o chamado gol de sorte (sem querer) ou resultante de falhas clamorosas dos adversários.

Parreira negocia volta à África do Sul

No futebol atual não há espaço para ingenuidades. Depois de abandonar o comando da seleção da África do Sul, indicando Joel Santana para a vaga, o técnico Carlos Alberto Parreira prepara seu retorno ao cargo depois da demissão do colega brasileiro. Parreira confirmou, por volta de 14h30 desta quinta-feira (22), que já se reuniu com representantes da Confederação de Futebol da África do Sul. Na conversa, começou a negociar o seu retorno ao comando da seleção sul-africana. Parreira disse que a pressão da imprensa e dos torcedores para a escolha rápida de um nome é grande e que a definição do novo comandante.

Para assinar o contrato, além do acerto financeiro, Parreira quer a manutenção do planejamento de treinos até a Copa do Mundo. O projeto prevê uma temporada de trabalho no Brasil, em março de 2010, e outras duas semanas na Alemanha. O técnico aguarda apenas um telefonema dos representantes sul-africanos para fechar o negócio.

Pode até ser que não, mas fica a impressão de que Joel serviu apenas de técnico-tampão, enfrentando o período mais ingrato do trabalho de preparação e esquentando banco para o genial Parreirinha voltar por cima, como salvador da pátria.

Clássico do Rio já preocupa Polícia

Do iG Esporte

Não há mais tempo para mudanças: o clássico entre Botafogo e Flamengo será mesmo realizado No próximo domingo, às 18h30 (de Brasília), no Engenhão, pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro. Porém, existe o temor de que o estádio não consiga comportar o duelo que tem se tornado o de maior rivalidade no Estado nos últimos anos. O resultado é fundamental para as duas equipes, pois o Rubro-Negro luta pelo título, enquanto o Alvinegro tenta se distanciar da zona de rebaixamento.

A venda antecipada tem sido um sucesso, com os ingressos destinados aos torcedores do Flamengo esgotados. Com isso, os flamenguistas já estão comprando bilhetes na parte destinada à torcida do Botafogo, o que vem preocupando muito as autoridades. “Quem for ao estádio deve pensar em torcer com calma, evitando confusões, pois o policiamento vai ser atuante e está preparado para este clássico. Quem estiver com a camisa do Flamengo não vai entrar na torcida do Botafogo em nenhuma hipótese. Caso esteja sem uniforme, até vai entrar, mas não vai torcer pelo seu time”, afirmou o major Luiz Octávio, responsável pelo Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (Gepe).

Mundico terá desfalques domingo

O técnico Lúcio Santarém, do São Raimundo, pode ficar sem três titulares para enfrentar o Macaé, domingo, no primeiro jogo da decisão da Série D, às 17h (HBV), no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ). O volante João Pedro terá que cumprir suspensão por ter recebido o terceiro cartão amarelo no empate por 2 a 2 contra o Alecrim (RN), enquanto que o meio-campo Rafael Oliveira e o atacante Déo Curuçá ainda se recuperam de contusão.

Sub-20: Paissandu leva nos pênaltis

150 dpi -RExPA sub20-MQ (13)

Em mais um Re-Pa decisivo, o Paissandu levou a melhor em cima do seu tradicional rival e avançou para a fase semifinal do Campeonato Paraense Sub-20. O jogo foi realizado no estádio da Curuzu, na tarde desta quinta-feira, e terminou com a classificação bicolor por 3 a 0 em cima dos azulinos, após a vitória também no tempo normal do Paissandu, por 2 a 1. 
         
No tempo normal, os gols foram marcados todos no primeiro tempo: Jonatas, aos 7 minutos, marcou o único gol do Remo, enquanto que Juba aos 13 e Japonês aos 43 fecharam o placar, em favor do Paissandu. Como no jogo de ida a vitória foi do Remo por 3 a 2, a decisão da vaga para a fase semifinal foi decidida nos pênaltis. (Foto de Mário Quadros e informações da Rádio Clube)

Em defesa da profissão

A vereadora Vanessa Vasconcelos encaminhou ao plenário da Câmara Municipal de Belém um projeto de lei que dispõe sobre a implementação da obrigatoriedade de diploma de Comunicação Social, habilitação em Jornalismo, para os profissionais contratados para o exercício de jornalista ou assessor de imprensa, nos poderes Legislativo e Executivo do município de Belém. 
 
De acordo com o projeto, a obrigatoriedade da exigência do diploma de jornalismo compreende a contratação “por meio de concursos, processo seletivo simplificado ou quaisquer outros meios de contratação que as demais normas pertinentes, já existentes ou que vierem a vigorar”.

Copa 2010: Alemanha pensa em colete à prova de bala

Do Folhaonline

Preocupada com a segurança de seus atletas durante a disputa da Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, a Federação Alemã de Futebol estuda que a possibilidade de que seus jogadores usem coletes à prova de bala nas horas de folga. A entidade recebeu a recomendação do uso de colete da BaySecur, empresa contratada para a segurança dos atletas.

“A possibilidade de os jogadores saírem das redondezas do hotel deve ser mínima. Ou deverá haver total cobertura, seguranças armados e coletes à prova de bala”, afirmou Guenter Schnelle, representante da BaySecur, à revista “Sport-Bild”. De acordo com a publicação, a federação estuda a recomendação da empresa e a possibilidade de aumentar a segurança no hotel que servirá de concentração para a equipe.

É o que sempre digo: para certas figuras, frescura pouca é bobagem.