Mobilização pela PEC do Diploma

Do Comunique-se

Após o adiamento da votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC 389/2009), que exige o diploma de jornalismo para o exercício da profissão, o deputado Paulo Pimenta (PT-RS), autor da PEC, afirmou que a imprensa pode prejudicar a aprovação, ao se mostrar favorável à decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que derrubou a obrigatoriedade do diploma.

“Basicamente, durante esses quatro meses, todo o debate público se mostrou favorável ao diploma, mas ontem os jornais mostraram o outro lado da moeda, com vários editoriais dizendo que a questão já foi resolvida pelo STF. Já sentimos o impacto desses editorais entre alguns deputados. Temos uma certa preocupação com isso, mas ainda muitos são favoráveis ao diploma”, declarou Pimenta.

Para o deputado, a imprensa não colabora com o debate público sobre o diploma. “Não se publica nada sobre o assunto nos jornais. Acho que a PEC é a única que será aprovada sem sair na imprensa”. Pimenta, que também é jornalista, criticou os profissionais por não abrirem o debate. “Os jornalistas discutem entre si, mas não dão uma nota sobre o assunto”, protestou.

2 comentários em “Mobilização pela PEC do Diploma

  1. Essa falta de dabate público por parte dos principais interessados foi um dos fatores para que o diploma dos jornalistas fosse extinto, a meu ver. Parece que agora, pelo que fala o texto, os “donos” da imprensa resolveram escancarar suas opiniões e atrapalhar o processo. Por que isso acontece, Gerson?

    1. Diogo,
      Temos uma realidade profissional das mais ingratas – como, de resto, ocorre com quase todas as categorias. Os sindicatos se esvaziaram, transformando-se em entidades burocráticas e inoperantes. Isso contribuiu bastante para a desmobilização da categoria, agravada pela própria renovação galopante das redações. Há um indiscutível empobrecimento do debate sobre todos os assuntos mais relevantes – incluindo a questão do diploma. É fato que as novas gerações mostram-se extremamente alienadas, sem as preocupações ideológicas e classistas do passado.

Deixe uma resposta