Presidente quer massacrar árbitro brasileiro

6956357_salvio_spinola__225_300

O presidente do Equador, Rafael Correa, fez duras críticas ao árbitro brasileiro Salvio Spinola Fagundes Filho, que apitou a partida em que a seleção equatoriana perdeu por 2 a 1 para o Uruguai, dia 10 de outubro, pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo. O mandatário do país sul-americano chegou a falar em “pena de morte” para o brasileiro, devido aos supostos erros cometidos contra o equador. “Não sou partidário da pena de morte, mas temos que massacrar este árbitro da partida entre Uruguai e Equador… ele nos deixou de fora da Copa do Mundo”, disse Correa na sede da Presidência.

Correa, que foi criticado por seu discurso inflamado e suas reclamações em seus pronunciamentos durante a semana, admitiu que não assistiu à partida por ter participado de uma reunião de diretoria do Banco Central do país no dia do jogo, 10 de outubro. A imprensa local criticou a atuação de Fagundes Filho, e acusou o juiz de não marcar um pênalti após a bola ter batido na mão do zagueiro uruguaio Sabastián Eguren dentro da área. No entanto, a imprensa também atribuiu a eliminação da equipe aos 12 pontos que a seleção “tricolor” perdeu jogando em casa. O Equador acabou sem chances de estar em sua terceira Copa do Mundo consecutiva.

Vi o jogo e Spinola, que é um árbitro fraco, desta vez não teve influência no resultado.

3 comentários em “Presidente quer massacrar árbitro brasileiro

  1. O presidente faz o estilo “não vi e não gostei”. É um patife ao dizer que o brasileiro deixou o fraco Equador de fora.

    Duzentas chibatadas no patife!

    1. Sinceramente, acho que não. Vi o jogo todo e o pênalti pro Uruguai de fato aconteceu. Quando digo que é fraco, refiro-me à carreira toda.

Deixe uma resposta