4 comentários em “Emos dominam a cena no rock brasilis

  1. Gerson, a MTV premia coisas do tipo mesmo, caiu no esquemão consagrado pela fórmula bandas medíocres+visual style+músicas bobocas e perenes+consumo idiotizante de hordas adolescentes. E esses premiados aí são sintomáticos dos novos tempos: inssossos, insípidos, sem conteúdo…
    A frase de Humberto Gessinger dos Engenheiros foi profética em relação aos tempos de agora: “a juventude (e por seu turno o rock) é uma banda numa propaganda de refrigerantes”.

  2. Fico muito feliz em não conhecer nenhum desses. Só sei quem é a Pitty – gostaria de ignorar sua existência…
    A música atual é patética.
    A minha teoria é que a popularização dos instrumentos musicais “cagalizou” tudo… Antes era uma dificuldade conseguir uma guitarra, por exemplo. Com isso, apenas os melhores chegavam a ter uma…
    Mas isso não passa de uma bobagem de minha parte. A gente envelhece e procura desculpas para se confortar…

  3. Muito legal o comentário do Matheus. Assino em baixo. Apenas acrescentaria que o boom digital também sacaneou com o processo de criação dos artistas. Quem já está estabelecido não tem interesse em gravar, preferindo viver das glórias passadas em apresentações ao vivo. Mais: a informática permite qualquer Zé Mané, sem nenhuma noção musical, compor bostas eletrônicas e jogar na rede. O interessante é que cheguei a vislumbrar isto que está acontecendo com a música no início da década de 1980, mas por outro prisma. Eu perguntei ao meu professor de violão na época como seria o futuro da música, uma vez que o número de acordes possíveis num braço de violão ou num teclado, são finitos, então haveria uma época na qual qualquer melodia idealizada iria incorrer em plágio… Ele não soube responder. Bom, obviamente isto não ocorreu, no entanto, eu percebo que a cada dia que passa torna-se mais difícil viver de música. Mas, como disse o Matheus, deve ser porque estou ficando velho.

Deixe uma resposta