Luiz Omar reclama de ingratidão

De Luiz Omar Pinheiro, presidente do Paissandu, ao Bola desta quinta-feira:

“O Zé Augusto, o Balão e o Junior Furtado (fisioterapeuta) foram injustos. Acho isso uma ingratidão. Posso estar atrasado por uns 20 dias, mas as dívidas que eles têm não são da minha gestão. E o que me causa estranheza é que os primeiros a reclamar são os que nos elogiaram porque nunca receberam 10 meses em dia no Paissandu como agora. Não posso roubar na esquina para pagar”.

Jogadores do Mundico em pé de guerra

De Santarém chega a notícia de que nem tudo são maravilhas no time classificado para as semifinais da Série D. O S. Raimundo mergulha em novas turbulências, desta feita causadas pela insatisfação dos jogadores com o não pagamento de premiação atrasada. Na quarta-feira, o elenco resolveu cruzar os braços, exigindo que a diretoria pague os R$ 40 mil prometidos pelo acesso à Série C. O problema é que, até o momento, os dirigentes só teriam levantado R$ 8 mil.

Morre roteirista do Zé Carioca

carioca

O roteirista Ivan Saindenberg, 68, morreu na manhã de ontem, em Santos, vítima de complicações de diabetes e insuficiência arterial. Saindenberg era um dos mais conhecidos criadores dos quadrinhos da Disney no Brasil, sendo responsável pelos roteiros das histórias com os personagens Zé Carioca e Peninha. Nascido em Piracicaba, no interior de São Paulo, Saindenberg começou a trabalhar com quadrinhos em 1960, ao lado do irmão, Luiz, responsável pelas ilustrações. Em 1970, ele entrou para os estúdios Disney da Editora Abril, onde ficou até 1985, escrevendo ao longo de sua carreira cerca de mil roteiros para diversos personagens. Formou ao lado de Renato Canini uma das mais importantes parcerias dos quadrinhos brasileiros, produzindo de 1971 a 1978 histórias para o personagem Zé Carioca.

Massa: GP de Cingapura devia ser anulado

A “Máfia do Apito”, esquema de manipulação de resultados que marcou o Campeonato Brasileiro de 2005, foi utilizada por Felipe Massa em comparação ao escândadalo com a Renault que agitou a Fórmula 1 nas últimas semanas. Para o ferrarista, o veredicto dado pela FIA (Federação Internacional de Automobilismo) no caso do Grande Prêmio de Cingapura de 2008 é insuficiente. Sentindo-se prejudicado pelo que classificou de “roubo”, o brasileiro defende que o resultado da prova deveria ter sido anulado.

Caso a proposta de Massa fosse levada adiante, ele ficaria com o título daquela temporada, visto que não marcou pontos em Cingapura. O brasileiro acabou liberado de seu primeiro pit stop, exatamente aquele após a entrada do safety-car, com a mangueira de reabastecimento ainda atada à sua Ferrari. Enquanto isso, Lewis Hamilton, campeão em 2008, foi o terceiro colocado. “Eu perdi o campeonato por um ponto”, lembrou Massa em entrevista à TV Globo.

Penso do mesmo jeito. Incrível como essa matemática óbvia foi convenientemente desprezada pela FIA. Como ficou comprovada a fraude, por que o resultado do GP foi mantido? Simples: talvez porque o campeão da temporada tenha sido um inglês.

Olimpíada 2016: Chicago lidera apostas

30_CHB_rio_lula_pele

Da ESPN

A um dia da definição da sede dos Jogos Olímpicos de 2016, Chicago continua como a candidata mais bem cotada segundo as casas de apostas britânicas. Nesta quinta-feira, a maioria delas aponta a cidade norte-americana como favorita, à frente de Rio de Janeiro, Tóquio e Madri.

Segundo uma das empresas mais conhecidas do ramo, a William Hill, a vantagem de Chicago em relação ao Rio de Janeiro não é grande. Para cada dólar apostado nos norte-americanos, a casa paga U$ 1,62, sendo que esse número sobe para U$ 2,75 no caso dos brasileiros. Madri (1 para 11) e Tóquio (1 para 13) aparecem bem atrás e deveriam, nesse contexto, serem eliminados precocemente na eleição desta sexta-feira em Copenhague.

De qualquer forma, o teórico favoritismo não representa uma garantia, conforme aponta o próprio porta-voz da agência em questão, Graham Sharpe. “Não esqueça que Paris era favorita para bater Londres da última vez”, afirmou, lembrando que em 2005 os membros do COI (Comitê Olímpico Internacional) concederam à ‘zebra’ britânica o direito de organizar as Olimpíadas de 2012.

Em relação à última votação, parece um consenso que a campanha realizada de última hora pelo primeiro-ministro da Grã-Bretanha, Tony Blay, tenha sido decisiva para a derrota da capital francesa. Não é à toa, portanto, que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, confirmou na última segunda que viajará à Dinamarca. Além dele, o presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, o Rei da Espanha, Juan Carlos, e o premiê do Japão, Yukio Hatoyama – que acaba de ser eleito -, também acompanharão a cerimônia decisiva.

Seja jornalista com R$ 40,00

Por Eloy Figueiredo

Eu juro que não queria mais entrar nesta discussão de diploma ou não diploma para o exercício da profissão de jornalista. Até porque defendo o diploma como forma de valorizar a profissão, frente aos aviltantes salários pagos pelas empresas de comunicação.
Mas hoje vi um anúncio na internet, daqueles que se publica no Google, oferecendo um curso de jornalismo por R$ 40,00; e não é mensalidade, é pagamento único.
Será que uma sociedade moderna pode mesmo evoluir e enfrentar os desafios do conhecimento público com jornalistas formados desta maneira? É muito difícil acreditar que profissionais éticos e competentes possam ser forjados em um curso de R$ 40,00.
 Confiram a oferta, no link abaixo:
http://www.cursos24horas.com.br/cursos/jornalismo.asp?gclid=CJT0pvvFl50CFQtN5QodPw6p1w

Este é o quadro, de terra arrasada, deixado pela decisão do Supremo Tribunal Federal, cujo chefe teve a pachorra de comparar a atividade jornalística com a de cozinheiro. Mágoas e ressentimentos pessoais com jornalistas motivaram o ato do STF, numa prova de que nossos magistrados conseguem se colocar muitas vezes no nível mais raso, como qualquer torcedor de beira de calçada. Tínhamos problemas com a vigência do diploma, mas tudo ficou incomparavelmente pior sem a certificação.

Tribuna do torcedor

Por Waldomiro Júnior

Estou morando na Suécia, mas sempre acompanho tudo sobre o Estado Cabano, e muito especificamente sobre o meu amado Clube do Remo, que está muito carente de notícias excelentes. Leio sempre o Diario do Pará. Claro, no Bola, sempre leio o seu comentário. E hoje quando li, vou escrever apenas sobre o seu pequeno comentário sobre a Direção do Remo (Amaro & cia). No meu ponto de vista, a venda do Baenão me pareceu uma jogada de marketing, porque anteriormente o vice Orlando Frade anunciou o projeto sócio-torcedor, que é no meu ponto de vista a salvação para o Clube do Remo. Porém, o Remo não tem nada no momento para estimular e oferecer ao torcedor para ser sócio de um clube quase falido, só mesmo acreditar na paixão do torcedor. Logo depois, a jogada de marketing anunciar a venda do Baenão, para mexer com o brio dos torcedores, a qual não indica eles serão sócios, mas poderam ajudar o Baenão para não ser vendido. Pois, pelo que escutei, ontem na Rádio Clube (parabéns pela transmissão via internet, o que deveria ser feito o mesmo com a 99FM, pois aqui tenho que me render a escutar Liberal FM), que o Remo anunciou uma campanha para melhora do Baenão em que o Ubirajara é o responsável, a qual o torcedor pode dar contribuição por uma conta bancária, a qual eu gostaria de saber para contribuir.
Então, pareceu-me estranho querer vender, mas ao mesmo tempo querer que o torcedor ajude nas melhoras do Baenão. Então, penso que pode ser um jogada de marketing, pois pelo que eu percebi aqui, a grande maioria dos cardeais remistas aceitaram rapidamente a venda sem muitos questinamentos, diferentemente de quando Raimundo Ribeiro anunciou a venda da sede social.

Uma lenda a toda velocidade

ayrt

Na semana do GP Brasil de Fórmula 1, o Instituto Ayrton Senna, a Global Editora e a Livraria da Vila prestam uma homenagem póstuma ao tricampeão mundial com o lançamento do livro memorabilia  “Ayrton Senna – uma lenda a toda velocidade: uma jornada interativa”, de Christopher Hilton, uma das maiores autoridades na história do automobilismo e autor de mais de 30 livros sobre o assunto. O lançamento será no dia 13 de outubro, a partir das 18h30, na Livraria da Vila do Shopping Cidade Jardim, em S. Paulo, e contará com a presença da presidente do Instituto Ayrton Senna, Viviane Senna, que irá autografar o livro.
 
“Ayrton Senna – uma lenda a toda velocidade: uma jornada interativa” é um livro para os fãs do piloto, pois é diferente de tudo que já foi publicado sobre a vida e a carreira de Senna. Além de trazer informações e detalhes que nenhuma outra publicação apresentou sobre sua vida, traz anexos com reproduções de documentos que remetem a suas experiências pessoais. O livro pretende levar o leitor não só aos acontecimentos e registros inerentes à biografia de Ayrton Senna, como também a fotografias dos arquivos da família, imagens que revelam momentos íntimos do piloto, com os amigos e nos bastidores das corridas.