Valtinho, enfim, rompe o silêncio

Dois trechos da longa entrevista concedida pelo técnico Valter Lima a Miguel Oliveira, de O Estado do Tapajós, e que o caderno Bola publica na edição deste domingo:

“Eu continuo técnico do Paysandu. Ele não disse. Eu tenho um contrato assinado por ele (Luiz Omar Pinheiro), que está em vigor. Mas não quero problema. Eu rasgo o contrato. Tudo bem. Mas lembro que quando empatamos com o Sampaio, houve uma festa pelo Paysandu por não ter caído para a quarta divisão, que meu prêmio seria especial. Eu sei da importância que foi ter dirigido o Paysandu em momento tão difícil”.

“Do ponto de vista financeiro foi um bom negócio. Por dois meses de trabalho foi bom. No São Raimundo eu ganhava bem, nunca me atrasou salário. Eu iria voltar a ganhar o mesmo salário se fosse dirigir o clube, o que não aconteceu. Quando eu fui pro Paissandu vencia o meu mês e eu abri mão do salário para que o clube pagasse o salário de alguns jogadores. Eu não queria dizer isso, mas foi o que aconteceu”.

15 comentários em “Valtinho, enfim, rompe o silêncio

  1. Jogo é jogo e quem joga ganha ou perde, não só perdeu como perdeu o Paissandú. Deveria ter vergonha de manisfestar ser um aproveitador de ocasião sabendo de suas limitações. Agora nem Paissandú e nem São Raimundo. Que peça para o AK emprego que um dia o procurou por desespero e acabe de matar um paciente que agoniza em estado terminal.

  2. Gerson, sei da admiração que vc tem pelo Valtinho, mas na minha opinião, está apenas tentando justificar sua Incompetência. Esse tempo que ele sempre reclamou que nunca teve no Papão, teve de sobra no Remo e, mesmo assim, não conseguiu fazer um bom trabalho. Foi lembrado nesse campeonato Paraense pelo Remo, mais para desestruturar o S. Raimundo, que pela sua competência em dirigir times de massa. o

  3. É muito dificil o home julgar suas ações, para saber se foram boas ou más, certas ou erradas, justas ou injustas. Utilizar a ética então…..

    O treinador não sabe, mas fazendo isso fecha porta em outros clubes e mancha um pouco a imagem e o conceito que ainda tem com alguns. Não que a verdade não deva vir à tona, mas deve-se escolher a melhor opção para que isso aconteça. Será que ele chegou a discutir essa situação com o presidente?

    Isso ainda vai dá pano pra manga.

  4. Vamos com calma.
    Gerson Nogueira mostrou que é um jornalista que sabe farejar uma boa notícia. Foi buscar em Santarém uma entrevista explosiva feita com competência pelo Miguel Oliveira.
    Já estou com o meu Diário nas mãos e não tenho porque duvidar da sinceridade do Valtinho.
    O Pysandu sofre de anomalia de comando. Uns mandam muito, outros mandam pouco.
    O que o ex-técnico afirmou é pura verdade.
    Sou torcedor do Paysandu e vi nesta temporada um time arcaico, na idade e na forma de jogar. O Valtinho foi chamado na ‘onça’ e fez o que pode.
    Queria que os leitores avaliassem como positivas as críticas do ex-técnico. Quem sabe reconhecendo os erros do passado o Paysandu volte a se tornar um time de primeira divisão.
    Parabéns ao Diário e a O Estado do Tapajós pela entrevista.

  5. Valtinho,muito obrigado por ter cravado o golpe final no pescoço do bicho feio ,que estava igual a um bebado perambulando pela terceirona,sem rumo nem eira,obrigado por ter jogado ele na sarjeta ,não rasgue esse contrato não,se apresente fique por tempo indeterminado lá,e para o ano enterre esse paciente canceroso terminal…
    Bicho feio,ano que vem tem mais valtinho na tua vida…rsrsrsrs

  6. Juca! estás do lado errado cara, esse comentário refere-se ao mais vitorioso clube do norte deste país, que lamentavelmente deu uma derrapada, mas, escorregar não é cair; aqui, não cabe torcedor derrotado igual estás demonstrando ser.
    Tu e teu time, que se encontra no limbo…. , agora, terão de curtir um longo período no MSD(Movimento dos Sem Divisão), entendo que deverias te preocupar em recuperar o teu time, se é que pensas ainda naquele finado, por gentileza, instila a tua peçonha naquela turma que aniquilou a tua alegria de torcedor.

    1. Silas,
      Desculpe entrar no assunto, sei que você é um torcedor fervorosos e mais ainda, consciente. Mas, sou azulino e, quando você menciona a situação do Leão azul me vejo obrigado em dizer-lhe o seguinte: 1º – O Paysandu não derrapou só uma vez, foram várias seguidamente culminando em sua queda sim; 2º – A questão de estar no limbo, no Pará ambos estão de mão dadas meu caro. A pindaíba (econômica, competência, ética, de dedicação em servir os clubes ….etc) aportou tanto no Baenão quanto na Curuzu, a própria questão levantada no post acima, comprova o que digo.

  7. Gerson, não lí ainda a reportagem do Valtinho, mas, lamento que a diretoria do Bicolor Amazônico, não haja honrado o apalavrado/contratado com ele e, perdido a oportunidade de mantê-lo no comando da comissão técnica para 2010, ele é muito competente, estudioso, estrategista, enfim, o considero um bom nome para conduzir qualquer time em qualquer competição nacional.
    O que continuo não entendendo é porque pros de fora tudo é atendido, vejam agora, o desconhecido, já tem um time inteiro negociado e avalizado pelo todo poderoso LOP, só aguardando o momento para trazer essa carrada de bondes, nunca deram essa oportunidade ao Valtinho e querem cobrar-lhe uma conquista que não tinha a mínima chance de acontecer, nós torcedores sempre acreditamos, mas, deu no que deu; aí é culpa do técnico regional que herdou um plantel recheado de importados PEREBAS, PIPOQUEIROS e MERCENÁRIOS, já não se podia mais contratar, (pela exiguidade de tempo e numero de partidas a realizar, só restavam quatro), o clube já havia perdido os prazos para inscrever novos contratados e a grana toda já havia escoado pelo ralo.
    A lucidez e razoabilidade dizem que melhor seria haver mantido o treinador, no caso o Valtinho, reformular o departamento de futebol e a CT, ele montaria um plantel regional para continuar em atividade até as férias antecipadas de novembro, reiniciariam as atividades em dezembro e já visando principalmente a copa do Brasil e por conseguinte o parazão, contratariam ums quatro jogadores daqueles que chamamos diferenciados, só após isso e caso o insucesso persistisse, é que poderiam defenestrá-lo, o que fugir disso aí é irresponsabilidade pura e falta de visão empreededora, ou melhor, é muita visão subdesenvolvida “aquela que diz que só o dos outros é sempre melhor, só os importados de outros Estados merecem crédito, que são a solução…”.
    Podem anotar, o desconhecido Nasareno e a não muito séria genius(fama da empresa no centro sul segundo comentários veiculados pela imprensa falada) vão trazer um trem cheinho de bondes, todos custeados pelo Bicolor, vão endividar o clube e depois vão RASGAR NO TRÊCHO, NÃO SEM ANTES Divulgar através da imprensa a tradicional e manjadíssima declaração “Demos o nosso melhor mas não foi possível, INFELIZMENTE FUTEBOL É ASSIM MESMO, e … não acontece nada! com eles, só com os que aqui ficam, pois daqui o são, como está acontecendo de novo.

    1. Perfeita análise do quadro, Silas. E sabe de uma coisa? Se tudo der errado nessa esquisita parceria Paissandu & Genius, o presidente sempre terá um culpado a apontar. Sabe qual? Adivinhe… a Imprensa do Pará, claro. Rsss

  8. Juquinha! Subordinado não pode ficar dando piteco nos assuntos do patrão, quando isso ocorre é justa causa, eis a razão do teu remo sem divisão definida. Quanto ao Valtinho não continuar no papa título foi uma vitória, agora o problema é LOP e esse bonde preste a chegar deveria ser inspecionado pelo IBAMA para ver se a origem e qualidade é confiável.

  9. Boa tarde Falconi e demais participantes deste blog. Falconi, no aspecto administrativo e ético a que te referes, concordo sim contigo. Quanto à queda, estou considerando que permanecemos na terceirona onde já estávamos; tudo bem que não é local recomendável, tampouco é a divisão onde gostaríamos de estar, mas, pelo menos é um enderêço que ainda mantemos, então não houve queda, derrapamos apenas, derrapagem humilhante é claro, porém, continuamos bem mais próximos de retomarmos o caminho da segundona em 2010.
    Gostei da tua análise de que os dois estão de mãos dadas nessa desorganização e pindaíba; isso é o que mais me preocupa, pois estou percebendo que o LOP, está seguindo os passos do RR, lembram dêle? pois bem, um rápido resgate da história, o RR, após uma década vitoriosa na presidencia da agremiação contrária, tentou eleger-se deputado federal, gastou uma grana, aliás tudo e, não se elegeu, resultado, Faliu, quebrou, mas… secretamente jurou vingança (pensamento meu) e após ums aninhos voltou ao comando daquela (ingrata, para ele)agremiação, de onde sacaramentou a vingança, não adiantaram os apêlos da sociedade azulina que não percebeu que se tratava de uma forra; ele não largou o osso, melhor dizendo, não largou o felino enquanto este não chegou, ao fundo do fundo do poço.
    No caboclês abaeteuara, diría “enquanto não chegou no perau”; (PERAU(pé) é a parte mais profunda, do fundo do canal de um rio, ou seja, o fundo do profundo) onde se encontra até hoje; no meu entendimento só vingança justificaria esse feito e, o meu receio está passando por aí, olha só, o LOP, segundo notícias veículadas pela imprensa local, tirou do bolso uma grana altíssima e investiu nesse time recén fracassado, então eu pergunto, como ele vai se ressarcir, ou, ser ressarcido desse prejú, que parceria é essa com essa empresa mal falada lá pelo centro sul do país? o clube já pode ser terceirizado (parece que está sendo) sem a anuência do Conselho deliberativo? são deduções apenas, que evolam-se pelos ares da Curuzú, mercê da desinformação existente neste momento, pela falta de clareza das ações tomadas pelo diretor excelso LOP, que não se reporta a ninguém nem ao Conselho Deliberativo, ou seria DECORATIVO?.
    Então, não está tudo muito parecidinho com o caso RR? Tomara que eu esteja errado, mas, nesse caso, já sinto a catinga da perpétua.

  10. Boa tarde Gerson;
    Após ler o Bola de hoje, firmo mais ainda a minha convicção no que escrevi neste blog, ontem, às 23:25.
    Todos sabemos da carencia de razoabilidade que ultimamente tem rondado a Curuzú; o que mais me incomoda no entanto, é a inércia, que raia à Omissão, do Conselho Deliberativo.
    Isso é muito grave.

  11. O “pseudo-estudioso” mostra que é uma porcaria de um estrategista . Mas a culpa toda é do presidente maria vai com as outras. Quanto aos desejos do Juca magoado, desejo também que o Klautau continue firme à frente do clube, com o bombeiro lhe assessorando. E que volte Landu e Adriano para tudo ficar na mesma la´pelo baenão!

Deixe uma resposta