A memória de 11 de setembro

10_MVB_mun_11_de_setembro1

No oitavo aniversário dos ataques às torres gêmeas do World Trade Center, em Nova York, os americanos ainda se debatem com os fantasmas do 11 de setembro. O país busca uma estratégia para lidar com a resistência talibã no Afeganistão e no Paquistão e para reduzir a ameaça terrorista. Além, é claro, de tentar achar o principal cérebro por trás da ofensiva aérea que vitimou cerca de 3 mil pessoas: Osama Bin Laden. Sinal dos tempos: a tradicional solenidade em memória aos mortos no marco zero do WTC não terá a presença do presidente Barack Obama, mas somente a do vice Joe Biden. Obama, decidido a mirar no futuro, vai ao Pentágono, também alvo de ataques da Al Qaeda, debater os rumos das guerras no Iraque e no Afeganistão, iniciadas por seu antecessor, George W. Bush.

20 comentários em “A memória de 11 de setembro

  1. Os americanos não gostam de lembrar esta data com razão. Por aqui o dia 26 de setembro, também, não é uma boa lembrança para uma parcela da população sem série.

  2. Tem também a data de 18 de Novembro que uma parcela da população paraense (minoria, é verdade) não gosta de lembrar… Se não me engano tem algo a ver com o número 9.

  3. Sergio,
    Se formos colocar as datas alégicas à essa minoria chegaremos na formação de calendário anual e, bote ano nisso.

  4. Tem uma data que dá é de “7 X0” em todas essas.
    “Se em terra de cego quem tem um olho é rei, imagine quem tem os dois” (Zé ramalho)

    1. Quando você for ao PNEUMOLOGISTA, independente da preferência CLUBÍSTICA dele, não haverá JEITO, invariavelmente para lhe AUSCULTAR, lhe pedirá para falar 33 (TRINTA E TRÊS).

      Você será PERDOADO se for MUDO tá ???

      … rsrsrs …

      KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK !!!!!!!!!!!

  5. Triste de quem tem mais de 100 anos e só conseguiu fazer 33 coisas que julga ser um fenômeno. Não tenho nenhum problema com esse número, Marco, afinal, os deuses do futebol reservam para cada um o que cada um merece. Para o bem e para o mal.

  6. Égua! O Diogo Papão foi na alma! Cuidado meu caro, não vá ferir o “orgulho” da menor e enlutada metade da cidade!!! (rsrsrsrsrsr…)

  7. Sou remista e esse 33 pouco me interessa, pois afinal fazer tabu nos “pijamas” é algo que já está cristalizado na história do futebol paraense. Nosso passado glorioso nos levou à França e isso nenhum clube local até o momento conseguiu. Quanto ao 7×0, não há documentação histórica que comprove tal fato, portanto faz parte do imaginário social da cidade.

  8. A única glória do Clube do Remo é ser superior ao rival(?) em vitórias e torcida. Simples assim!… Tomando por base que cada vitória e/ou “feito” é sinônimo de alegria (e alegria é alegria… Não existe alegria maior ou alegria menor), o paissandu deve ter uns 5 ou 6 “feitos” a mais do que o Remo. Como o Remo tem perto de 50 vitórias a mais que o rival, há de se imaginar a quantidade de porres de alegria que eu já tomei a mais do que o Diogo, o Acácio, o Daniel… (somados!)… rs.

  9. Marcelo e Acácio, não precisaria, mas vou refrescar-lhes a memória: Torneio Internacional de Toulon (França) em 1993, decidindo com o Olympique de Marsseille.

  10. Ahahahahahah… esses remitas são uns comédias mesmo! França? Quando? Não lembro!
    E olha, se a CBF unificar o calendário nacional ao europeu os Estaduais vão acabar… e aí o que os remitas vão ter pra disputar, ganhar e “se orgulhar”? Vale lembrar que mesmo assim, o maior time do norte do país ainda tem mais títulos que os “roxos” em Estaduais. Títulos que eu nem comemoro…
    Detalhe: tabu é coisa de time sem história pra contar, coisa de time de sem divisão (hahahaha). se os Estaduais acabarem, o que os “roxos” terão pra contar?
    Agora a Libertadores (não acabará tão cedo), a Copa dos Campeões e a Copa Norte (que acabaram, é verdade, mas ficaram pra história) e as conquistas da Série B estão marcadas para sempre não apenas no imaginário do torcedor, mas nos arquivos audiovisuais e impressos país afora… já os Estaduais…

  11. Amigos! Daqui a 30 anos a torcida sem série vai propagar que jogaram contra o Cristal. e todos pensarão que foi pela libertadores.

Deixe uma resposta