Tratamentos desiguais na F-1

Pelo andar da carruagem, Nelsinho Piquet será expurgado da Fórmula 1 em função da confessada armação no GP de Cingapura. É justo que isso ocorra, pois atitudes antidesportivas devem ser punidas com todo rigor. Chato é observar que a F-1 é pródiga em episódios dessa natureza, que não geram necessariamente o mesmo tipo de reação. Nos anos 90, Ayrton Senna e Alain Prost se envolveram em manobras para tirar o concorrente da pista – em decisões de campeonatos -, sem que nenhum deles fosse punido por isso. Schumacher e Senna retardavam voltas de treinos para prejudicar os demais. Nada aconteceu contra ambos. E, recentemente, a McLaren foi flagrada num crime de espionagem industrial que beneficiou diretamente seus pilotos Fernando Alonso e Lewis Hamilton, mas, apesar das evidências da maracutaia, foi advertida e perdeu modesta pontuação. Hamilton escapou impunemente e Alonso beneficiou-se do fato de ter colaborado com as investigações.

Um comentário em “Tratamentos desiguais na F-1

  1. Nunca gostei muito de Fórmula 1 e nem considero isso esporte. Sempre acreditei que poderiam haver tramóias na mecânica dos carros para favorecer esse ou aquele. Depois dessa do piquezinho, e essas outras que relatas, vejo que não perco nada não vendo esse “espetáculo”. Bom, já chega as tramóias do futebol.

Deixe uma resposta