Acaba o sonho da Série B

Com uma goleada de 6 a 2, construída principalmente na etapa final, o Icasa sacramentou sua ascensão à Série B. O Paissandu, que diminuiu no final do primeiro tempo e parecia disposto a buscar o empate no segundo tempo, caiu fragorosamente. Cada ataque cearense resultava em gol e o placar só não foi maior porque o time da casa pisou no freio nos instantes finais. Michel ainda descontou, mas o placar vexatório deixou jogadores e técnico Valter Lima sem palavras ao fim da partida.

27 comentários em “Acaba o sonho da Série B

  1. A derrota mais do que esperada…

    A derrota começou a se insinuar ao longo da semana, quando palavras como “milagre” e “superação” foram ditas com muita frequência, indicação de sérias dificuldades pela frente, e mesmo descrença.

    A derrota fortaleceu-se no domingo, quando blogueiros não quiseram emitir palpites, nem promoveram bolões, como se tivessem conhecimento de más notícias nos bastidores e já esperassem pelo vexame.

    A derrota veio finalmente, para o promissor Icasa, time que sequer faz referência a futebol ou a esporte em seu nome de fantasia (Indústria e Comércio de Algodão S. A.) e que foi rebaixado para a segunda divisão do prestigioso campeonato cearense.

    Então, nesta segunda-feira, virão as denúncias de conspiração. Coisas que já eram do conhecimento de todos serão anunciadas com espalhafato e demagogia pelos mesmos de sempre. Jogadores farristas, boicotes, falhas de caráter. Atletas considerados bons até pouco antes, virarão pernas-de-pau, mercenários etc para satisfazer a fúria dos torcedores, que agora querem “sangue”. Os que apoiavam Valtinho desembarcarão de vez da canoa, dizendo que sua contratação foi um erro.

    Enfim, as mesmas coisas de sempre…

  2. Os culpados, pela ordem: PResidente do Paysandu, sr. Luiz Omar Pinheiro e a imprensa esportiva paraense.

    Luiz Omar por ter demitido o melhor técnico que passou por aqui nos últimos tempos e que peitou essa imprensa e acabou com as regalias dela: o Édson Gaúcho.

    A imprensa por ter feito campanha contra o Édson Gaúcho e por ter bancado a contratação da mosca morta do Valter Lima.

  3. Prezados,

    Mais um ano se passa e o futebol paraense continua amargurando um lugar no abismo, não falo apenas como torcedor do PSC, mas como paraense.

    O time do PSC (teve time?) se comportou de maneira bisonha, entregando (a palavra é essa mesmo) gols e o jogo para o apenas mediano Icasa (time da segunda divisão do campeonato cearense) que corria no jogo como se fosse uma partida de libertadores das américas.

    O Icasa nem é tão melhor que PSC, apresenta grandes limitações defensivas, mas ao time bicolor falta gana de vencer, arrumação tática (coisa que não apresentou em nenhum jogo da série c) e jogadores de qualidade técnica comprovada.

    Assistindo ao jogo, pensei que até o time sub 20 do PSC não faria tão feio.

    Não posso negar que Valtinho cometeus alguns erros, em especial no jogo de hoje, quando escalou Zé Carlos (não deveria ter entrado) e treinou ao longo da semana o time do PSC com um atacante. Por que errou? Errou porque sabia da limitação do PSC (tanto física quanto técnica)e preferiu arriscar com um time mais ofensivo no entanto fadado a derrota.

    Independente disso, as derrotas são fontes de grande aprendizagem (é clichê, mas é verdade) e fonte de futuras vitórias.

    Para a diretoria:

    1- O Campeonato Paraense não é parâmetro para o Campeonato Brasileiro;

    2 – É preciso ter coragem de investir para ter lucro (a bolsa é um ganha e perde horrível, só quem arrisca ganha mais), assim, montar um plantel mais qualificado requer gastos, mas o lucro pode vir com uma classificação a série B.

    3 – A base é investimento, não adianta apenas fazer a curuzu, é preciso contruir o centro de formação para o futebol para corrigir erros de marcação dos jogadores da base. Ficou claro o problema de Bernardo em fazer a cobertura (não estou crucificando isso é base);

    4 – Não podemos pensar que isto é o fim do futebol paraense. O PSC (e também o Remo) tem que rever o planejamento, pensar na copa do Brasil e no campeonato paraense e na série C (D no caso do rival) como um todo e não como parte. O quero dizer, vamos montar uma equipe para o paraense identificar os defeitos e concertá-los na série C contratando apenas alguns jogadores, mas que sejam jogadores e não pernas de pau.

    5 – Hoje todos perdemos, por isso nós paraenses temos que nos unir para o bem do nosso futebol. Vale dizer, o que levou o Remo a subir da C para B não foi apenas planejamento, mas também o fato de ver um PSC bem no cenário nacional, isso também acontece na derrocada.

    EU AINDA ACREDITO NO NOSSO FUTEBOL, FORÇA PAYSANDU E AVANTE REMO, VAMOS VOLTAR A BRILHAR POIS JUNTOS SOMOS MAIS FORTE!!!

  4. Esqueci de dizer, é triste e comovente ver um craque como patrulheiro torcendo e quase chorando ao ver um PSC fraco e incapaz. Saudades de jogadores paraenses como ele, Nad e oberdan.

  5. Quem acompanha o futebol cearense e vê os dirigentes novos dirigentes com nova mentalidade .. não se surpreende com o resultado.. O Icasa está colhendo os frutos.. assim como diversos clubes(Atletico GO, ASA, …) O Campeonato Paraense não serviu e nunca servirá de rereferncial… imagine o Payssandu na Serie B.. seria um desastre.. viria um trem de jogadores… e aja ações judiciais.. Torcedo não se desespere.. Bassta de enrolação e maquina calculadora da china!!!

  6. Escrevo essa mensagem ao som de fogos explodidos por alguns desocupados anencéfalos que não conseguem entender as consequencias dessa derrocada. Pois bem, não é muito dificil achar explicações para uma eliminação construida da maneira que foi. Quem acompanha o blog, lê com atenção os posts sabe bem disso. O time começou o campeonato não jogando bem, mas ganhando em casa o que seria uma obrigação aquela altura. Depois venceu a forte equipe do Rio Branco ainda não sendo brilhante, mas vencendo e jogando com força e raça. Aí vieram os temidos jogos fora de casa, começando por um em Marabá, com o time sendo perfeito em 70 dos 90 minutos e o outro em LRV tendo o time perdido um jogo onde tinha tudo pra sair vitorioso. Eis então que veio a saida do técnico Édson Gaúcho, o qual poderiam falar qualquer coisa, menos que ele não tinha o time na mão, com ele jogava quem tava bem e não quem a imprensa queria. Teve peito e colocou pra jogar meninos promissores e talentosos como Alax e Tetê, e que por exemplo barrou o Zé Carlos (jogador dele, como alguns dizem) qdo o mesmo era artilheiro mas não estava bem. Com a saída do EG, saíram tbém o não brilhante mas bom jogador Rossine e o Diretor paraense mais competente que já trabalhou na Curuzu, o Clodomir Jr. A partir daí o que se viu foi uma farra no clube, tanto no aspecto do futebol quanto na área administrativa, onde até setoristas que não tem opnião própria e “adoraram” a saída do EG reclaram a bagunça que virou o vovô da cidade. Aí era só esperar e rezar pra ficarmos pelo menos na Série C, o que todos fizeram lá em Codó, pois sabiam que o maior feito do time acabara de acontecer, empatar com um time de quinta categoria e não cair de divisão. Contrataram um técnico sem vida, sem sangue, pálido e aparentemente sem ambição, jogadores caíram de produção assustadoramente não se sabe porque e o time foi ladeira abaixo. Por fim, a goledada nada mais é que a crônica de uma tragédia anunciada. Agora é parar o futebol e caçar bons jogadores para uma boa temporada em 201o. Até quando?

  7. Torcedor.. não tem jeito.. vê o Icasa massacrar o Payssandi .. e ainda critica a imprensa e pior desmerece o vencedor ….o sucesso não acontece por acaso.. o Futebol Cearense, Goiano estão tentando implementar uma nova mentalidade!! Quem acha que caminha ganha jogo… me desculpe.. mas é melhor “pendurar” o radinho…

  8. Carlos, só não concordo com você sobre a Copa do Brasil. Por ser um campeonato eliminatório, os clubes temem investir o dinheiro que já não têm, pois uma eliminação precoce (o que já se tornou comum) causará sérios prejuízos e desmanche no meio do Parazão. A imprensa supervaloriza a Copa do Brasil, mas esta ultimamente virou apenas uma forma de ganhar dinheiro, se a gente tiver a sorte de enfrentar um Flamengo ou Corinthians.

    Mesmo a série C, agora tão curta, virou um risco para altos investimentos. Investimento só se faz em campeonatos tipo série A e B, por serem longos e darem tempo para o retorno do investimento.

    Por isso, faço minhas as palavras do Castilho após o jogo: é preciso estender o Parazão até novembro para que os times tenham calendário. Do jeito que é hoje, com a série C terminando em setembro, fica um “buraco” que os times terão de preencher com amistosos ridículos.

    Gérson, que você acha dessa idéia do Castilho?

    1. Acho um exagero estender tanto o Parazão. Não há atração que consiga manter o interesse do público por tanto tempo. Deve ir, no máximo, ir até junho, antes da Copa. As competições nacionais ficarão para o segundo semestre, com exceção da Copa do Brasil, e isso vai preencher o calendário dos clubes de Belém – isto se o Remo conseguir a vaga na Série D…

  9. Caro Cleiton,
    A ideia do Castilho é boa, mas não sabemos como irá ser a série C do ano que vem. Este campeonato vive mudando. Quanto a copa do Brasil concordo com você, apesar de achar que times bem armados (o Águia quase surprendeu se não fosse o bandeirinha de braço engessado) podem ir longe, quem sabe ate a final como foi com Santo André, Paulista e Brasiliense.
    Abraço!

    1. Carlos,
      O diretor da CBF, presente lá em Juazeiro, disse que as duas séries – C e D – serão disputadas em 2010 nos mesmos moldes deste ano. O que é uma boa notícia, pois continuará extremamente fácil subir para a Série B, desde que os times se preparem adequadamente – e não esqueçam de se reforçar.

  10. Estender o Parazão… é o fim da picada!!! Acorda Pará… até quando vamos tapar o sol com a peneira!!! O problema é que os nossos dirigentes não aprendem… Sugiro que conhecem o TRABALHO do ATLETICO GO… ou que vejam a nova mentalidade dos dirigentes do Estado do Ceará!!

  11. Cleiton e Carlos, no futebol de hoje é vencedor quem contrata bem. Uma pergunta: alguém aqui sabe escalar o time do Barueri que faz bela campanha na Série A? E o Avaí? e o Atlético – GO na Série B? amigos, tem que conhecer futebol ou trazer gente que conheça. O Paysandu precisa de alguém que conheça o mercado, um gerente rodado. Outra coisa, força física tá fazendo a diferença, times fortes estão se dando bem, então nada de nanicos e desnutridos.

  12. a derrota do paysandu, serviu para mostrar quem estava com a razão esse tempo todo. Muitos torcedores do paysandu vem reclamando muito a saida do ex-tecnico e foram taxados de chatos e tudo mais…e no final prevaleceu o ensinamento de nossos avós, “a voz do povo é a voz de deus” ou então “quem avisa amigo é” ou talvez “time que está ganhando não se mexe”. Se estivessemos ouvindo nossos antepassados hoje provavelmente estariamos na 2° divisão. Mais um ano na terceira e o que fica é um prejuizo incalculavel de valores não só para o paysandu, mais também para todo o empresario que investe no esporte e para o setor esportivo de tv, radio e jornal. Infelizmente o lucro de todos que poderia vir no futuro se converte em prejuizos. Nas ultimas semanas a imprensa resolveu jogar de verdade com o time, mas acabou sendo tarde de mais, pois o time do paysandu já dava indicios de que era um time perdido, que já não era mais aquele time criativo, de bom toque de bola como foi o tempo todo sobre o comando de Edson Gaucho. O Walter Lima veio levou duas goleadas para times mais fracos do que qualquer um que disputa o paraense, empatou dois jogos em plena curuzú e um fora por sorte pq levou uma bola na trave e ganhou apenas uma aos 47min do 2° tempo com zé augusto na Curuzú. O “elogiado” “estrategista” “protegido” e “paparicado” Walter Lima não funcionou e nós sabiamos que não ia funcionar a torcida fez as críticas muito mais do que os proprios comentaristas, apontou as falhas eu mesmo reclamei da retranca e disse que o Walter tinha que parar de dar uma de Dario Lourenço, parar de ser tão retranqueiro. Hoje ele voltou a colocar o time para a retranca deixou o time adversario gostar do jogo e abrir dois gols de vantagem, depois ficou muito claro que os jogadores resolveram desacatar completamente a proposta do tecnico Walter e resolveram decidir sozinhos que a melhor defesa do time era o ataque como já dizia Tele Santana, apesar da reação, infelizmente já era tarde, o jogo virou pelada e o time se perdeu. Nós já diziamos que o Walter Lima não era tecnico para o paysandu, o paysandu precisa de um tecnico vibrante, que brigue, cobre e faça valer o dinheiro que os jogadores ganham é por isso que o Edson Gaucho era chato com todo mundo, por que futebol é coisa seria e graças ao seu profissionalismos o paysandu é campeão paraense, está na copa do Brasil e não foi rebaixado para a 4° divisão haja vista que sob o comando dele o paysandu teve o maior numero de pontos. No geral o paysandu não subiu para a 2° divisão porque trocou de tecnico no meio da competição e isso não se faz em um campeonato curto e por contratar um tecnico substituto tão retranqueiro. Outra coisa que eu já não aguento mais ouvir falar é tanto comentarista dizer que campeonato paraense não é parametro para brasileiro, vale lembrar que os mesmos que hoje falam isso antes defendiam que o planejamento era fazer um time que jogue o paraense e o brasileiro e não formar dois times, o proprio Gerson já defendeu essa tese. Isso a diretoria do paysandu fez montou um time bom no paraense para ser utilizado no brasileiro. O grande problema foi que a diretoria não manteve o mesmo planejamento do paraense mais acabou se desfazendo daquele bom planejamento ao demitir o tecnico e varios jogadores, assim aquele time que antes jogava bem acabou perdendo completamente a sua identidade e a midia que durante todo esse planejamento não apoiou como deveria, acabou colaborando para o esfacelamento do time, depois da saida do tecnico a midia ainda tentou de todas as formas reparar o seu erro mais já era tarde de mais e o paysandu já havia perdido completamente a sua personalidade e o time que terminou o brasileiro também já não era mais o time do paraense.

  13. GERSON RESPONDA POR FAVOR,A FABRICA DE CIMENTO NASSAU,NÃO FICA EM CAPANEMA?
    QUANTAS VEZES VC JÁ VIU UM COMERCIAL DA REFERIDA EMPRESA EM NOSSOS ESTADIOS?
    E VC VIU NO CAMPO DO ICASA?SERÁ QUE O CLUBE DO ICASA TEM MAIS TORCIDA QUE REMO E PAISANDU? SEM FALAR NA VALE.
    COMENTE…

    1. O Matheus já respondeu, Juca. A Nassau é uma empresa que tem presença em todo o país, praticamente. Mas a questão não é essa. Passa por confiabilidade. As empresas não querem fechar negócios com dirigentes que não cumprem promessas e não respeitam contratos.

  14. A Nassau é uma empresa de Recife. Apenas tem fábrica aqui como tem em vários Estados. No Nordeste em sua maioria…
    No mais, você vincularia sua marca a um time que tem Luís Omar Pinheiro como presidente? Eu não.
    * Gostaria que LOP tivesse a decência de largar meu time de coração. Faria um favor.

  15. Discutiram no Bola na Torre o motivo de os treinadores locais não darem certo por aqui. A explicação é simples: jogador só respeita técnico que seja bem relacionado com os clubes grandes lá de fora, e também com empresarios, porque esses atletas buscam sempre atuar nos grandes centros. Eles respeitam um treinador que possa indicá-los para uma grande equipe, até mesmo do exterior, ou recomendá-los a um empresário…

    Já os técnicos locais, como o Valtinho, não conhecem ninguém, não têm influência para colocar atletas em time nenhum. À boca pequena, são chamados de “Zé Ninguém” pelos jogadores, que não nutrem qualquer consideração por esses treinadores.

    E foi mantida a escrita: toda vez que Paysandu ou Remo “investem” em treinador local, invariavelmente, ficam pelo caminho…

  16. O Valtinho foi o mais corajoso de todos nessa Historia, acreditou que poderia classificar o time mesmo sabendo que poderia ser frito pelos “guerreiros” do Barriga verde EG.

    Quando mudou de Tec. tinha que fechar a conta de meio-time, nao fez , deu nisso.

    Um time para mim dos mais ruins que ja vi passar por Belem e o que e’ pior, eles estavam fechados com o antigo tecnico.

    Quando um time de Futebol abriga um bando como esse que ha na Curuzu, a queda e’ inevitavel.

  17. O Valtinho pode ser tudo! menos bandido!

    ele chegou na Curuzu para ser Tec. e desmpenhou o seu papel,. nao cuidou da lavanderia, nao administrou entrada e saida de pessoas no clube e tampouco impos regras para a imprensa , entre outras coisas, que nao fazem parte do oficio de Tecnico.

    Seu pecado ao que parece e’ nao ter um “empresario” de nome ao seu lado, um dos muitos CANCROS que somente fazem mal ao Fut. Paraense.

    Pelos posts de alguns o Tec.precisa ter bons contatos, para poder proporcionar futuro aos jogadores. Se isso for verdade a partir de hoje , meio time do Icasa ,ira parar na primeira divisao??

    Essa gente que o Valtinho nao conseguiu domar, e’ tudo cobra criada. Gente sem futuro! sem compromiso algum com as cores do time da curuzu e nem com nenhum outro. Sao enganadores.

  18. Harold, vide Ademir Fonseca e sua corja em 2006, que depois o apático e patético Sinomar “Noves” não teve competência pra identificar o que todo mundo via, que era o corpo mole daqueles bandidos.
    Pelo menos uma coisa ficou sacramentada com o revés de ontem: que não adianta invertir em técnico local. Depois que o futebol virou negócio, eles tem antes que fazer nome fora para depois voltar pra cá. Espero que daqui pra frente a imprensa dê um tempo nesse assunto

Deixe uma resposta