Escalação já definida

Valter Lima praticamente já definiu os 11 guerreiros para a batalha do Cariri, domingo. No 4-4-2: Rafael Córdova; Alax, Rogério, Bernardo e Aldivan; Mael, Lê, Paulo de Tárcio e Zeziel; Torrô e Vélber. Na hipótese de utilizar o 3-5-2, a escalação seria: Córdova; Rogério, Bernardo e Roni; Alax, Mael, Lê, Vélber e Zeziel; Balão e Torrô.

12 comentários em “Escalação já definida

  1. Valtinho está completamente perdido na escalação do time e não tem a menor idéia do que fazer domingo. Percebe-se pelas mudanças variadas e radicais que experimentou nos treinos. Assisti a sua entrevista na TV, ontem. Estava visivelmente desorientado e aborrecido com a atuação dos atletas, já que os titulares haviam perdido para os reservas (2 x 1). E o que é pior: hoje perderam novamente, de 3 x 1. Chama a atenção que o Paysandu não apenas joga mal. Ele também treina mal. Não é de agora. Antes do jogo de Codó, também houve um coletivo decepcionante (2 x 2). O elenco está visivelmente insatisfeito e de má vontade (teria algo a ver com prêmios não pagos?). Não cabe mais ficar culpando o técnico e os jogadores. A responsabilidade é toda do presidente. Foi ele quem montou este time e contratou o treinador. Por falar no LOP, fico triste ao ler neste blog que a premiação de Codó ainda não foi paga e o bicho do Parazão continua pendente. Sobre o retorno do Córdova, nada mais preocupante do que a atuação deste goleiro nos jogos fora de casa. Na primeira partida, 2 x 2 contra o Águia. Na segunda, derrota bisonha para a Luverdense por 3 x 2. Na terceira e última, sonoros 4 x 0 para o Rio Branco. Nota-se que o time foi sofrendo mais gols a cada jogo (2,3 e 4), com Córdova tendo participação decisiva, falhando na grande maioria. Vamos ver se já aprendeu a sair do gol.

    1. Cleiton,
      Apesar da pouca experiência, acho que Wanzeller se saiu bem nos dois últimos jogos e vinha dando mais segurança que Córdova. Uma pena que tenha se contundido justamente na semana decisiva.

  2. Gerson, o grande pecado do Valtinho foi mexer demais quando assumiu esse time e continua a mexer. Lê, não é melhor e nem está mais entrosado com o Mael do que o Dadá. O time que ele definiu, a exceção de Lê, seria o ideal para lançar contra o Icasa, até porque, penso eu que o esquema é o 4-5-1, o Velber não vai jogar lá na frente e sim, ele vem com a bola dominada de trás. O problema é que para isso essa equipe teria que ter sequência de trabalho, para chegar ao entrosamento. É aí que vejo o Paysandu se complicar, frente ao Icasa, que pode não ter a mesma qualidade individual que o Papão tem, mas seu conjunto é muito bom,é é o que prevalece. Futebol, gente, é Conjunto. Vamos torcer para que dê certo, com a conivência do Icasa. O Charles Guerreiro, quando o Remo perdia, por falha de um dos zagueiros, acabava o jogo e ele dizia que no próximo ía entrar com 3 zagueiros, pois a zaga tava tomando muitos gols, quando ganhava, dizia que ía voltar com 2 zagueiros, mostrando total desconhecimento técnico e tático sobre Futebol, não percebendo que tinha que montar uma equipe e treinar a mesma para obter um bom conjunto. Só gostaria de pedir uma coisa a Imprensa do Pará, até de joelhos se for o caso, não empurrem ou não façam mais campanha para colocar técnico local em Remo e Paysandu, pois isso, que vem se alastrando todos os anos, está acabando com esses dois clubes e consequentemente com o Futebol Paraense, pois esses técnicos locais, não tem competência para assumir Leão e Papão. Não adianta fazer seminários esportivos e falar isso e aquilo, pois os problemas estão: Na falta de conhecimento sobre futebol, tanto na IMPRENSA, quanto nos Dirigentes de Clubes. Uma Pena.

    1. Cláudio,
      Respeito suas opiniões sobre o desenho tático dos times, sobre a forma de distribuir os jogadores em campo etc. Agora, só me sacie a curiosidade: quem você recomenda para falar sobre futebol no Pará, se só temos ignorantes (conforme suas palavras)? Eu não seria tão radical. Os exemplos nacionais – e mundiais – mostram que ninguém sabe tudo, meu amigo. Aliás, o pior da vida é quando imaginamos que já sabemos tudo.

  3. Gerson, não estou radicalizando, até porque tem gente boa na imprensa paraense, o problema é que essa gente, é minoria. Aliás, sua última frase deve ser repensada, se o Paysandu não se classificar, por aqueles que pediram a troca do Treinador.

    1. Você sabe que a troca do treinador não é o problema do Paissandu, nem a origem dessa situação. A coisa vai muito além disso, e já falamos disso exaustivamente sobre isso aqui.

  4. Gerson, é certo que o plantel não é essas maravilhas, que estamos com problemas de contusões, que o Valtinho está carregando a cruz que lhe entregaram e por fim, que o Icasa é tido como favorito, tendo inclusive encomendado chpp e rapadura.
    Gosto muito desse conjunto de adversidades e lembro que muitos só crescem nos grandes desafios.
    Agora é só esperar e ver no que vai dar.
    Eu continuo acreditando.
    VAMOS SUBIR, PAPÃO!
    VAMOS SUBIR, MUNDICÃO!
    VAMOS SUBIR, FUTEBOL PARAENSE!

  5. O problema maior é o LOP. Valter Lima é obra do descaso deste mandatário que de futebol, cá para nós, não entende nada e como gerenciar nesta situação, a conseqüência é essa que estamos passando. Assim foi com RR e AK não deixa por menos. Em 15 dias montou um time que hoje já nem existe. Agora com 8 meses que tinha, restam 4, para pensar em 2010 nada evolui. São políticos exercendo função de médico e aí coitado do paciente.

Deixe uma resposta para blogdogersonnogueira Cancelar resposta