As (boas) chances do Águia – 2 (*)

Sob todos os pontos de vista, as possibilidades do Águia contra o Fluminense, hoje, no Maracanã, são bastante interessantes. Além de estar em ascensão, jogando novamente bem, como no ano passado, o time marabaense entra com a vantagem do empate e terá a chance de explorar o contra-ataque, coisa que sempre soube fazer bem.

Não será surpresa se o Águia saísse do Rio com uma vitória. Que ninguém se engane: o Fluminense de Carlos Alberto Parreira ainda é um arremedo de time. Não mostrou força de conjunto no Campeonato Carioca e estampou todas as suas fragilidades na partida realizada no Mangueirão.

Tivesse o Águia mais capricho nas finalizações e não tivesse sucumbido, em parte, ao pecado da soberba, estaria agora praticamente classificado. Chances o desarrumado time de Parreira deu de sobra naquela noite para que o placar fosse mais amplo, sobretudo no primeiro tempo.

Para esse segundo confronto, o tricolor carioca terá ainda os desfalques de Tiago Neves e Conca – que não fizeram nada em Belém, mas são bons jogadores. A dupla constitui o eixo central do setor de criação e certamente fará falta. Portanto, se souber agüentar a pressão inicial e aproveitar o desespero do Flu, João Galvão e seus jogadores podem sair do “maior do mundo” com uma atuação consagradora.

Só não é aceitável perder tantos gols, como no jogo de ida, no Mangueirão. Durante a semana, Galvão deve ter passado algumas horas fazendo Aleílson, Felipe Mamão, Flamel, Sinésio e Luís Fernando treinarem chutes a gol. Não se pode desperdiçar oportunidades, no futebol inclusive, quando elas surgem.

E, claro, há a questão do sapato alto. Alguns jogadores devem ser terminantemente proibidos de fazer firula. Jogar futebol é também um exercício de humildade. Existem os momentos em que a finta, o toque a mais, são aceitáveis, mas jamais em partidas importantes e contra adversários tradicionais. Que o Águia não incorra nesses pecadilhos hoje à noite e construa sua classificação rumo à terceira etapa da Copa do Brasil. É possível.

 

 

Na Rádio Clube, Guilherme Guerreiro narra a partida, direto do Maracanã. Estarei nos comentários.

 

 

Luiz Carlos Moura, ainda sobre o tropeço do Remo frente ao S. Raimundo: “Quem leu sua coluna de domingo vai querer comprar sua bola de cristal. Você falou exatamente o que foi a partida: o Remo exagerando em errar passes e o S. Raimundo explorando o contra-ataque. Sou remista, mas é preciso muito otimismo para acreditar numa vitória em Santarém”.

Já o Otávio Cezar faz elogios a este escriba baionense, mas reclama da “severidade exagerada às vezes em suas críticas ao futebol paraense”. Avalia que, somente com críticas, os problemas não serão resolvidos e pede que soluções sejam apresentadas.

É exatamente o que a coluna procura fazer, quase todos os dias.

(Coluna publicada no Bola/Diário do Pará, nesta quarta-feira, 22 de abril)

Notícias do Pantera santareno

Recebi e transcrevo mensagem de um dos maiores baluartes do S. Raimundo, grande sensação do atual campeonato paraense.

Gerson Nogueira,
 
Sou santareno e trabalho como voluntários para o Pantera há quase 10 anos. Tenho mais de 3 mil fotos do time. Minhas férias eu programei para o mês de março, quando acompanhei o pantera em Santarém e Belterra. Não sou diretor por que não tenho dinheiro para poder fazer tantas coisas que gostaria por este time e por todo esporte santareno. O que posso fazer, faço com amor e tudo que gasto é de minha responsabilidade. O Pantera está ai vencendo tudo e a todos. Já era tempo, pois eu conheço a história dessa equipe que já passou por tants dificuldades. Agora, é claro, o que eu lamento é que aparecem tantas pessoas para dizer que ajudou o São Raimundo, inclusive, políticos. Assim é muito fácil. Me orgulho de fazer parte dessa história, história de vencedores. Nós vamos ser campeão, afinal, já decidimos o primeiro turno, temos o artilheiro, já vencemos todos os times, inclusive Remo e Paissandu, temos a média de maior público e renda, não só ganhamos em Santarém, mas também em Belém, em fim, é uma estatística de time campeão, sem exagero. Parabenizo você pela coluna e os comentários sábios no rádio e televisão. Já trabalhei por 7 anos ai no Diário, agora faço parte da Assessoria da Unama, mas fico muito feliz por ter feito parte do maior e melhor jornal da Região Norte.
Aproveito para lhe enviar algumas fotos que tirei quando das minhas férias em Santarém, acredito que servirá para fazer uma matéria sobre o grande momento em que vive o São Raimundo, principalmente por fazer uma campanha espetacular e poder fazer com que todo povo da Região Oeste do Pará voltasse se interessar por futebol. É impressionante o que está acontecendo em Santarém, até mesmo os adversários se renderam a esta campanha tão maravilhosa. As imagens mostram quase tudo.
Caso você queira usar eu estou autorizando, pois as mesmas são de minha autoria.
 
Grato pela atenção
 
Elailson Santos (Katola)

As boas chances do Águia

Expectativas bastante positivas para o jogo de amanhã, entre Fluminense e Águia, no Maracanã, pela Copa do Brasil. O Tricolor, muito mal treinado por Parreira (fato que, sinceramente, não me surpreende), terá os desfalques de Tiago Neves e Conca. A dupla constitui apenas o eixo central do setor de criação. Portanto, se souber jogar em cima do desespero do Flu, João Galvão e seus jogadores podem sair do “maior do mundo” com uma atuação consagradora. Só não pode é perder tantos gols, como no jogo de ida, no Mangueirão. E, claro, alguns dos bambas do Águia devem ser terminantemente proibidos de fazer firula. Pra jogar futebol, caboclo precisa, entre outras coisas, ser humilde.